Parashat Miketz

É difícil defini-lo já que às vezes é visto como frio (quando traz a fofoca, não avisa ao pai que está vivo) e outras vezes é muito sentimental (quando os irmãos vêm e se emociona).

Yosef vê seus sonhos como algo insinuante (uma sinal divina). É possível que essa tenha sido a razão pela qual eu não avisei ao pai que ele estava vivo, já que ele estava esperando por uma sinal celestial para fazê-lo.

Quando descobre seus irmãos, não o faz porque não suportava, pois ele controlava muito bem seus sentimentos, poderia ter ido a outro lugar e chorar em particular como fizera antes, mas decide desmascarar porque acreditava que chegou a hora.

Continue reading “Parashat Miketz”

Parashat Chaiei Sarah

Retirado do livro Ideas de Bereshit, dos rabinos Isaak Sakkal e Natan Menashe.

Conhecendo Sara

Sara, esposa de Abraão:

Sara era irmã de Abraão por parte do pai, por isso a relação entre eles era mais próxima. Viveram juntos pelo menos 70 anos, se considerarmos que Abraão casou aos 75, ou quase 100, se calcularmos que casaram mais jovens.

Continue reading “Parashat Chaiei Sarah”

Parashat Noach

Parashá Noach- O Pacto universal

Retirado do livro Más allá del versículo, do rabino Eliahu Birnbaum

Eis que estabeleço o Meu Pacto convosco e com a vossa semente e com todo o ser vivo que se encontra contigo, com a ave, com o gado e com todo o animal da Terra () Não voltará a haver um dilúvio sobre a Terra () Este é o sinal do pacto que estabeleço entre Mim e vós e todo ser vivo () Coloquei o Meu arco na nuvem, por sinal do Pacto entre Mim e a Terra.(Génesis, 9, 9-16)

Continue reading “Parashat Noach”

Parashat Balak

A maldição transformada em bênção.

Retirado do livro Más allá del versículo, do rabino Eliahu Birnbaum
E viu Balac, filho de Tsipor, tudo o que Israel tinha feito aos amorreus, e temeu muito Moab o povo de Israel (…) E Balac (…) que nesse tempo era rei dos Moabitas, enviou mensageiros a Bilam (…) Para lhe dizer: “Eis que um povo saído do Egito cobre a face da terra e agora habita frente a mim. Peço-te que maldigas esta gente, porque é demasiado poderosa para mim.

Talvez possa conseguir derrotá-los e expulsá-los da terra, porque sei que quem tu abençoas, abençoado é, e aquele a quem tu maldizes, maldito é” (…) E respondeu Bilam a Balac: “Eis-me aqui, mas por acaso eu poderei dizer qualquer coisa? A palavra que De’s puser na minha boca é a que eu direi.” E disse Bilam a Balac: “Constrói-me sete altares e prepara-me sete touros e sete carneiros” (…) E elevou esta invocação: “Do alto das rochas o vejo e desde o cimo das colinas o contemplo.

Continue reading “Parashat Balak”

Parashá Shlach

Retirado do livro Más allá del versículo, do Rabino Eliahu Birnbaum

Os espiões: Uma atitude pessimista em relação ao futuro do povo judeu
E disse o Eterno a Moisés: “Envia homens para explorarem a terra de Canaã que dei aos filhos de Israel. (…) De cada tribo mandarás um homem, o principal de cada tribo” (…) E enviou Moisés os seus emissários para explorarem a terra de Canaã (…) Foram, pois, reconhecer a terra, e voltaram dessa busca no fim de quarenta dias. E apresentaram-se perante Moisés, Aarão e toda a congregação dos filhos de Israel… e disseram a Moisés: “Fomos à terra onde nos enviaste e é verdade que emana leite e mel, mas o povo que mora ali é poderoso. As suas cidades são fortificadas e muito grandes…” E Caleb mandou calar o povo e disse “Havemos de subir para herdar a terra, porque podemos fazê-lo.” Mas quem o acompanhou retorquiu: “Não podemos subir contra esse povo, porque é mais forte que nós…” (Números, 18, 1-32)

Continue reading “Parashá Shlach”

Parashat Nasó

O nazir: a obtenção do equilíbrio psicológico

Por Rabino Eliahu Birnbaum

«E disse o Eterno a Moisés: “Diz aos filhos de Israel: Quando alguém, seja homem ou mulher, fizer voto de consagração ao Eterno, abster-se-á de vinho e de bebidas fortes e não beberá vinagre de vinho, nem vinagre de bebidas fortes, nem licor de uvas algum. Nem sequer comerá uvas, sejam frescas ou secas.

Continue reading “Parashat Nasó”

Parashat Tetzavé

O simbolismo da vestimenta.

Image result for las ropas del cohen gadol

«E farás vestimentas para o teu irmão Aarão, para sua dignidade e esplendor.»   (Êxodo, 28, 2)

A Torá dedica mais de quarenta versículos à descrição das vestimentas que Moisés teria que fornecer como “vestimentas sagradas” para os sacerdotes. Nesta parashá lemos uma descrição detalhada de tais vestimentas e dos materiais com os quais estas deveriam ser confecionadas. O vestuário dos sacerdotes no templo é descrito com o maior cuidado. As vestimentas eram sumptuosas, como fica especificado no versículo: “para sua dignidade e esplendor”. Porque eram tão importantes as vestimentas do Sumo Sacerdote?

Geralmente, o judaísmo não se preocupa com aspetos exteriores como o vestuário, concentrando-se na qualidade espiritual da vida. O que têm em comum as “vestimentas sagradas” com a “dignidade” e o “esplendor”? Parece que a Torá se relaciona de um modo peculiar com as vestimentas dos sacerdotes e com o vestuário no geral. O interesse no vestuário não está relacionado com a sua funcionalidade – no que diz respeito à proteção contra o frio e similares – mas sim com o seu aspeto ético.

Continue reading “Parashat Tetzavé”