Genie Milgrom, escritora e pesquisadora, reúne com o Papa Francisco

Genie Milgrom, escritora, pesquisadora e grande amiga da Shavei Israel,  reuniu-se com o Papa Francisco na biblioteca privada do Vaticano esta semana. A audiência privada foi organizada pelo Rabino Avi e Nehama Tawil, líderes do Centro da Comunidade Judaica Europeia em Bruxelas. Genie foi acompanhada por seu marido Michael Milgrom e vários membros do EJCC.

Há mais de 8 anos que Genie Milgrom tem trabalhado incansavelmente para digitalizar os Processos da Inquisição a nível mundial. Estes Processos contêm as genealogias Pré-Inquisição dos descendentes dos Coversos ou Cripto-judeus, bem como dos Sefarditas que saíram de Espanha na Expulsão de 1492. Dentro de cada Processo, existem genealogias detalhadas dadas pelos detidos, que praticavam o judaísmo clandestinamente. A razão é que os Inquisidores podiam seguir as genealogias e ao mesmo tempo prender também os seus familiares, mesmo vivendo noutras cidades ou países.

Muitas portas se fecharam na cara de Genie Milgrom e muitas paredes de pedra se ergueram perante os seus repetidos pedidos, efetuados pessoalmente, por telefone e por e-mail. Os países que fecharam as suas portas são Espanha, Canárias, México, Colômbia e Peru. Cada um desses países tinha Tribunais da Inquisição. Teve sucesso noutros países, mas Espanha e o México são considerados muito importantes para seguir a diáspora das muitas famílias judias que viviam em Espanha antes da Inquisição. Genie tem sido implacável, mas os governos e os diretores de arquivos têm sido mais fortes, ao não permitir que este projeto avance.

São muitos os historiadores que concordam em que o número aproximado de judeus presentes em Espanha antes de 1492 era de cerca de 300.000, mas não existe um número exato e certo que os mesmos historiadores nos possam dar. Destes, o consenso parece ser que 100.000 partiram em 1492 para o Império Otomano e outras terras, 100.000 ficaram e passaram para a clandestinidade para praticar a sua religião fingindo serem católicos e 100.000 foram assimilados e perderam-se para o povo judeu.

Genie Milgrom pertence ao grupo cuja família ficou e passou à clandestinidade em 1391. Durante séculos, fingiram ser católicos. Genie retornou ao povo judeu e pôde seguir a sua própria linhagem, e finalmente encontrou uma linha materna ininterrupta que remontava a 22 avós. Isso levou mais de 12 anos e Genie entendeu claramente que se aqueles registros da Inquisição não fossem digitalizados para serem carregados para a Internet, o trabalho e o custo seriam proibitivos para a maioria das pessoas, e, assim, começou a sua missão para a digitalização global massiva desses processos. Esta iniciativa histórica permitirá que os Sefaraditas que saíram durante a expulsão também possam se conectar com as suas identidades e histórias.

Durante a sua audiência, Genie Milgrom pôde explicar claramente ao Papa Francisco o significado histórico da digitalização, bem como as lutas atuais em cada país. O Papa ficou entusiasmado em ajudar e designou um emissário papal para trabalhar lado a lado com Genie e obter resultados positivos. Um momento verdadeiramente significativo e histórico para recuperar a identidade daqueles cuja linhagem se perdeu durante a Inquisição Hispano-Portuguesa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *