Como Wen-Jing se tornou “Shalva”!?

No domingo passado, Jin Wen-Jing, uma estudante de 18 anos, da aldeia de juventude Yemin Orde, esteve em um tribunal de conversão em Haifa sob os auspícios do Rabinato Chefe.

Após administrarem um exame oral destinado a avaliar seu compromisso com o Judaísmo, assim como seu conhecimento na lei e na tradição judaica, os três rabinos que compõem o Beit Din [tribunal rabínico] informaram a Wen-Jing que haviam decidido aceitá-la como uma judia.

Falando em hebraico fluente, Wen-Jing foi rápida em expressar sua alegria e alívio com a decisão do tribunal. “Eu estava muito nervosa, mas agora estou muito feliz”, disse ela. “Este sempre foi o sonho da minha família – voltar às nossas raízes.”

Wen-Jing chegou a Israel há quatro anos com seus pais. Seu pai, Jin Guang Yuan, que agora atende pelo nome de Shlomo, é um descendente direto da comunidade judaica que existiu por quase mil anos, na cidade de Kaifeng.

O pai de Wen-Jing ainda carrega com ele uma cópia de seu cartão de identificação interna chinesa, que lista sua nacionalidade como “Youtai” ou, Judeu. Ele e sua esposa esperam seguir os passos de sua filha e passar pela conversão em breve.

Desde sua chegada a Israel, Wen-Jing estuda em Yemin Orde, sob a orientação do diretor da aldeia de juventude, Dr. Chaim Peri e do Rabino Zev Rubens, um educador que supervisiona o programa de conversão da escola, ambos os que a acompanharam ao Beit Din.

Wen-Jing decidiu adotar o nome ´Shalva´ (serenidade), que é a tradução hebraica de seu nome em chinês. Atualmente, no meio de seus exames de finalização do ensino básico, Shalva, em breve entrará no programa de Serviço Nacional (Sherut Leumi) para meninas religiosas, servindo no Hospital Shaarei Zedek, em Jerusalém.

Por que ela decidiu se converter?

“D’us escolheu o povo judeu para ser o Seu povo, e eu queria ser parte dele”, disse Shalva, sorrindo. “D’us realizou muitos milagres para Israel”, disse ela, acrescentando, “O fato de eu ter chegado aqui da China, e percorrido todo este caminho até aqui, de volta ao meu povo, também é um milagre”!