Parasha da Semana – Chayei Sarah

Parasha Chayei Sarah

Pelo Rav Reuven Tradburks

A nossa Parasha é a transição de Avraham e Sara para Yitzchak e Rivka; Sarah morre no início da parashá, Avraham no final. Avraham compra Maarat Hamachpela, onde Sarah é enterrada. Avraham instrui o seu servo a viajar para a terra de Avraham para trazer uma esposa para Yitzchak. Ao chegar, o servo pede a D’us que lhe mostre a pessoa certa, aquela que lhe dará de beber, a ele e aos seus animais. Rivka aparece, faz o que ele esperava. Ele conta a história à família dela. Eles concordam que ela é a pessoa certa. Ytzchak cumprimenta-os à sua chegada e casa com Rivka. São mencionados os outros filhos de Avraham. Avraham morre. São mencionados os descendentes de Yishmael.

1ª Aliá (23: 1-16). Sarah morre aos 127 anos em Kiryat Arba, Chevron. Avraham precisa de comprar um lugar para enterrá-la. Ele é tratado com nobreza e respeito. O povo quer dar-lhe um terreno, enquanto ele insiste em comprá-lo. Ele tem sucesso na compra de Maarat Hamachpela.

Avraham  conquistou claramente o respeito e a admiração do povo. Ele, por sua vez, trata o povo com grande respeito, curvando-se duas vezes. As promessas feitas a Avraham, de fama, fortuna e família, foram todas cumpridas. Yitzchak nasceu, Avraham é um homem de grande destaque, as pessoas chamam-lhe «príncipe de D’us», e  é rico. Mas, e a promessa de que ele teria a terra de Israel? Ele não tem nem mesmo uma campa. Fama, fortuna e família: sim; pés assentes na terra: não.

2ª Aliá (23: 17-24: 9) Sara é enterrada. Avraham pede ao chefe dos seus criados que jure não deixar Yitzchak casar com uma cananeia. Em vez disso, «vai à minha terra, à minha terra natal» para encontrar uma esposa para Yitzchak. Não leves Yitzchak para lá. Se ela se recusar a vir, fizeste tudo o que podias.

Sim, Avraham dirige-se ao chefe dos criados. Embora comumente nos refiramos a ele como Eliezer, o seu nome não aparece nesta história. Ele não é a única pessoa anónima a influenciar profundamente a história do povo judeu. O seu lugar está a par do homem que José encontrará no seu caminho quando vai ver os seus irmãos, o homem que o conduz na direção deles. Ambos sem nome. Como para perguntar: será ele que está a encontrar uma esposa para Yitzchak, ou será Ele que está a encontrar uma esposa para Yitzchak? Muitos mensageiros usa Ele.

E por que Avraham insiste tanto em enviar o seu servo «para a minha terra, o meu local de nascimento»? Não podemos deixar de ouvir um eco de Lech Lecha – «da tua terra, do teu local de nascimento» – como foi dito a Avraham. Pode ser que Avraham esteja a procurar uma mulher para liderar a nova geração do povo judeu que seguirá os seus passos. Literalmente. Ele está à procura de uma mulher que siga os passos de Sarah. Sarah, não apenas Avraham, também deixou a sua terra, o seu local de nascimento, a casa da sua família, para viajar para a terra de Israel. Esta nova geração será liderada por uma mulher que também deixará a sua terra, o seu local de nascimento e a casa dos seus pais.

Seguir estes passos animará a vida de Yitzchak e Rivka. Ytzchak fará muitas das coisas que Avraham fez – cavar poços, ir para Gerar. Rivka seguirá os passos de Sarah: Sarah mandou Yishmael embora, Rivka fará com que Esaú seja mandado embora do povo judeu.

3ª Aliá (24: 10-26) O servo chega à cidade de Nachor. Ele pede um sinal a D’us; a mulher que me der de beber, a mim e aos meus camelos, será a pessoa certa. Rivka aparece e faz exatamente isso. Ela diz-lhe que é da família de Nachor. E há comida para os camelos e espaço para ele ficar. O homem curva-se perante D’us.

Rivka não vai apenas seguir os passos de Sarah, deixando a sua casa para ir para a Terra de Israel. Ela também segue os passos da bondade. Na história da generosidade de Avraham e Sarah para com os 3 homens no início de Vayera, há 2 «ratz» (corre) e 2 «maher» (rápido). Rivka tem 2 «maher» e 1 «ratz» aqui, e depois outro quando corre para casa. E Avraham ofereceu aos seus convidados «um pouco de água». Também aqui o servo pede «um pouco de água». Não tenho certeza de que tirar água para 10 camelos seria chamado de «um pouco» – mas nem um pio de objeção por parte de Rivka.

4ª Aliá (24: 27-52) Rivka corre para contar à mãe. O seu irmão Lavan cumprimenta o homem e dá-lhe as boas-vindas. Mas antes de comer, o homem insiste em relatar o que acabou de acontecer. Ele relata que é servo de Avraham. E que Avraham foi abençoado. E a promessa de trazer uma esposa para Yitzchak, da sua família. E do seu acordo com D’us. E que se a mulher fizesse o que ele disse, ele veria isso como um sinal. E a sua reverência a D’us. Termina perguntando se Rivka se deve juntar a ele. Eles respondem que sim; ele curva-se a D’us.

É divertido ler finais felizes. Até mais do que uma vez. Os comentários abordam o detalhe com que a Torá repete a história, desta vez contada pelo servo. Eles exploram a história em busca de lições.

Mas uma lição que salta à vista é o facto de mencionarem D’us. Este servo fala muito de D’us. Mas não é apenas o servo; Lavan e Betuel respondem «isto veio de D’us», «ela irá, como D’us disse». Falar sobre D’us não parece estranho para eles. Talvez este seja o efeito persistente da influência de Avraham; mesmo depois de todos esses anos longe da família, a influência da sua crença em D’us ainda persiste. E o servo, a linguagem do chefe dos criados é uma linguagem profundamente religiosa – ele certamente foi muito influenciado pelo chamamento de Avraham em nome de D’us.

5ª Aliá (24: 53-67) O servo está pronto para partir. Quando a mãe e o irmão de Rivka pedem um pouco mais de tempo, o servo pressiona-os. Eles perguntam a Rivka o desejo dela; Ela vai. Eles abençoam-na. Após a sua chegada ao Negev, Yitzchak está a vir de Beer L’chai Roi. Ele vê os camelos; ela vê-o. Yitzchak é informado de tudo o que ocorreu. Ytzchak e Rivka casam.

Com a missão de encontrar uma esposa para Yitzchak tendo sido bem-sucedida, alguém está em falta neste retorno: Avraham. Eles viajam diretamente para Yitzchak. Rivka e ele casam. E Avraham não é ouvido novamente. Uma verdadeira passagem de testemunho.

Porque é necessário dizer-nos que Yitzchak estava em Beer L’chai Roi? Na verdade, ele volta para lá e reside lá após a morte de Avraham. Porquê? Esse é o lugar onde Yishmael foi salvo da quase morte depois de ser banido por Sarah. Talvez Yitzchak se arrependa do banimento de Yishmael e queira fazer as pazes com o seu irmão. Veremos que ele faz o mesmo mais tarde com os seus próprios filhos; parece querer que Yaakov e Esav continuem o seu legado. Os homens parecem querer a reconciliação; as mulheres vêem a necessidade de serem definitivas. Sarah bane Yishmael. Rivka bane Esav. No entanto, Avraham está relutante em mandar Yishmael embora e Yitzchak busca a reconciliação com Yishmael e procura abençoar Esav.

6ª Aliá (25: 1-11) Avraham casa com Keturah; eles têm 6 filhos. Tudo o que Avraham tem vai para Yitzchak; os outros filhos são enviados para o leste com presentes. Avraham morre aos 175 anos; ele é enterrado por Yitzchak e Yishmael em Maarat Hamachpelah. Yitzchak é abençoado por D’us. Ele mora em Beer L’chai Roi.

A transição de Avraham para Yitzchak está completa. Embora D’us tenha sido um parceiro silencioso nesta parashá, aqui Ele completa a transferência de gerações – Ele abençoa Yitzchak. O povo judeu será Yitzchak e não Yishmael.

7ª Aliá (25: 12-18) São enumeradas as gerações de Yishmael. Yishmael morre. Os seus descendentes moram desde o Egito à Assíria.

A história de Yishmael é breve. Tem uma descendência vasta e poderosa. A brevidade é para enfatizar que a Torá não está tão interessada na história do poder quanto na história da aliança de D’us com o povo judeu. E isso será narrado longamente.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.