VOLUNTÁRIA DA SHAVEI ISRAEL VIAJOU PARA A POLÓNIA

Shosh Chovav, voluntária da Shavei Israel, passou recentemente dois meses na Polónia, ensinando hebraico e tradições judaicas à comunidade judaica local. Shosh partilhou connosco algumas fotografias das atividades que tiveram lugar em Lodz durante estes dois intensos meses: Aulas de hebraico para crianças, oficinas, encontros inspiradores com jovens israelitas que se encontravam em turismo na cidade, reuniões com os líderes comunitários com o objetivo de melhorar o trabalho educativo e de divulgação na comunidade, e uma emocionante cerimónia de afixação de uma mezuzá em casa do presidente da comunidade. 

Ver artigo>

FESTIVAL DO PATRIMÓNIO JUDAICO TEM LUGAR EM LODZ, NO LOCAL DE ANTIGO GUETO.

O Festival da Tranquilidade, realizado durante a festa judaica de Shavuot, incluiu várias oficinas com temas judaicos.Artigo de HAGAY HACOHEN

Durante a festa judaica de Shavuot, os habitantes de Lodz participaram no Festival da Tranquilidade, um festival que homenageou o património judaico da cidade, informou na terça-feira a organização Shavei Israel.

Antes da guerra, Lodz era uma importante cidade industrial na qual alemães, judeus, polacos e russos viviam lado a lado. Esta realidade é celebrada num festival anual em setembro chamado “Festival das Quatro Culturas”, e foi retratada no famoso romance de 1899 de Wladyslaw Reymont, The Promised Land. Em 1975, o diretor de cinema polaco Andrzej Wajda fez um filme baseado nesse romance.

Depois de os nazis ocuparem a Polónia, estabeleceram um gueto em Lodz e sobrelotaram-no com cerca de 200.000 judeus. Lodz tem atualmente uma pequena comunidade judaica, ainda em funcionamento.

O Festival da Tranquilidade começou com uma homenagem póstuma ao primeiro chefe da Brigada de Incêndio de Lodz, o judeu polaco Maurcy Gutentag. Foram realizadas palestras sobre a festa de Shavuot e história judaica, e uma visita aos locais de interesse judaico da cidade. O Rabino-chefe da Polónia, Michael Shudrich, foi convidado de honra do festival.

O festival foi realizado em cooperação com a Shavei Israel, uma organização judaica que tem como objetivo ajudar as pessoas com origens judaicas a reencontrarem a cultura dos seus antepassados.

A Polónia abrigou uma das maiores comunidades judaicas da Europa antes do Holocausto. O tamanho e a relativa segurança da comunidade judaica naquele país levaram à criação de poderosos tribunais chassídicos, assim como ao surgimento de escritores e ativistas radicais laicos falantes de ídiche.

Nos anos que antecederam a Segunda Guerra Mundial, o movimento Bund, um movimento político judaico-socialista não-sionista, lutou para que o povo judeu fosse reconhecido na Polónia como nação, a par do povo polaco.

O combatente judeu-polaco do Gueto de Varsóvia Marek Edelman estudou medicina em Lodz após o fim da Segunda Guerra Mundial.

Notável cardiologista, Edelman foi membro ativo do movimento de resistência polaco contra a República Popular da Polónia e foi considerado e tratado como herói nacional na Polónia até sua morte em 2009.