Parashá Matot-Masei

O lugar dos filhos na nossa vida

Muitas vezes, quando falamos sobre os nossos filhos, dizemos que somos capazes de dar a vida por eles, mas… Será que também estamos preparados para lhes dedicar todo o tempo que eles precisam, no meio da nossa tão ocupada agenda?

A vida contemporânea obriga-nos a dividirmo-nos em várias funções, a fim de poder fazer parte deste mundo globalizado e pós-moderno.

A parashá faz-nos ver esse ponto numa mudança de ordem, entre uma pergunta e uma resposta. A mudança parece muito subtil e quase passaria despercebida, mas os nossos exegetas nos ensinam que nada é acidental no texto bíblico:

Então eles se aproximaram dele [de Moisés] e disseram: construiremos cercas aqui para o gado e cidades para os os nossos filhos

Na resposta de Moisés, encontramos a chave para muitas questões da vida moderna: Qual é o lugar dos nossos filhos na nossa lista de prioridades? Que lugar têm nossa vida profissional ou comercial?

Moisés ouviu as tribos de Rúben, Gad e a metade de Menashe colocarem o gado à frente dos seus próprios filhos (pois primeiro disseram «cercas para o nosso gado» e somente depois «cidades para os nossos filhos»). Eles colocaram os seus bens materiais à frente dos seus filhos. Colocaram em primeiro lugar as suas ocupações, e só depois a família.

Quando estamos focados em resolver situações de trabalho, sentimos que elas têm prioridade, mas o tempo que não passamos com os nossos filhos hoje, quando não lhes contamos uma história antes de dormir, quando não os vemos jogar um jogo de futebol, quando não vamos ao cinema com eles ou quando não fazemos a tarefa de casa com eles, é tempo precioso que estamos perdendo. Tempo insubstituível, tempo que ninguém além de nós pode partilhar com eles. Portanto, Moisés respondeu aos representantes das tribos na ordem inversa à sua abordagem:

[E Moisés lhes respondeu:] Construí cidades para os vossos filhos e cercas para o vosso gado (Bamidbar, 32: 16 e 24).

É muito mais importante investirmos o nosso tempo e os nossos esforços no cuidado dos nossos filhos, do que colocarmos primeiro a nossa preocupação pelo sucesso no mundo material, pensando erroneamente que, ao sermos capazes de lhes podermos dar bens materiais, garantiremos o seu crescimento saudável e a sua felicidade.

E, embora trabalhemos e lutemos para ganhar dinheiro, a fim de dar o melhor aos nossos filhos, não devemos esquecer que o melhor que lhes podemos oferecer não é nada além de nós mesmos, já que nenhum bem material no mundo pode substituir o tempo e a atenção que lhes dedicamos.

Edith Blaustein

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *