Precisamos do seu apoio mais do que nunca!

Precisamos do seu apoio mais do que nunca!

Shalom!
Nos últimos anos, a Shavei Israel tem prestado serviços de forma incondicional a comunidades judaicas emergentes em todo o mundo. Também ajudámos muitas pessoas no seu processo de conversão ao judaísmo, fornecendo-lhes assistência e orientação. Temos colaborado com diferentes grupos e pessoas de todo o mundo na sua aproximação ao judaísmo e às suas raízes judaicas e fortalecemos estes laços.
A viagem ao judaísmo destes grupos é um poderoso testemunho do impacto do nosso trabalho, e estamos gratos por termos formado parte da experiência que mudou a vida de muitos.
Agora, precisamos do seu apoio mais do que nunca para continuar o nosso trabalho essencial. A sua contribuição pode ajudar-nos a guiar e a ajudar mais pessoas no seu caminho para o judaísmo e no seu retorno à terra de Israel.
Por favor apoie-nos através do seu amável donativo ou de espalhando a palavra sobre a nossa causa. Juntos, vamos construir um futuro melhor para todos aqueles que procuram o caminho de volta para casa.
Para fazer um donativo através do PayPal:

Visite nosso site:https://www.shavei.org/pt-br/support-us/

Para fazer uma transferência bancária estando em Israel, os dados bancários são:
Nome do beneficiário: Shavei Israel
Contato beneficiário: +972 26256230
Endereço do beneficiário: Am veOlamo 3, Givat Shaul, Jerusalém
Nome do banco: Banco Leumi
Filial: Rejavia
Código da sucursal: 912
Endereço do banco: 21 Rambam St. Jerusalém, Israel
Código Postal. 92422.
Número de conta em shekels: 049065/58

Donativos estando fora de Israel:
Número da conta em dólares: 049065/78
Código SWIFT: LUMIILITXXX

IBAN: IL740109120000004906578

Com sincera gratidão,
Shavei Israel
Nova vida para artigos judaicos antigos

Nova vida para artigos judaicos antigos

Há dois anos, um grupo de mulheres de Beit Shemesh reuniu-se para acolher calorosamente os mais novos imigrantes Bnei Menashe com presentes de artigos judaicos e muito mais. Uma dessas mulheres, Brenda Ganot, abriu uma filial da Heritage Judaica em Israel, com sede em Beit Shemesh, e coletou itens judaicos novos e pouco usados.

O projeto Heritage Judaica foi iniciado há vários anos pelo amigo de Brenda, Adam Schwartz, de Minneapolis (um participante do programa 248 JAFI). Ele teve a ideia de coletar itens judaicos excedentes de famílias que não precisam deles e entregá-los a novos lares judaicos. A iniciativa está forte e Adam coletou e distribuiu milhares de itens na América do Norte, com filiais em Cleveland, Chicago, Miami e Boston.

Como membro da equipa do programa 248 – The Global Network of Jewish Doers (The Jewish Agency), Brenda duplicou a ideia de Adam há 4 anos e criou uma filial da Heritage Judaica em Israel, com sede em Beit Shemesh.

Recentemente, Brenda fez uma doação de algumas belas peças de artigos judaicos, placas de chalá, copos de kiddush, hagaddahs de Pesach e muito mais, destinados a alguns dos muitos novos imigrantes em Israel e novos convertidos que a Shavei Israel ajuda. Somos incrivelmente gratos por sermos destinatários da dedicação de Brenda e já começámos a distribuir as suas últimas contribuições para os novos olim (imigrantes para Israel) e convertidos que estão a começar as suas vidas judaicas e ficam muito agradecidos.

Encontrando esperança e inspiração na Índia

Encontrando esperança e inspiração na Índia

“O que está a acontecer aqui é mesirat nefesh (auto-sacrifício)”. É assim que Meir Phaltuel, o nosso emissário israelense que atualmente trabalha com as comunidades de Bnei Menashe no nordeste da Índia, descreve a atmosfera geral. E Meir não é um estranho, de forma alguma. Antes de ter feito aliá, em 2014, ele mesmo vivia nestes mesmos lugares que agora está a visitar. Portanto, conhece a língua, as pessoas, os costumes, o meio ambiente. E agora embarcou numa viagem de 40 dias, a fim de fornecer apoio e força às comunidades de Bnei Menashe, principalmente nas cidades e pequenas aldeias de Mizoram e arredores, mas também em campos de refugiados para aqueles cujas casas foram queimadas em Manipur devido à atual agitação na região.

Durante o resto do ano, Meir Phaltuel trabalha como coordenador de Bnei Menashe para o município de Nof HaGalil, onde também reside com a sua esposa e cinco filhos. Meir reflete sobre sua própria viagem de fazer aliá para Israel há mais de uma década como “um grande milagre”. Agora, regressar ao seu país natal dá-lhe uma nova sensação de apreço pela sua própria viagem. “É um grande privilégio para mim. O meu sonho de fazer aliá tornou-se realidade, e depois de 10 anos, tenho a oportunidade de sair e ajudar a minha comunidade, a minha tribo, a minha família”.

Isso não significa que sua missão no nordeste da Índia seja de forma alguma simples. O anti-semitismo nessas áreas é desenfreado e o simples fato de andar na rua com um yarmulke (kipá) à vista faz com que as pessoas geralmente zombem. “Às vezes é até perigoso”, comenta Meir. Além disso, encontrar um emprego para muitos dos membros do Bnei Menashe pode ser difícil devido ao seu impedimento de trabalhar no Shabat e, em algumas das cidades menores, às vezes pode ser difícil encontrar pessoas suficientes para fazer os serviços.

Há também os desafios especialmente difíceis dos deslocados para os campos de ajuda em Manipur, que Meir teve de acolher. Ela testemunhou quase uma dúzia de famílias a viver juntas num único quarto, e a comida e os suprimentos que lhes foram concedidos são bastante básicos. Um novo começo vem com os obstáculos óbvios depois de terem perdido a casa e todas as suas posses, mas também há o desafio adicional de encontrar trabalho, já que a maior parte da sua documentação legal também foi perdida. Ao mesmo tempo, encontrar uma nova casa também não é fácil, uma vez que muitos proprietários se recusam a disponibilizar-lhes o seu espaço de aluguer. “São muito infelizes”, declara Meir. Isso é tudo o que posso dizer.

No entanto, apesar dos preconceitos que têm que suportar e das dificuldades que as comunidades de Bnei Menashe enfrentam, Meir simplesmente não pode deixar de se sentir inspirado. Mesmo nas aldeias mais pequenas, demonstram um forte compromisso com viver uma vida judaica plena. “Não faltam a um minyan ou a um Shabat”, descreve ele, testemunhando a sua dedicação. O fato de os seus vizinhos zombarem deles e os ridicularizarem pela sua identidade e práticas judaicas não parece preocupá-los; “Eles simplesmente não se importam”.

Os membros também mostraram um desejo incrível de aprender e aproveitar as visitas de Meir e as aulas que ele oferece. “Se estou lá (numa aldeia em particular) por 2 dias, eles não trabalham por 2 dias”, exclama. Na verdade, é raro que recebam uma orientação tão prática, por parte de qualquer tipo de presença rabínica ou espiritual. Por isso, estas oportunidades não são dadas como certas de forma alguma, o que testemunha o seu amor e dedicação inabaláveis pela Torá e pela tradição judaica.

O seu amor e conexão com Israel não é menos impressionante. “Quando podemos fazer aliá?” perguntam a Meir. “Onde quer que eu vá… essa é a pergunta mais comum que eu recebo.” Os exemplos deste forte desejo de aliá também não estão ligados à idade. Muitas vezes, é abordado por crianças entusiastas de apenas 10 anos, que já planejam estudar Torá ou servir em unidades do exército de elite quando esse momento mágico chegar. “Eles querem oferecer algo ao país”, comenta Meir. “…é comovente, é incrível”.

Meir embarcou nesta missão com um propósito claro; fornecer apoio e orientação religiosa às várias comunidades de Bnei Menashe no nordeste da Índia. Após a tragédia mais recente em Manipur, esta viagem acrescentou um novo sentido de urgência, destacando ainda mais a sua importância. No entanto, há outra razão profunda pela qual esta viagem tem tanta importância. No processo de “retribuir” e ajudar aqueles que ainda estão na Índia, Meir foi profundamente inspirado nas comunidades que veio ajudar. O anti-semitismo continua a ser uma realidade no mundo em geral e é muito palpável para os Bnei Menashe. No entanto, apesar de enfrentar a adversidade, o compromisso inabalável com a sua identidade judaica e o seu desejo de retornar à Terra de Israel podem fornecer uma lição para os judeus de todo o mundo. “Estou muito grato”, conclui Meir, refletindo sobre a oportunidade de ter um impacto significativo nas vidas da sua comunidade.

Rabino faz acontecer na Colômbia!

Rabino faz acontecer na Colômbia!

Rav Shimon Yehoshua serve as comunidades Bnei Anusim (descendentes dos  judeus conversos à força pela Inquisição Espanhola) e candidatos à conversão na Colômbia. O rabino Shimon nasceu na Argentina e recebeu a sua ordenação rabínica em Jerusalém, no Beit Hamidrash Hasefaradí. Formou-se no Instituto Amiel, que prepara rabinos para a diáspora. Antes do seu trabalho na Colômbia, foi rabino-chefe de Pattaya, Tailândia, e foi coordenador geral do programa Bnei Akiva para a América Latina. A sua liderança e experiência rabínica serviram-lhe bem, como mostram as suas atividades atuais.

Rav Shimon informou que no dia 14 de maio foram realizados em Bogotá 70 conversões e 9 casamentos judaicos! Este mega evento reuniu pessoas que vieram de diferentes lugares da América Latina: Colômbia, Peru, Equador e México. Os dayanim (juízes rabínicos) foram o próprio Rav Shimon, Rav Shmuel Tawil e Rav Eliahu Basul. Damos os parabéns ao Rav Shimon por um evento tão importante. Além disso, um grupo de participantes que vieram do Peru ficaram para um Seminário de Liderança Comunitária que Rav Shimon deu.

Estas realizações incríveis não foram tudo o que Rav Shimon fez no mês de maio. Num Shabat recente, o prolífico rabino realizou um evento especial em Cali para 30 pessoas solteiras para promover a formação de casais judaicos.

Em Bogotá, no momento, o rabino lidera uma comunidade de cerca de 100 pessoas. Esta comunidade tem crescido nos últimos sete anos desde que o rabino começou, praticamente do zero. Ele também se dedicou a combinar minhagim (costumes) e diferentes tradições litúrgicas das orações como forma de unificar a vida comunitária. Além disso, já existem 50 ex-membros da comunidade que fizeram aliá  (mudaram-se para Israel).

O rabino também é responsável pelas outras comunidades na Colômbia. Em Cali, há duas comunidades de cerca de 50 membros cada. Há também comunidades em Medellín, Villa Vicencio e Barranquilla. Um grande parabéns a Rav Shimon pelo seu prolífico trabalho!  Desejamos-lhe a continuação de muito sucesso!

Ensaio fotográfico: Bnei Menashe – um povo em crise

Ensaio fotográfico: Bnei Menashe – um povo em crise

ENSAIO FOTOGRÁFICO: BNEI MENASHE – UM POVO EM CRISE

Estamos há cerca de seis semanas do início da violência étnica que devastou a comunidade Bnei Menashe em Manipur, no nordeste da Índia, e que não tem  fim à vista.

Um total de 292 famílias Bnei Menashe (1.190 homens, mulheres e crianças) foram forçadas a fugir de suas casas nas últimas semanas, desde que a violência começou entre as tribos Meitei e Kuki, e a maioria delas ficou sem casa e sem nada.

Continuamos profundamente preocupados e estamos a fazer tudo o que podemos para suprir as suas necessidades e ajudar neste momento difícil. Alguns dos nossos colaboradores no terreno, na Índia, tiraram estas fotos pungentes para partilhar a situação.

 

Em vez da escola e de espaços abertos, as crianças estão confinadas a um pequeno canto nos centros de socorro…

 

Chegada de outro grupo de Bnei Menashe ao centro de socorro da Shavei Israel. Todas as semanas o número de desalojados aumenta e as condições no centro de socorro são preocupantes.

 

Alguns dos refugiados Bnei Menashe no centro de socorro

 

Jovens de um centro de socorro da Shavei Israel preparando challot para o Shabat

 

Refugiadas Bnei Menashe lendo Tehillim (Salmos) num centro de socorro da Shavei Israel.

 

Colaboradores da Shavei Israel comprando itens essenciais para os refugiados Bnei Menashe, que estão no centro de socorro

 

Líderes que trabalham 24 horas por dia no centro de socorro da Shavei Israel.

 

Chegada de alimentos ao centro de socorro da Shavei Israel.

 

Prefeito [Presidente da Câmara] de Churachandpur, o Sr. Sharath Chandra Arroju, visitando o centro de socorro da Shavei Israel em B. Vengnom.

 

Refugiados Bnei Menashe recebendo alimentos da Shavei Israel pela 2a vez no centro de socorro da Shavei Israel.

 

Recebimento de alimentos e outras mercadorias essenciais da Shavei Israel.

 

Preparando-se para a 2a entrega de alimentos para toda a comunidade dentro de Churachandpur fornecida pela Shavei Israel.

 

Preparação para o Shabat

 

Comunidade Beith Hallel recebe a 2a entrega de material de socorro da Shavei Israel.

 

2a entrega de alimentos e outros itens essenciais para a comunidade Boljol  com a ajuda da Shavei Israel.

 

Beith Shalom Zohar recebendo a 2a entrega da Shavei Israel de alimentos e outros bens de primeira necessidade

 

Comunidade Beith Shalom Matiyang recebendo a 2a entrega da Shavei Israel de alimentos e produtos essenciais

 

Crianças recebendo alimentação de que muito necessitam no centro de ajuda da Shavei Israel.

 

Finalmente, depois de muito tempo, começam a sorrir . Esses sorrisos foram quase apagados pelo medo, tristeza e a urgência da fuga. Finalmente têm um pouco de paz de espírito no centro de socorro da Shavei Israel.

 

Refugiados Bnei Menashe num centro de socorro da Shavei Israel

Estamos a fazer tudo o que podemos. Você tamébm pode ajudar! Por favor, faça um donativo generoso para: Fundo de Emergência Bnei Menashe.

Crédito das fotos: Samuel Vaiphei e Rafi Tungnung