Pessach 2022 – 7º dia de Pessach

7º dia de Pessach – Por: Rav Reuven Tradburks

1ª aliá (Êxodo 13:17-22) O povo partiu do Egito em direção ao mar. Moshe levou os ossos de Yosef, como Yosef  tinha instruído o povo a fazer. Uma nuvem divina guiava-os de dia e à noite fogo. Yosef estava tão confiante na redenção do Egito que estava disposto a que os seus ossos ficassem no Egito até serem retirados de lá quando o povo judeu fosse redimido. Para Yosef, a promessa divina não era mítica; era uma certeza.

2ª aliá (14:1-14:8) O povo acampa na praia; o faraó persegue-os, com a elite das suas forças de combate.

3ª aliá (14:9-14) Com o mar à sua frente e o faraó no seu encalço, as pessoas estão desesperadas. Questionam o porquê de Moshe os tirar do Egito  para morrerem no deserto. E dizem: isso é o que dissemos no Egito. Preferimos permanecer no Egito para viver e trabalhar como escravos do que deixar o Egito para morrer no deserto. Moshe tranquiliza-os.

Esta é a primeira vez que ouvimos falar sobre a relutância do povo em deixar o Egito. Enquanto a Torá conta a história do povo judeu a deixar a escravidão, isso não significa que todos os judeus fossem participantes voluntários. O ceticismo não é uma invenção moderna; faz parte da condição humana. Mas, embora céticos, eles tomaram o seu lugar como parte do povo judeu que foi redimido. Os céticos juntam-se à aventura judaica da redenção, embora com ceticismo.

4ª aliá (14:15-25) D’us diz a Moshe para caminhar em frente e levantar o seu cajado sobre a água. A água dividir-se-á e o povo passará pela água. Moshe assim o fez, o mar dividiu-se, o povo passou e os egípcios perseguiram-nos. Ao amanhecer, os egípcios estão presos no mar, alegando que D’us está a lutar a batalha dos judeus.

A redenção ocorre com a água. A primeira coisa na Criação foi a água; o versículo 2 da Torá afirma que o espírito de D’us pairava sobre as águas. A água repete-se como um símbolo de começos. A divisão do mar e a redenção do Egito encerram um capítulo da história judaica e abrem um novo começo. É o início da marcha nacional para receber a Torá e entrar na Terra de Israel. Um novo começo marcado pela água.

5ª aliá (14:26-15:26) As águas do mar voltam, afogando os egípcios. O povo canta Az Yashir, a canção de agradecimento. Miriam conduz as mulheres na canção. Começa a jornada para o deserto.

A redenção traz a canção. Essa música cria um paradigma religioso. Quando somos destinatários dos dons Divinos, devemos responder com apreço e alegria. Isso também se reflete no nosso sidur. Quando mencionamos o êxodo do Egito nas brachot do Shemá, incluímos que o povo cantou esta shira. Devemos responder ao que Ele faz com o que nós fazemos. Cantar.

Leave a Reply

Your email address will not be published.