Qual o significado da Vaca Vermelha no Judaísmo?

imagesPERGUNTA: Qual o significado da Vaca Vermelha no Judaísmo?

RESPOSTA: A vaca vermelha, era usada para purificar um israelita que havia entrado em contato com um cadáver. Este costume durou desde a construção do Tabernáculo, no deserto, até a época do Templo. O Livro dos Números, estipula que o animal deveria ser da cor vermelha, sem defeito, e não poderia ter sido usado para nenhum outro trabalho.
O ritual consistia no seguinte: Após ser abatida, a vaca era queimada. Então, madeira de cedro, hissopo e lã escarlate tingida, eram adicionados ao fogo. As cinzas restantes eram, então, colocadas em um recipiente contendo água pura e a água do vaso era aspergida, pelo sacerdote, sobre a pessoa que se tornou impura pelo contato com um cadáver, purificando-o.
De acordo com a Mishná, a cerimônia da queima da vaca vermelha acontecia no Monte das Oliveiras.
A existência de uma vaca vermelha que está em conformidade com todas as exigências impostas pela Lei Judaica, é raridade, e hoje, praticamente inexiste. O animal deve ser inteiramente de uma cor, e há uma série de testes listados pelos rabinos para garantir isso. Por exemplo, o cabelo da vaca deve ser absolutamente linear. Segundo a tradição judaica, apenas nove vacas vermelhas foram realmente abatidas no período que se estende desde Moisés até a destruição do Segundo Templo.
A dificuldade de encontrar um animal assim, combinado com o ritual detalhado em que é utilizado, classifica de maneira especial a Vaca Vermelha, na tradição judaica. Este é considerado o principal exemplo de uma “Chok”, ou seja, uma lei bíblica da qual não há nenhuma lógica aparente, e, portanto, cabe nos cumpri-lá, simplesmente, por se tratar de uma ordem divina.
O Instituto do Templo, uma organização dedicada a preparar e organizar a reconstrução do Terceiro Templo em Jerusalém, têm buscado identificar possíveis vacas vermelhas, consistentes com os requisitos da Lei Judaica. Ainda nenhuma vaca foi declarada perfeitamente qualificável.