Pessach 2022 – 1º dia de Pessach

1º dia de Pessach – Por: Rav Reuven Tradburks
Este ano o primeiro dia de Pessach é Shabat, por isso temos 7 aliyot.

1ª aliá (Êxodo 12:21-24) Oferece a oferenda de Pessach, coloca o seu sangue nas ombreiras e permanece dentro de casa até de manhã, pois D’us passará pelas casas identificadas com o sangue e o seu primogénito será poupado. Esta lei é eterna.

A simplicidade desta narrativa enfatiza o seu drama. Peguem no Pessach e ofereçam-no; e eles assim o fizeram. A disposição do povo em desafiar o Egito, em matar o seu deus (o cordeiro) é impressionante. O povo escravo ouviu o seu D’us, independentemente do risco dos seus dominadores.

E este é o primeiro ato de lealdade exigido por D’us ao povo judeu. Toda a Torá foram promessas de D’us para nós. Agora Ele pede que Lhe estendamos a nossa mão em troca. O Sagrado poderia ter-nos redimido, poderia ter passado sobre as nossas casas sem o sangue nos batentes das portas. Mas Ele queria que estendêssemos a nossa mão para Ele.

2ª aliá (12:25-28) Quando entrares na terra e os teus filhos te perguntarem o que é este serviço, responderás que é um Pessach, pois Hashem passou pelas nossas casas. O povo fez como Moshe ordenou.

Esses versículos simples são tão dramáticos quanto o primeiro. “Quando entrares na terra” –  O quê? Escravos no Egito, vivendo apenas de esperança, estão a receber instruções para cumprir esta mitsvá quando entrarem na terra. A terra de Israel é a coisa mais distante das suas mentes, atoladas na escravidão. Desde os primórdios da nossa história temos sonhos e visões de futuro, ignorando a crueldade da realidade do momento.

3ª aliá (12:29-32) À meia-noite, todos os primogênitos do Egito são mortos. O Faraó ordena que Moshe e Aharon saiam e levem todas as pessoas para o celebração e para o abençoem também.

Embora o acumular de situações até este momento tenha levado muitos meses, a redenção ocorre num piscar de olhos. Sair fora. Agora.

4ª aliá (12:33-36) Os egípcios exortaram os judeus a partirem rapidamente. O povo judeu levou a massa não fermentada e o ouro, a prata e as roupas dos egípcios.

Os judeus, mesmo sabendo que serão redimidos naquela noite, não estão preparados para o momento. A antecipação não diminui o espanto do momento. Eles não tinham preparado provisões. Fieis eles eram; mas preparados não estavam.

5ª aliá (12:37-42) O povo partiu, incluindo 600.000 em idade militar, muitos outros que se juntaram, e foram carregados de rebanhos. A massa foi assada à pressa, pois foram expulsos à pressa. Os judeus viveram no Egito 430 anos; partiram exatamente após 430 anos. Este dia que D’us antecipou para a sua partida permanece um dia marcante para os judeus para sempre.

A Torá enfatiza que este dia foi destinado para a redenção desde o início. Desde a nossa perspetiva, a redenção foi repentina; estávamos despreparados. Mas da perspetiva Dele, isso esteve em cima da mesa o tempo todo. Ele antecipou o evento antes de ele acontecer; nós marcamos o dia depois de ele ter acontecido.

6ª aliá (12:43-47) A Oferenda de Pessach: não judeus não podem participar, deve ser comida numa casa, não pode ser retirada de casa, nenhum osso pode ser quebrado, todos os judeus participam.

A lei de que o Pessach não pode ser retirado de casa é muito parecida às leis sobre os korbanot não poderem ser retirados do Mikdash. As nossas casas tornam-se o Mikdash na noite do Seder.

7ª aliá (12:48-51) Aquele que se junta ao povo judeu e é circuncidado pode juntar-se ao Pessach; existe uma só lei para todos. Naquele dia, D’us tirou o povo judeu do Egito.

A circuncisão e o Pessach são dois lados da mesma moeda – A Brit Milah é um sinal da aliança com D’us, enquanto Pessach é nossa renovação anual de dedicação a essa aliança.

Leave a Reply

Your email address will not be published.