Hotel kasher em Portugal recebe 160 para o Shabat

O mais recente hotel kasher Har Sinai, em Belmonte, Portugal receberá um Shabat festivo neste fim de semana. O emissário da Shavei Israel, o Rabino Elisha Salas e o Rabino Isroel Nachum de Safed estarão hospedando um grupo de 80 judeus americanos na pitoresca cidade portuguesa com a mais antiga história judaica.

Belmonte possuía uma próspera comunidade judaica até que seus membros foram forçados a se esconder ou obrigados a se converter ao catolicismo há 500 anos atrás. Hoje, os descendentes daqueles judeus – os Bnei Anussim – estão re-descobrindo e re-abraçando, cada vez mais, sua herança escondida. Belmonte, onde o Rabino Salas está baseado, é um dos centros deste avivamento.

O Rabino Nachum de Safed organiza quatro viagens sobre a herança judaica por todo o mundo, a cada ano. Esta é a primeira que chega em Belmonte e é um dos primeiros eventos a serem realizados no Hotel Har Sinai, desde que o Rabino Salas começou a supervisionar a kashrut do hotel.

O hotel de 27 quartos estará fechado para os turistas regulares neste fim de semana, a fim de hospedar o grupo do Rabino Nachum. Dois chefs gourmet dos EUA estarão voando com o grupo para preparar todas as refeições.

Além de Belmonte, os visitantes irão tomar o trem para Trancoso – outro centro de Bnei Anussim e cidade do Centro de Interpretação Judaica Isaac Cardoso. Escreveu sobre Trancoso quando o Centro Cardoso recebeu o primeiro Rolo da Torá da cidade em meio milênio.

O grupo irá celebrar o Kabalat Shabat na sinagoga de Belmonte juntamente com a comunidade Bnei Anussim local e os alunos do Rabino Salas da área circundante, que muitas vezes passam o Shabat com seu professor na cidade. O grupo do Rabino Nachum tem tido o cuidado de incluir os moradores em todas as atividades do fim de semana – orações na sinagoga, aulas, refeições e a refeição pós-Shabat – Melave Malka.

Incluindo os visitantes norte-americanos e os moradores, será um total de 160 pessoas que estarão juntos em Belmonte neste fim de semana. Isso é o que chamamos de Shabat Shalom!

 

ATUALIZAÇÃO

O Rabino Salas comenta um pouco do que foi Shabat e lhe trazemos fotos!

 

Tivemos um shabat “extraordinário” em Belmonte.
 
Recebemos a visita de 120 chassídicos de Nova York – incluindo muitos rabinos – e vivemos uma experiência única em Portugal.
 
A Comunidade de Belmonte, e meus alunos, pela primeira vez na história de Portugal, puderam testemunhar um espetáculo do povo judeu.
 
Pela primeira vez, após 600 anos, as vozes do povo judeu voltaram a serem ouvidas em Portugal, e as figuras de muitos judeus chassídicos marcharam pelas ruas de Belmonte.
 
Foi um espetáculo maravilhoso aos nossos olhos, e uma elevação para nossas almas, ouvir as vozes de muitos judeus cantando as canções de Shabat e os salmos.
 
Nossa sinagoga estava cheia, não entrava mais nenhuma pessoa, e todos dançaram ao som das músicas de Shabat e às melodias “Carlebach”, com maravilhosas canções.
 
É uma grande bênção para nós o que está acontecendo em Portugal. Sinceramente acredito que o “cherem” de não visitar Portugal terminou, e as canções judaicas estão retornando. É um novo começo para Portugal.
 
Tivemos este belo Shabat, cheio de alegria, e abundância de alimentos, lindas conversas, abraços, apertos de mão e… felicidade em nossos corações.
 
Compartilho algumas das fotografias deste fim de semana chassídico, belo e inesquecível em Belmonte.
 
Rabino Elisha Salas
Sheliach da Shavei Israel em Portugal

DSC_0333 DSC_0335DSC_0338 DSC_0340 DSC_0345 DSC_0351 DSC_0357 DSC_0364 DSC_0393 DSC_0395 DSC_0400 DSC_0401

Últimas notícias da Sicília e do sul da Itália: 40 Bnei anussim participaram de um Shabaton e já se preparam para Chanuká!

Últimas notícias da Sicília e do sul da Itália: 40 Bnei anussim participaram de um Shabaton e já se preparam para Chanuká!

Se preparando para o Shabaton na cozinha
Se preparando para o Shabaton na cozinha

Quarenta Bnei Anussim da Sicília e do sul da Itália participaram neste final de outubro, de um Shabaton de dois dias, organizado pela Shavei Israel. Este retiro de fim de semana, aconteceu em Palermo, cidade natal da maioria dos participantes, relata o emissário da Shavei Israel para a região, o Rabino Pinchas Punturello. Outros participantes vieram de Catania, assim como de outros lugares da Sicília, como, até mesmo, da região da Calábria, mais ao sul.

A presença da Shavei Israel foi sentida todo o fim de semana. Três jovens – Carlo, Marco e Salvo – que estiveram em Jerusalém no início deste ano em um programa patrocinado pela Shavei Israel, especificamente para Bnei Anussim italianos, prepararam as Drashot (palavras sobre a porção semanal da Torá) proferidas à mesa do Shabat.

Foi, também, a primeira oportunidade para muitos participantes de usar o novo Birkón (livro de canções e orações) em italiano que a Shavei Israel publicou recentemente. O Rabino Punturello escreveu que os Birkonim “tiveram um lugar de honra na nossa mesa”.

Além das palavras de Torá, da comida kosher e de muita conversa, a comunidade aprendeu, e cantou, músicas em três línguas – italiano, hebraico e Ladino – “por todo o evento, desde o acendimento das velas, no início do Shabat, até o seu fim, com a Havdalá”, acrescenta o Rabino Punturello.

Havdalá no Shabaton
Havdalá no Shabaton

O que estamos preparamos agora para os Bnei Anussim da Sicília? Na segunda semana de dezembro, a comunidade irá receber um grupo judaico de Milão que visitará o sul da Itália, a fim de compreender melhor as atividades da Shavei Israel na região.

Se trata de um importante passo.

“Será a primeira vez que uma organização judaica italiana fará uma visita oficial às pessoas das quais a Shavei Israel acompanha em seu caminho de volta para casa”, diz o Rabino Punturello. Sessenta participantes de Milão e, cinquenta de Palermo e Catania participarão do seminário.

Logo, em seguida, em Chanuká, a Shavei Israel retornará ao infame Steri Palace, edifício aonde estavam localizados os escritórios da sede da Inquisição que aconteceu em Palermo, de 1601 à 1782, e também utilizado como prisões temporárias para os judeus que aguardavam seu cruéis destinos nos terríveis autos-de-fé. No ano passado, o Rabino Punturello, juntamente com 200 outros Bnei Anussim, acenderam as velas de Chanuká no Steri Palace. iluminando este lugar, pela primeira vez na história.

Para 2015, o Rabino Punturello está trabalhando junto com o prefeito de Palermo e a UCEI (União das Comunidades Judaicas Italianas) para estabelecer um centro oficial para os Bnei anussim na Sicília e no sul da Itália. Iremos atualizando, assim que tivermos mais novidades!