Shavuot 5783

Por: Rav Yehoshua Ellis

Shavuot é uma festa estranha. Em Shavuot celebramos que D’us deu a Torá aos Filhos de Israel, mas a Torá escrita foi-nos dada apenas um pouco antes da morte de Moshe; a Torá Oral ainda está a ser revelada. Além disso, a Torá nunca faz realmente uma ligação entre Shavuot e a entrega da Torá. Shavuot tem três nomes na Torá: Festa das Semanas, Festa das Colheitas e Festa dos Primeiros Frutos. Nenhum destes nomes se refere à Torá. Porque estabelecemos então  essa ligação?

A primeira e mais óbvia resposta é que fizemos as contas. A Torá diz que os Filhos de Israel chegaram ao deserto do Sinai no terceiro mês após deixarem o Egito. A nossa tradição diz-nos que sempre a Torá diz «o mês», significa no primeiro dia do mês, o que quer dizer que o povo de Israel chegou ao Sinai no primeiro dia do mês de Sivan e se encontrou com D’us cinco dias depois, no dia 6 de Sivan. O dia 6 de Sivan é o dia a que chegamos quando contamos cinquenta dias a partir do segundo dia de Pesach, conforme a Torá nos instrui sobre a celebração de Shavuot.

Como os nomes de Shavuot conectam a festa à Torá? Chag Shavuot significa Festa das Semanas, porque somos instruídos a contar sete semanas e, no dia seguinte, o quinquagésimo dia, é Shavout. Cinquenta são os cinco livros da Torá multiplicados pelos Dez Mandamentos.

Quanto ao nome Chag Habikkurim, Festa dos Primeiros Frutos, Shavuot inicia o processo dos Filhos de Israel trazerem a sua primeira oferenda de frutas ao Templo em Jerusalém. O Midrash explica que Bikkurim é uma referência à Torá, que também é referida como «a primeira»

O nome final que a Torá dá a Shavuot é Chag Hakatzir, Festa da Colheita. A colheita do trigo é uma etapa importante no processo de produção do pão. Enche-nos de alegria e representa um marco importante no processo de produção anual. No entanto, não produz nada de uso físico real para as pessoas. Ainda vão ter que ser investidos muito esforço e recursos antes de o produto final poder ser apreciado. Do mesmo modo, a aprendizagem da Torá é uma parte importante das nossas vidas que nos produz grande alegria, mas sem a aplicar ao mundo físico falta-nos o produto final para o qual foi planejada, um mundo cheio de bondade, amor, justiça e pureza.

As conexões entre a data e os nomes de Shavuot e a entrega da Torá agora estão claras, mas porque celebramos a entrega da Torá se a Torá não nos foi toda entregue em Shavuot? A Torá nunca é simplesmente entregue; tem sempre que ser adquirida através de muito esforço e amor. A Torá nunca é totalmente transmitida, há sempre mais a aprender.

Finalmente, no Monte Sinai, em Shavuot, toda a Nação de Israel ouviu a voz de D’us e esta é a própria essência da Torá, a sabedoria que permite que toda a Nação de Israel ouça a voz de D’us.

Que todos possamos merecer ouvir a voz suave que sempre nos chama do Sinai!

Chag Sameach e Shabat Shalom,

Yehoshua

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *