Qual a função de um Rabino na comunidade judaica?

PERGUNTA –> Qual a função de um Rabino na comunidade judaica?

הורדRESPOSTA –> No famoso livro da tradição judaica Oral, a Ética dos Pais, aprendemos: “Faça para você um Rabino!”, instruindo todo judeu a buscar um Rabino para servir como guia em sua jornada no mundo.

Hoje em dia, um Rabino seria aquele que recebeu a ordenação rabínica necessária possuindo um alto conhecimento de halachá (lei judaica). Estes seriam as autoridades judaicas máximas capazes de responder e resolver as diversas questões haláchicas. Praticamente toda comunidade judaica possui um Rabino, e aqueles que não possuem um Rabino particular, acatam decisões de outros Rabinos.

Atualmente, o status de Rabino, também permite que este realize cerimônias de casamentos. Tecnicamente, não haveria necessidade de um Rabino presente, no entanto, hoje em dia se tornou essencial, para que este possa certificar-se de que a cerimônia de casamento está sendo realizada corretamente.

O termo “Rabino”, ou Rav em hebraico, foi usado pela primeira vez em referência aos rabinos do Sinédrio, durante o primeiro século da e.c. Deste o período talmúdico até pouco tempo atrás, muitos daqueles com ordenação rabínica se ocupavam, também, de outros trabalhos paralelos. Muitos rabinos eram também, médicos, advogados, psicólogos, etc. Principalmente, a partir do século 12, o trabalho de Rabino se tornou uma ocupação em tempo integral, e é raro encontrar rabinos que também ocupam outras funções.

O Rabino é também reverenciado como sendo a figura mais espiritual da comunidade, e portanto, possui a capacidade tanto de amaldiçoar como de abençoar indivíduos, temas levados muito a sério em comunidades específicas.

Hoje, o papel de um Rabino consiste em, basicamente, servir a comunidade como um educador, assistente social, pregador, e, ocasionalmente, conduzir os serviços religiosos. Estes são procurados também para dar conselhos e guiar os membros da sua comunidade no melhor caminho!

Todo judeu é rico?

PERGUNTA –> Todo judeu é rico?

dep_5821530-Jewish-Man-holding-moneyRESPOSTA –> Quem me dera!! Você já deve conhecer estes estereótipos e já deve ter escutado algum comentários deste estilo. E, eventualmente, muitos acabam se perguntando… “Será verdade?”

Com certeza… NÃO!

Em primeiro lugar, quando a palavra “TODO” vem acompanhada de alguma afirmação, esta, deve, simplesmente ser rejeitada. Declarações universais e generalizações infelizmente, são um erro muito comum, mas não deixam de ser um erro grave.

E, desta maneira, a afirmação “os judeus são TODOS ricos”, claramente não é verdadeira. Um bom exemplo é a cidade de Nova Iorque, que possui uma grande e poderosa comunidade judaica e, os judeus, a fama de serem todos ricos. De acordo com um estudo realizado pela UJA-Federation of New York, 500.000 judeus vivem abaixo da linha da pobreza, somente nesta cidade.

Então, por que este estereótipo?

Não sei se existe uma resposta certa. Mas normalmente quando caracterizamos um grupo de pessoas de alguma maneira, estamos, de certo modo dizendo que eles são diferentes de nós. O antisemitismo buscou por muitos anos desculpas para afirmar que os judeus eram “diferentes” e portanto, razões pelas quais mereciam serem tratados diferente, quando, normalmente, isso terminava mal. Read more

Quantas vezes por dia/semana os judeus rezam?

PERGUNTA: QUANTAS VEZES POR DIA/SEMANA, OS JUDEUS REZAM?

Web_F051123mf24

 

 

RESPOSTA: A lei judaica orienta todo judeu a rezar três vezes por dia: pela manhã, à tarde e ao anoitecer. Estas orações são chamadas de Shacharit, Mincha e Arvit (ou Maariv), respectivamente.

Nossos Sábios nos dizem que o costume de orar três vezes ao dia foi originalmente introduzido pelos nossa patriarcas, Abraão, Isaac e Jacob. Abraham introduziu a oração da manhã, Isaac a da tarde, e Jacob, adicionou uma reza ao anoitecer.

Durante os primeiros mil anos, mais ou menos, desde o tempo de Moisés, não havia uma definição especifica de como rezar. Cada indivíduo tinha o dever de orar a D us todos os dias, mas a forma e a quantidade de rezas, era escolha de cada um.

No entanto, se estabeleceu, no periodo do Templo Sagrado em Jerusalém, os horarios das rezas de acordo com os sacrifícios. Em dias especiais, como o Shabat, o Rosh Chodesh e as Festas, foi acrescentado uma outra reza, relativa a um sacrificio adicional que era acrescentado.

Desde então, tornou-se parte da lei judaica (Halachá) que todo e cada judeu deve rezar três vezes ao dia, correspondendo aos sacrifícios diários no Templo Sagrado, adicionando a reza de Musaf, nos dias especiais de Shabat, Rosh Chodesh e as demais Festas, alem de uma reza especial de “fechamento” (Neila) do perdão divino, no dia sagrado de Yom Kipur.

Sendo assim, normalmente se rezam três rezas por dia, no Shabat, Rosh Chodesh e nas demais Festas, são quatro rezas, e somente em Yom Kipur, se rezam cinco rezas!

Quem começou a Guerra da Independência do Estado de Israel, em 1948?

PERGUNTA –> Quem começou a Guerra da Independência do Estado de Israel, em 1948?

1367590-5RESPOSTA –> Os árabes deixaram claro que iriam sair a guerra para impedir a criação de um Estado Judeu. O presidente do Alto Comitê Árabe disse que os árabes “lutariam por cada centímetro do país”. Dois dias depois, os”santos homens” da Universidade de Al-Azhar no Cairo convocaram o mundo muçulmano para proclamar a Jihad (guerra santa) contra os judeus. Jamal Husseini, porta-voz do Alto Comitê Árabe, havia avisado à ONU (em 1947) que os árabes encharcariam “o solo do nosso amado país, com a última gota de nosso sangue….”.

A previsão de Husseini começou a se tornar realidade quase que imediatamente após a ONU adotar a resolução da partilha, em 29 de novembro de 1947. Os árabes sairam as ruas, protestando e instigando tumultos que causaram a morte de 62 judeus e 32 árabes. A violência continuou a crescer até o final daquele ano.

Os primeiros ataques em grande escala começaram em 9 de janeiro de 1948, quando cerca de 1.000 árabes atacaram comunidades judaicas no norte da Palestina. Na primeira fase da guerra, que durou de 29 de novembro de 1947, até 1 de Abril de 1948, os árabes palestinos tomaram a ofensiva, com a ajuda de voluntários dos países vizinhos. Os judeus sofreram pesadas baixas e os caminhos na maioria de suas principais estradas, foram interrompidos.

Em 4 de maio de 1948, a Legião Árabe atacou Kfar Etzion. Os poucos defensores conseguiram segurar os ataques, mas a legião voltou uma semana depois. Depois de dois dias, os colonos mal equipados e em menor número foram surpreendidos. Muitos defensores foram massacrados mesmo depois de terem se rendido. Este ataque foi antes da invasão dos exércitos dos países árabes vizinhos que se seguiu a declaração de independência de Israel. Read more

É verdade que os padres da Igreja Católica deixaram o Holocausto acontecer?

PERGUNTA –> É verdade que os padres da Igreja Católica deixaram o Holocausto acontecer?

hitler_cardinal4RESPOSTA:

Com certeza esta afirmação não é correta. Pois diversos padres católicos não apenas saíram ativamente contra os nazistas, como salvaram muitos judeus. É o caso, por exemplo, do Papa João Paulo II.

A Igreja, principalmente o Vaticano, ficaram com esta fama pois a reação do Papa Pio XII ao Holocausto é contestável. Existem relatos e documentos que comprovam que este tentou ajudar alguns judeus e foi bem sucedido, mas estes sucessos isolados apenas destacam a influência que ele tinha, que poderia ter sido utilizada para fazer muito mais pelos judeus. Este, inclusive, preferiu fazer tudo escondido e permanecenu, assim, publicamente em silêncio a tudo o que acontecia. Sem nenhum grande pronunciamente contra Hitler e seu exército. Seja qual tenha sido sua motivação, o Papa Pio XII, assim como muitas outras autoridade na época, não fizeram tudo o que estava a seus alcances para evitar este terrível genocídio e terminou manchando, uma vez mais, o nome da Igreja.

Contudo, segue a história de um padre que, assim como muitos outros colegas, arriscou sua vida para salvar os judeus. Este foi Alfred Delp!

Alfred Delp nasceu em Mannheim, Alemanha, de uma mãe católica e pai protestante. Apesar de católico batizado, ele depois se tornou um luterano. Aos 14 anos ele deixou a igreja luterana e recebeu os sacramentos da Primeira Eucaristia e da Confirmação como católico. Em sua vida adulta Delp foi um fervoroso promotor de melhores relações entre as igrejas. Read more