Apoiando a Israel

Num mês dramático para Israel e todos os que o apoiam, um evento extremamente marcante e especial ocorreu.

Do outro lado do Oceano, num estudio em Manhattan, um apresentador popular de radio e televisão fez um anúncio que pode ser considerado um verdadeiro marco na batalha pela verdade.

Falando para milhões de espectadores e leais ouvintes, Glenn Beck declarou que está organizando um evento denominado “Restaurando a Coragem”, que irá acontecer na capital de Israel no próximo mês de agosto.

O objetivo é simples: reunir a maior quantidade possível de pessoas de diferentes religiões para mostrar seu apoio a Israel e ao povo judeu.

“Creio firmemente que estão me pedindo para apoiar Jerusalém”, disse Beck, sabendo que muitos tem tido a oportunidade ao longo da história de apoiar o povo judeu. Ele próprio, várias vezes tem tido esta oportunidade, porém tem falhado.

“Eu escolho”, disse, “apoiar e ser contado”!

É exatamente o que você deve estar se perguntando, apoiar à Israel, o que tem a ver com coragem? Não tem muitos de nós que o fazem constantemente? O que tem de novidade nisso então?

Quando o Estado Judeu se encontra sob ataque internacional cada vez maior, e é constantemente representado de forma injusta pelos maiores meios de comunicação, essa mensagem de Beck é tão renovadora como inspiradora.

Ele não se deixa intimidar pelas elites, muitas das quais estão adotando a narrativa palestina e árabe daquilo que ocorre no Oriente Médio.

Beck observa diretamente através da obscura noção de justiça, e sem hesitar ressalta a desconcertante recusa que prevalece na mídia global de reconhecer a ameaça que representa o islamismo extremo para a civilização ocidental.

E isso é o que torna “Restaurando a Coragem” em um evento tão importante. Apesar de muitos dos detalhes ainda serem desconhecidos, certamente será mais que uma simples concentração ou encontro. Promete ser uma expressão de fé, um chamado a desafiar o pensamento prevalecente de que D-us e o mal são termos puramente subjetivos, abertos a diferentes interpretações.

Hoje em dia, é preciso coragem, muita mesmo, para parar e declarar que Israel e o Ocidente estão certos, são justos, e morais, e que nossos inimigos estão simplesmente equivocados.

Temos que nos animar e desafiar nossos líderes, nossa nação e a nós mesmos, para escutar o chamado do destino Divino e reconhecer a justiça de nossa causa.

Durante muito tempo, os israelitas tem sido maltratados e desprezados pela opinião crítica, tanto que muitos passam a acreditar e interiorizar o que dizem, ao ponto de se tornarem acusadores e os próprios agressores.

Mantras e slogans tais como “a solução dos dois estados” se converteram num estandarte, e todos os que são contra esta idéia são rapidamente rotulados de extremistas.

O evento de Beck este verão, nos oferece, a todos, a oportunidade de recobrar nosso conhecimento e reclamar a verdade.

Como ele descreveu: “As coisas em Israel ficarão mal… é só uma questão de tempo”.

“Atacarão o centro de nossa fé, nossa fé comum, e isto significa: Jerusalém. E não será mediante balas ou bombas” afirmou, “mas com a solução de dois estados, que o mundo inteiro não poderá chegar a Jerusalém nem a cidade velha”.

O momento da chegada desta mensagem não poderia ser mais crucial.

A ameaça palestina de declarar um estado unilateral e tentar obter o reconhecimento da ONU em setembro pode ser sentido no ar, assim como a possibilidade da terceira intifada. O Hamas, se uniu ao governo palestino, o Iran continua com seus esforços para construir armas nucleares.

E apesar da confusão que reina no mundo árabe, Israel encontra-se sob pressão cada vez maior para realizar concessões em momentos de uma grande incerteza.

Caso tenha êxito, “Restaurando a Coragem” será uma benção para o assediado Estado Judeu, e proverá uma tão necessitada porção de apoio e alento.

Conclamando as pessoas a unirem-se a ele, Beck invocou valores cruciais como a fé, dizendo que cada pessoa será finalmente e sem dúvida alguma, chamada a dar conta de suas ações diante do Criador.

E lembrou sinceramente aos americanos e demais que não podem ficar alheios e à margem e não fazer nada diante do mal. “Israel”, ele deixou claro, “é sim importante e me importa”! E esta é uma mensagem que ele ajudará a difundir.

Agora, sei o que provavelmente muitos de vocês estão pensando: Glenn Beck, não é o excêntrico provedor de teorías de conspiração, extravagantes afirmações e grande conservadorismo? O que é que Israel e o Povo Judeu podem ganhar com seu respaldo? A resposta é: muito. Não tem que estar de acordo com Beck em tudo, nem na maioria das coisas para ver o quanto é inerente e avassaladora a sua última iniciativa.

Para um país que não tem tantos amigos no mundo, Israel deveria agradecer a cada um que deseja apoiá-lo, inclusive se não são necessariamente da mesma opinião. Será particularmente interesante ver como as organizações judaicas americanas pensam sobro tudo isso. No passado, vários grupos liberais judaicos tem denunciado a Beck, já que pouco têm em comum a nível político.

Como seria fácil para o anfitrião da televisão dizer a si mesmo: “depois de como me trataram os judeus, por que deveria falar a favor deles?

Porém, ao colocar-se a cima das críticas, a personalidade da Fox News nos dá uma lição de como comportar-nos e não perder de vista o que realmente importa.

Sendo uma pessoa de fé, me sentí especialmente comovido quando Beck leu ao vivo no libro de Rut.

Foi notória sua emoção ao ler a declaração de Rut a moabita a sua sogra Naomí: “aonde fores eu irei, e aonde ficares eu ficarei também; teu povo será meu povo e teu D-us será meu D-us”. Isto, disse Beck, o ajudou a tomar a decisão de apoiar ao povo judeu.

A mim, pessoalmente, sua declaração lembrou-me de um versículo do livro Bereshit (12:3) onde D-us promete a Abraham e através dele a toda a humanidade: “Abençoarei a todos os que te abençoarem, e os que te amaldiçoarem amaldiçoarei”,

Note como não existe um meio termo aqui. A cada pessoa é apresentada uma clara e inequívoca escolha: abençoar aos descendentes de Abraham, os judeus, ou amaldiçoá-los.

Glenn Beck valentemente elegeu abençoar a Israel, e mediante isto unir os judeus, cristão e demais a declarar-se a favor do Estado Judeu.

Espero que sejam muitos, os que repondam a seu importante chamado.