Sucot

Por: Rav Reuven Tradburks

Sucot
Vayikra 22:26-23:44

1ª aliá (Vayikra 22:26-33) Um animal não pode ser trazido como oferenda nos seus primeiros 7 dias de vida. Um animal e seu filhote não podem ser mortos no mesmo dia. Uma oferta de ação de graças deve ser comida dentro de um dia. Não profanes o Meu Santo Nome, mas santifica o Meu Nome, Aquele que te tirou do Egito.

A leitura da Torá para o primeiro dia de Sucot é todo o Capítulo 23 em Vayikra, que lista todo o ciclo anual de feriados. Curiosamente, começamos 8 versículos antes desse capítulo, com um parágrafo que descreve várias regras sobre oferendas. Mas é a última linha que é a conexão com Yom Tov. Santifica o Meu nome porque Eu te tirei do Egito para ser o teu De’s. É uma perfeita introdução para as festas. Cada festa tem o seu significado, mas todas partilham deste significado: a conexão com o nosso De’s.

2ª aliá (23:1-3) Aqui estão os dias sagrados: Shabat é um dia sagrado para De’s.

O Shabat é diferente das outras festas porque não é uma ocorrência de uma vez por ano como as outras. No entanto, partilha com elas o significado mais amplo de ser um dia sagrado de conexão com De’s.

3ª aliá (23:4-8) Pessach é no dia 14 do 1º mês. Durante sete dias come Matza. O dia 1 e o dia 7 são sagrados, nenhum trabalho deve ser feito. As festas são chamadas “Mikraei Kodesh”, reuniões sagradas. Ramban entende isto como querendo dizer que nós damos ao dia santidade através do facto de nos reunirmos. Na sinagoga. Para a oração e para o Halel. Há um elemento especial de reunião comunitária nas festas.

4ª aliá (23:9-14) No dia depois do Yom Tov, traz uma medida da primeira colheita de cevada como oferenda de Omer, acompanhada de um sacrifício. O cereal novo não pode ser consumido até que este Omer seja oferecido.

A descrição da oferenda do Omer parece fora de lugar. Embora cada feriado tenha uma oferenda, a ênfase desta seção não são oferendas, mas feriados, chagim. O dia em que o Omer é trazido não é um yom tov. Mas, semelhante aos feriados, tem uma data específica no calendário. Portanto, esta seção seria chamada com precisão, não de uma lista de chagim, ou feriados, mas de uma lista de eventos do calendário.

5ª aliá (23: 15-22) Conta 7 semanas inteiras a partir desta oferenda e no dia seguinte, o 50º, traz 2 pães assados ​​de chametz acompanhados de sacrifícios. O Cohen deve mover esses 2 pães bikurim. Esse dia é um yom tov, nenhum trabalho deve ser feito. Ao colheres os teus campos, deixa os cantos e respigas para os pobres e para os estrangeiros.

Os 2 pães trazidos em Shavuot são o pilar que delimita o fim do Omer. O Omer era cevada, trazida no 2º dia de Pessach. Os 2 pães são trigo, chometz, pão, a primeira oferenda de trigo da nova safra trazida em Shavuot. A oferta do Omer permitiu que os consumidores agora pudessem usar os receais recém-colhidos. Mas, no Templo, o novo cereal não pode ser usado até 7 semanas depois, com as oferendas dos 2 pães em Shavuot.

O contraste da matza que comemos em Pessach e o chametz deste pão oferecido em Shavuot convida a nossa curiosidade. Porquê matzá e chametz? Talvez expresse 2 qualidades, mas que precisam de estar em seu devido tempo. Pessach é o feriado da história. Na história você precisa se mover, se mover rápido. Não deixe a massa crescer. Aproveite o momento; não perca velocidade. Mas em Shavuot, no contexto das ofertas sagradas, a paciência é rei. Espere. 7 semanas. Paciência. Deixe a massa crescer, virar chometz. Espere. Enquanto a história exige velocidade, a contenção é inerente à santidade.

6ª aliá (23: 23-32) O primeiro dia do 7º mês é um dia de Teruah, um yom tov. Mas o 10º dia do mês é Yom Hakipurim. Aflige-te, porque é um dia de expiações. É um dia santo, nenhum trabalho pode ser feito. Aflige-te a partir do dia 9 da tarde, de uma noite à seguinte.

Rav Soloveitchik assinalou que apesar de jejuarmos em Yom Kipur, existe mesmo assim a mitzvá da simchá. Como podemos sentir simchá quando a própria Torá diz que nos temos que afligir? A verdadeira alegria é um profundo sentido de significado. De estarmos perante De’s. A nossa maior alegria é o conhecimento de que De’s nos procura e injeta a nossa vida com o significado mais sublime. E isso é a expiação de Yom Kipur.

7ª aliá (23:33-44) O dia 15 do 7º mês é Sucot por 7 dias. O primeiro dia é um yom tov, assim como o oitavo dia. Toma um lulav e etrog e regozija-te por 7 dias perante D’us. Permanece em Sucot por 7 dias para que saibas que D’us fez com que os teus antepassados morassem em Sucot ao deixar o Egito.

Sucot completa o ano de chagim. É o fim. Como tal, é uma celebração não apenas de si mesma, mas uma celebração da conclusão dos chagim do ano. A satisfação de completar o ciclo de chaguim é expressada através do Lula. Esta noção de que Sucot é o fim do ciclo de chaguim é expressa também através da ligação do ciclo da leitura da Torá com a conclusão de Sucot. Fim dos chaguim, fim das leituras da Torá.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *