Parasha da Semana – Vayelech

Vayelech

Pelo rabino Reuven Tradburks

Vayeilech é a Parasha mais curta da Torá. A parashá inteira é um capítulo de apenas 30 versos.

1ª aliya (Devarim 31: 1-3) Moshe vai. E fala a todo o povo. Tenho 120 anos. Não vos levarei à terra; D’us guiar-vos-á. E Yehoshua conduzir-vos-á. Moshe enfatiza que nenhum líder é indispensável. É D’us quem conduz. Yehoshua assumirá o seu lugar como líder, mas como parceiro do Divino. A parashá é chamada Vayelech por causa da primeira palavra. Moshe foi. Para onde foi ele? Ibn Ezra disse que foi a cada tribo para informá-los de que não os lideraria, de que estava prestes a morrer, e para abençoá-los. A airosa despedida de Moshe é preciosa; Eu fiz o que fiz. Agora é hora de Yehoshua liderar o próximo capítulo.

2ª aliya (31: 4-6) D’us fará por vós, como fez com Sichon e Og. Sede fortes e firmes, não tenhais medo nem vos preocupeis; D’us estará convosco. Ele não vos deixará.

Estes versículos são instrutivos. Moshe repete a necessidade de serem fortes, de não se preocuparem, e que D’us não os abandonará. A duplicação de expressões é a maneira de Moshe dizer que isso não será fácil. Não penses que a aliança com o Divino torna a vida fácil. Ele está contigo, mas tens que ser um participante ativo do teu próprio destino.

3ª aliya (31: 7-9) Moshe chamou Yehoshua, e na frente de todo o povo instruiu-o a ser forte e corajoso. Pois D’us estará contigo; Ele não te abandonará, então não tenhas medo. E Moshe escreveu a Torá deu-a aos portadores do Aron. Moshe encoraja muito Yehoshua – sê chazak, forte, e amatz, poderoso. Não tenhas medo. Embora Moshe tenha dito exatamente a mesma coisa ao povo, ele garante a Yehoshua o sucesso. Moshe está a abordar os medos de Yehoshua. Pois embora haja uma promessa ao povo judeu, quem sabe se eu, Yehoshua, mereço ser o líder. Talvez eu seja indigno. Esta é a humildade saudável que todos os líderes devem demonstrar. Quem sou eu para liderar este grande povo.

4ª aliya (31: 10-13) Hakhel: A cada 7 anos, durante Sucot, quando todo o Israel se reúne, lede esta Torá, para que todos aprendais a ter admiração e a observar a Torá. Depois de encorajar Yehoshua, Moshe escreve a Torá e aprendemos a mitsvá de Hakhel – a leitura pública da Torá a cada 7 anos. E embora Hakhel seja uma mitsvá significativa, o seu aparecimento aqui é curioso. Moshe está em transição. Ele está a despedir-se. Yehoshua está a ser investido. Porquê cumprir a Mitzvah de Hakhel, de ler e ensinar as pessoas a temer a D’us? Talvez, e isto é uma conjetura, a mitsvá de Hakhel não seja ensinar o povo, mas ensinar o rei. O Rei deve ler a Torá perante o povo. Talvez esta seja a versão da Torá do «desconforto dos 7 anos». Os líderes, as empresas e as instituições geralmente fazem mudanças a cada ciclo de 7 anos. Após 7 anos, faz um balanço. Onde estás? Para onde te diriges? Estás no caminho certo? Moshe está a instruir Yehoshua. Deves liderar o povo para ser um servo de D’us. Quando fores líder, acontecerá muita coisa que pode tornar-te excessivamente confiante, arrogante, ou talvez medroso, pessimista. A cada 7 anos, pega na Torá e lê-a; faz um balanço, publicamente. Reinicia-te, perante todo o povo. Quando eles virem isso, será uma lição através do exemplo. Eles também farão um reinício para serem servos do povo e de D’us.

5ª aliya (31: 14-19) D’us chama Moshe e Yehoshua. Aparece uma nuvem. Ele diz: este povo irá atrás de ídolos e abandonará a Minha aliança. Deixá-los-ei. Ocultarei o Meu rosto deles e sentirão que os abandonei. Certamente, ocultar-Me-ei deles. Escreve esta canção. Ensina-lhes isto, para que seja um testemunho para eles. Esta aliya torna-se difícil. Agora não é Moshe a falar, mas D’us a falar com Moshe e Yehoshua. Os judeus rebelar-se-ão. E Hashem retirar-Se-á, deixará os judeus sujeitos a quaisquer calamidades que lhes aconteçam. Este versículo contém um grande mistério teológico: «Ocultarei o Meu rosto deles». Arrepiante. E repete-se: Certamente, ocultar-Me-ei. O maior desafio teológico, colocado no nosso tempo pela tragédia insondável do Holocausto, deve lidar com este eclipse Divino – A ocultação do Seu Rosto. Quando e porquê oculta Ele o rosto? A Torá afirma-o, mas não o explica. E enquanto a história judaica está repleta de tragédias, aparentemente momentos deste eclipse divino, pelo menos no nosso tempo somos aquecidos pelo oposto: nós, que retornámos à Sua terra, somos aquecidos pelo resplendor do Seu rosto sobre nós.

6ª aliya (31: 20-24) Levarei o povo à terra, mas eles reagirão ao sucesso com rebelião. Que esta canção esteja pronta para quando isso ocorrer. Moshe escreveu a canção, ensinando-a ao povo. Ele encarregou Yehoshua novamente de ser forte. Moshe parece ser generoso com Yehoshua, como se dissesse: «quando as coisas ficarem feias, não te sintas culpado. Tudo o que podes fazer é liderar. Se o povo te segue ou se rebela, não é culpa tua. Sê forte.» A generosidade para com o próximo líder, fazendo de tudo para ajudá-lo a ter sucesso, é o sinal de um líder que lidera não por seu próprio ego, não gostando que o próximo líder seja melhor do que ele, mas sim de um líder que lidera como um servo do povo, desejando apenas o seu sucesso do povo.

7ª aliya (31: 25-30) Moshe ordenou aos Leviim que colocassem a Torá ao lado do Aron, como um testemunho permanente. Pois eu conheço este povo e eles são teimosos e rabugentos. Reúnam todos os líderes para que eu possa admoestá-los, pois tenho certeza de que depois de minha morte, haverá deslealdade. E Moshe recitou ao povo as palavras da canção. A canção à qual Moshe continua a referir-se parece ser Haazinu, a próxima parashá. A história terá sua cota parte de surpresas. Mas haverá episódios na história que, embora trágicos e cheios de sofrimento, não precisam de constituir crises teológicas. No alvorecer da nossa história já esperamos o inesperado, enfrentando a história com um sentido sóbrio de sucesso e desafio.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *