DA ÍNDIA ÀS HONDURAS: PESACH 2022

DA ÍNDIA ÀS HONDURAS: PESACH 2022

Como todos os anos, neste Pessach nossas comunidades aproveitaram bem a festa. Comer alimentos especiais, fazer passeios e ter tempo para a família. Após dois anos de Covid, as pessoas estão a tentar voltar ao nível de atividade pré-pandemia, e não há melhor época do que as festas para passar tempo com a família e desfrutar de viagens e atividades ao ar livre. 

Desde as atividades relacionadas com a festa em si, até apenas desfrutar do clima e do ar livre, aqui estão algumas imagens recolhidas das nossas comunidades:

Clique aqui para ver o álbum!

Pessach 2022 – 7º dia de Pessach

Pessach 2022 – 7º dia de Pessach

7º dia de Pessach – Por: Rav Reuven Tradburks

1ª aliá (Êxodo 13:17-22) O povo partiu do Egito em direção ao mar. Moshe levou os ossos de Yosef, como Yosef  tinha instruído o povo a fazer. Uma nuvem divina guiava-os de dia e à noite fogo. Yosef estava tão confiante na redenção do Egito que estava disposto a que os seus ossos ficassem no Egito até serem retirados de lá quando o povo judeu fosse redimido. Para Yosef, a promessa divina não era mítica; era uma certeza.

2ª aliá (14:1-14:8) O povo acampa na praia; o faraó persegue-os, com a elite das suas forças de combate.

3ª aliá (14:9-14) Com o mar à sua frente e o faraó no seu encalço, as pessoas estão desesperadas. Questionam o porquê de Moshe os tirar do Egito  para morrerem no deserto. E dizem: isso é o que dissemos no Egito. Preferimos permanecer no Egito para viver e trabalhar como escravos do que deixar o Egito para morrer no deserto. Moshe tranquiliza-os.

Esta é a primeira vez que ouvimos falar sobre a relutância do povo em deixar o Egito. Enquanto a Torá conta a história do povo judeu a deixar a escravidão, isso não significa que todos os judeus fossem participantes voluntários. O ceticismo não é uma invenção moderna; faz parte da condição humana. Mas, embora céticos, eles tomaram o seu lugar como parte do povo judeu que foi redimido. Os céticos juntam-se à aventura judaica da redenção, embora com ceticismo.

4ª aliá (14:15-25) D’us diz a Moshe para caminhar em frente e levantar o seu cajado sobre a água. A água dividir-se-á e o povo passará pela água. Moshe assim o fez, o mar dividiu-se, o povo passou e os egípcios perseguiram-nos. Ao amanhecer, os egípcios estão presos no mar, alegando que D’us está a lutar a batalha dos judeus.

A redenção ocorre com a água. A primeira coisa na Criação foi a água; o versículo 2 da Torá afirma que o espírito de D’us pairava sobre as águas. A água repete-se como um símbolo de começos. A divisão do mar e a redenção do Egito encerram um capítulo da história judaica e abrem um novo começo. É o início da marcha nacional para receber a Torá e entrar na Terra de Israel. Um novo começo marcado pela água.

5ª aliá (14:26-15:26) As águas do mar voltam, afogando os egípcios. O povo canta Az Yashir, a canção de agradecimento. Miriam conduz as mulheres na canção. Começa a jornada para o deserto.

A redenção traz a canção. Essa música cria um paradigma religioso. Quando somos destinatários dos dons Divinos, devemos responder com apreço e alegria. Isso também se reflete no nosso sidur. Quando mencionamos o êxodo do Egito nas brachot do Shemá, incluímos que o povo cantou esta shira. Devemos responder ao que Ele faz com o que nós fazemos. Cantar.

Pessach 2022 – 1º dia de Pessach

Pessach 2022 – 1º dia de Pessach

1º dia de Pessach – Por: Rav Reuven Tradburks
Este ano o primeiro dia de Pessach é Shabat, por isso temos 7 aliyot.

1ª aliá (Êxodo 12:21-24) Oferece a oferenda de Pessach, coloca o seu sangue nas ombreiras e permanece dentro de casa até de manhã, pois D’us passará pelas casas identificadas com o sangue e o seu primogénito será poupado. Esta lei é eterna.

A simplicidade desta narrativa enfatiza o seu drama. Peguem no Pessach e ofereçam-no; e eles assim o fizeram. A disposição do povo em desafiar o Egito, em matar o seu deus (o cordeiro) é impressionante. O povo escravo ouviu o seu D’us, independentemente do risco dos seus dominadores.

E este é o primeiro ato de lealdade exigido por D’us ao povo judeu. Toda a Torá foram promessas de D’us para nós. Agora Ele pede que Lhe estendamos a nossa mão em troca. O Sagrado poderia ter-nos redimido, poderia ter passado sobre as nossas casas sem o sangue nos batentes das portas. Mas Ele queria que estendêssemos a nossa mão para Ele.

2ª aliá (12:25-28) Quando entrares na terra e os teus filhos te perguntarem o que é este serviço, responderás que é um Pessach, pois Hashem passou pelas nossas casas. O povo fez como Moshe ordenou.

Esses versículos simples são tão dramáticos quanto o primeiro. “Quando entrares na terra” –  O quê? Escravos no Egito, vivendo apenas de esperança, estão a receber instruções para cumprir esta mitsvá quando entrarem na terra. A terra de Israel é a coisa mais distante das suas mentes, atoladas na escravidão. Desde os primórdios da nossa história temos sonhos e visões de futuro, ignorando a crueldade da realidade do momento.

3ª aliá (12:29-32) À meia-noite, todos os primogênitos do Egito são mortos. O Faraó ordena que Moshe e Aharon saiam e levem todas as pessoas para o celebração e para o abençoem também.

Embora o acumular de situações até este momento tenha levado muitos meses, a redenção ocorre num piscar de olhos. Sair fora. Agora.

4ª aliá (12:33-36) Os egípcios exortaram os judeus a partirem rapidamente. O povo judeu levou a massa não fermentada e o ouro, a prata e as roupas dos egípcios.

Os judeus, mesmo sabendo que serão redimidos naquela noite, não estão preparados para o momento. A antecipação não diminui o espanto do momento. Eles não tinham preparado provisões. Fieis eles eram; mas preparados não estavam.

5ª aliá (12:37-42) O povo partiu, incluindo 600.000 em idade militar, muitos outros que se juntaram, e foram carregados de rebanhos. A massa foi assada à pressa, pois foram expulsos à pressa. Os judeus viveram no Egito 430 anos; partiram exatamente após 430 anos. Este dia que D’us antecipou para a sua partida permanece um dia marcante para os judeus para sempre.

A Torá enfatiza que este dia foi destinado para a redenção desde o início. Desde a nossa perspetiva, a redenção foi repentina; estávamos despreparados. Mas da perspetiva Dele, isso esteve em cima da mesa o tempo todo. Ele antecipou o evento antes de ele acontecer; nós marcamos o dia depois de ele ter acontecido.

6ª aliá (12:43-47) A Oferenda de Pessach: não judeus não podem participar, deve ser comida numa casa, não pode ser retirada de casa, nenhum osso pode ser quebrado, todos os judeus participam.

A lei de que o Pessach não pode ser retirado de casa é muito parecida às leis sobre os korbanot não poderem ser retirados do Mikdash. As nossas casas tornam-se o Mikdash na noite do Seder.

7ª aliá (12:48-51) Aquele que se junta ao povo judeu e é circuncidado pode juntar-se ao Pessach; existe uma só lei para todos. Naquele dia, D’us tirou o povo judeu do Egito.

A circuncisão e o Pessach são dois lados da mesma moeda – A Brit Milah é um sinal da aliança com D’us, enquanto Pessach é nossa renovação anual de dedicação a essa aliança.

Preparativos para Pessach, à maneira da Shavei

Preparativos para Pessach, à maneira da Shavei

Com a grande variedade de comunidades com as quais a Shavei Israel trabalha, literalmente em todos os cantos do globo, existem inúmeras atividades e programas para as pessoas se prepararem para o feriado de Pessach.

Como as festividades envolvem muita preparação e há muitas leis e detalhes específicos que precisam ser respeitados em relação à limpeza para Pessach e todo o processo de celebração, há seminários, aulas e campanhas para ajudar os imigrantes mais novos com as necessidades para esta festa, que é cara.

Em Nof Hagalil, onde há mais de 1.000 novos imigrantes Bnei Menashe do nordeste da Índia, organizámos cartões-presente especiais e outros presentes e elementos necessários para Pessach:

Em Cali, Colômbia, Rav Asher deu um seminário em vídeo explicando em detalhe todo o seder de Pessach, passo a passo.

Em Ambato, Equador, a comunidade realizou uma palestra interativa por zoom do Rav Aaron Gulman intitulada “É hora de deixar o Egito”. O programa foi moderado por Renan Munoz Palacios, representante da Shavei Israel no Equador.

Outro programa em espanhol, no popular tanaj.org , foi voltado especificamente para líderes da Torá e de comunidades judaicas, liderado por Rav Shmuel Kornblit. O programa concentrou-se nas mensagens da Torá sobre a história de Pessach, o êxodo do Egito e as histórias da Hagadda.

Na comunidade Beith Hillel em Bogotá, Colômbia, o nosso emissário Rav Shimon Yechua deu uma aula online sobre os detalhes das halachot (leis) de Pessach.

DA ÍNDIA À GUATEMALA: PESACH DE 2021:

DA ÍNDIA À GUATEMALA: PESACH DE 2021:

DA ÍNDIA À GUATEMALA: PESACH DE 2021:

Como todos os anos, também neste Pessach as nossas comunidades aproveitaram bem os dias, comendo as comidas típicas, fazendo viagens de passeio e passando tempo com a família. Embora a pandemia de coronavírus certamente tenha prejudicado as atividades e a socialização, em alguns lugares, como em Israel, as pessoas estão a começar a reunir-se novamente e a voltar às suas atividades normais.

Vejam aqui o nosso álbum, com fotografias de todo o mundo!

Pesach 2021