Do livro «Simbolismo judaico na Cattolica di Stilo»

O monumento nacional Cattolica di Stilo (uma igreja bizantina no sul da Itália) não deixa de nos surpreender por sua capacidade de ser também representativo de um entrelaçamento histórico, cultural e artístico que pertence a toda a nossa querida Calábria. De fato, um importante testemunho de um simbolismo imposto aos judeus da Idade Média está presente em um fresco da Cattolica di Stilo, na província de Reggio Calabria. Trata-se do Rotella, um distintivo símbolo judaico imposto na Europa desde 1215. A pesquisa foi publicada em 18 de setembro de 2020 pela Brenner Editore com o volume intitulado: Simbolismo judaico na Cattolica di Stilo.

Esta publicação é o resultado de uma síntese do estudo das tradições judaicas, com evidências das simbologias, do Dr. Pugliese, e das habilidades específicas do Dr. Vincenza Triolo, catalogador, pesquisador, estudioso e especialista em História e Conservação do Patrimônio Cultural. Este último destacou e iniciou uma investigação técnica e científica aprofundada com o auxílio de levantamentos direcionados e do uso de tecnologias para o estudo, conservação, salvaguarda e valorização do Patrimônio Cultural.

A atenção dada ao distintivo símbolo judaico dá o ponto de partida para notícias, reconstruções, conexões, considerações e reflexões muito interessantes sobre a presença judaica no sul da Itália em diferentes períodos históricos, desde a diáspora até a expulsão dos judeus em 1541.

O estudo, realizado sobre um pequeno mas importante detalhe simbólico, a Rotella Judaica, ajuda a evidenciar um período florescente mas também sombrio para os habitantes do território da Calábria e em particular para a população judaica. Na publicação O simbolismo judaico na Cattolica di Stilo também são abordadas questões como: Marranismo, a Limpieza de sangre e a herança de bens de interesse demo-etno-antropológico da cultura e legado judaicos.

No legado das tradições populares destaca-se o «topo cúbico» com as letras latinas Accipitotu, encontrado na coleção do Museu Etnográfico e de Folclore de Palmi (RC), que lembra o sevivon ou dreidel usado na tradição judaica para a festa de Chanuká. Um topo cúbico semelhante é objecto de estudo demo-etno-antropológico também na Sardenha, onde está presente na tradição popular.

Com este estudo pretendemos chamar cada vez mais a atenção e valorizar momentos particulares e importantes da história calabresa para uma reconstrução histórica da identidade cada vez mais apurada, que estimula, nutre e aumenta a memória colectiva. O valor intrínseco e extrínseco da novidade editorial e o motivo da publicação são justamente destacar, conectar almas e territórios, criar novas e melhores consciências que possam finalmente iluminar o nosso futuro caminho comum para uma Calábria que não deixará de surpreender pelo seu passado nobre e pelo o exemplo milenar de união e síntese de diferentes culturas.

A presença judaica na Calábria deve ser considerada constitutiva da nossa memória e da nossa história, e não se pode excluir que remonta ao primeiro século da Era Comum, ou mesmo antes. A expulsão dos judeus causou, por exemplo, uma perda de civilização, de progresso material e espiritual, prejudicando não só a população judaica, mas toda a comunidade meridional e calabresa, cujos efeitos ainda estão presentes hoje.

O sofrimento da idade das trevas de que falamos e que os judeus calabreses viveram, infelizmente, se replicou de diferentes formas durante a prisão e concentração de milhares de judeus, especialmente estrangeiros e perseguidos politicamente em Ferramonti di Tarsia, durante os eventos trágicos e persecutórios ligados ao Fascismo e suas leis raciais de 1938. O conhecimento torna-se essencial para a construção de um diálogo compartilhado dentro da valorização do Patrimônio Cultural da Identidade, com vista ao respeito e à convivência entre as culturas.

Aprofundar o significado histórico da Rotella da Cattolica di Stilo destacada na iconografia da Dormitio Virginis, representa hoje sem dúvida um novo estímulo ao conhecimento, à pesquisa histórica e sobretudo à reflexão. Portanto, esta obra, certamente interessante, enriquecerá a memória e a cultura coletiva calabresa, projetando-se em temas extremamente atuais como a relação entre identidade, memória e cultura, para a construção de um novo humanismo que saiba apreciar e valorizar a riqueza das culturas minoritárias.

Tradução do artigo publicado originalmente em italiano no Il Dispaccio

One thought on “Do livro «Simbolismo judaico na Cattolica di Stilo»

  • November 17, 2020 at 8:14 pm
    Permalink

    Shalom.
    Oi u não sei informar com precisão,
    Mas, eu acompanhei uma reportagem na TV aberta que em uma região da Itália, eles estavam vendendo casas no valor de €1 (um euro). Porque o lugar estava relativamente abandonado, tinha poucos moradores, e eles queriam trazer a população de volta. a pessoa só teria que arcar com as despesas de documentação, reforma, mas mesmo assim com um auxílio do governo local.
    Eu não prestei atenção exatamente no local.
    Mas, eu acredito que é o mesmo lugar onde se descreve neste artigo, pois o caso é o mesmo.
    um lugar bonito, de rios com águas cristalinas, em meio a uma natureza exuberante. Eu não vi sentido das pessoas não quererem morar lá.
    A onde Deus abençoa é abençoado, e onde Deus amaldiçoa é amaldiçoado.

    Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published.