DALIA NETZER: PROFESSORA, EDUCADORA E INOVADORA

Às vezes, os professores sentem-se especialmente ligados a um determinado assunto ou população específica. E às vezes um professor sente-se ligado a ambos, de uma forma marcante, que faz toda a diferença para os seus alunos. Conheça Dalia Netzer, uma professora de hebraico maravilhosa, dedicada e muito amada, que trabalha com os Bnei Menashe há dez anos. 

Onde mora?
Moro no Moshav Kfar Yehoshua.

Há quanto tempo dá aulas aos Bnei Menashe? 
Trabalho com os Bnei Menashe desde 2012.

Pode falar-nos sobre os seus alunos e sobre as disciplinas que ensina?
Profissionalmente, ensino hebraico como segunda língua. Na Shavei Israel, sou responsável pelo setor de hebraico.

Em 2012, ensinei hebraico num seminário da Shavei Israel na Índia. Sempre que há uma aliá, eu dirijo o ulpan de hebraico nos centros de absorção para Bnei Menashe em Israel. Nos períodos entre as chegadas de novos imigrantes, cuido principalmente do apoio a professores de hebraico e a aulas de ulpan nas escolas. Trabalho com todas as idades. Ao longo dos anos, também escrevi materiais para ensinar hebraico aos Bnei Menashe, bem como dicionários de hebraico-kuki e hebraico-mizo.

Como é dar-lhes aulas, trabalhar com eles?
Para ter sucesso no trabalho com os imigrantes é muito importante conhecer a sua cultura, que é única, ouvi-los, aprender com eles, partir da humildade e, claro, abrir o seu coração. O professor deve estar familiarizado com as características dos alunos: a formação educacional na Índia, as formas típicas de aprendizagem, os seus pontos fortes e o que precisa de ser fortalecido, a relação professor-aluno e muito mais. Eles vêm de uma cultura muito diferente, e é por isso que trabalhar com eles é tão desafiador e interessante.

Pessoalmente, o conhecimento dos Bnei Menashe abriu um mundo novo para mim. Eu tive que aprender muito para encontrar a maneira certa de ensinar o idioma, e ainda estou sempre a aprender.

Alguma história ou episódio que gostaria de partilhar, sobre sua experiência com os Bnei Menashe?
Quando estou com os Bnei Menashe, é importante para mim não ser apenas uma professora, mas também uma aluna. Eu tento estudar sempre. Lembro-me que cerca de um ano depois de voltar da Índia, um grupo de imigrantes de Manipur veio para Israel. Como eu tinha voltado de lá há pouco tempo sabia de onde eles vinham, e percebi o quão dramática é a mudança da imigração. Então partilhei com um dos membros mais idosos da comunidade os meus sentimentos sobre o quão difícil a transição é para mim. Ele respondeu-me com uma típica resposta: 

“E daí se é difícil?…”

Essas palavras ficaram comigo desde então. Percebi, e desde então aprendi repetidamente, que essas palavras não vieram do desprezo pelas dificuldades, De’s nos livre, mas da resiliência e da capacidade de enfrentamento. Essas palavras simbolizam para mim a força interior dos Bnei Menashe, a sua resiliência, a sua contenção, a sua capacidade de aceitar as dificuldades, de viver e enfrentá-las, a conexão e o desejo de viver na terra, a fé. Tudo isso  dá-lhes força diante dos desafios do dia a dia.

Também descobri a responsabilidade comunitária e a assistência mútua, a mobilização uns pelos outros. Tudo isto em conjunto é uma força impressionante; é difícil imigrar para Israel, mas, “E daí se for difícil?” Enfrente as dificuldades que encontramos e faça o que deve ser feito. 

Fotos: Laura Ben David

Leave a Reply

Your email address will not be published.