Quando em Roma, faça como os judeus fazem!

20130720_212428Eles têm sido italianos por gerações, mas junto com suas raízes católicas, raízes judaicas têm sido reveladas, assim como um rolo da Torá de 500 anos de idade e uma oração ‘Shema Israel’ encontrados por acaso em um porão. O que faz com que centenas de pessoas investiguem tanto suas vidas?

O fenômeno dos Anussim, judeus forçados a abandonar sua fé contra a sua vontade e que agora tentam retornar ao judaísmo, não é algo raro nos dias de hoje, mas mesmo os mais experientes na área foram surpreendidos pela avalanche de apelos de católicos italianos que afirmam ser descendentes dos Anussim.

Este é um fenômeno de tamanha escala que, a organização Shavei Israel, que lida com aqueles que procuram explorar as suas raízes judaicas, realizou uma conferência especial em Israel com a participação de pessoas de toda a Itália – a maioria do sul do país.

Cerca de 400 anos após a Inquisição espanhola, que, de acordo com eles, forçou seus antepassados a se converter – muitos deles continuaram a observar os costumes e tradições judaicas secretamente, e ainda conseguiram passá-los de geração em geração. “Nosso trabalho é abraçá-los”, diz o Presidente da Shavei Israel, o Rabino Michael Freund.

Gionatan Koresi de Perugia, na Itália trouxe toda a sua família, incluindo sua filha, para o seminário, para que “elas entendam que a Terra de Israel e é a origem de nossas raízes”, diz ele.

Nicola Giunta, um residente de Reggio Calabria, participou da cerimônia em que um antigo rolo de Torá retirado da sinagoga na Calábria há 500 anos foi devolvido. O evento, segundo ele, o fez perceber que “não somos movidos apenas pela cultura, mas as nossas raízes nos empurram nessa direção”.

Então, o que leva as pessoas a buscarem, no meio de suas vidas, um caminho em que o fim está longe de ser visto ? Liron Peled, um guia turístico israelense que “descobriu” os Anussim durante suas viagens, fez-se a mesma pergunta.

“Eu sinto que é apenas um lugar à procura de suas raízes”, diz ela. “Alguns deles tinham pistas sobre isso desde que eram crianças, e alguns começaram a ser atraídos pelo judaísmo somente quando eles começaram a se permitir perguntas como ‘quem sou eu’, ‘o que sou’ e ‘de onde eu venho’. Perceberam, então, que deveriam se aprofundar nessa conexão.”

Peled conta a história de uma família que encontrou uma página antiga da oração do ‘Shema Israel’ no porão de sua casa, e Agazio Periete da Calábria simplesmente diz: “É como o ‘Sai da tua terra’ (comando de D’us a Abraão). Estou voltando para mim. É importante para mim ser quem eu sou”.

Este artigo foi publicado originalmente no Ynet.