Pessach no Chile, Colômbia, El Salvador, Itália e Israel

Pessach terminou – deixamos a Matzá de lado até o próximo ano e o pão volta a frequentar nossas mesas. Mas não podíamos deixar de compartilhar com vocês algumas fotos enviadas para nós durante a festa, das comunidades da Shavei Israel em todo o mundo.

Continue reading “Pessach no Chile, Colômbia, El Salvador, Itália e Israel”

Bnei Anussim da Colômbia recebem um novo Sefer Torá

Com grande alegria, a comunidade Bnei Anussim de Barranquilla, Colômbia teve a honra de celebrar a recepção de um novo Sefer Torá, através da tradicional cerimônia de “Hachnasat Sefer Torá”. O evento festivo foi preenchido por muita dança e música com os rolos da Torá, expressando o laço indissolúvel entre a vida judaica e as leis de Moisés. Temos fotos da celebração – é possível ver o Sefer sendo levado em uma procissão e depois, a dança na sinagoga.

Hachnasat Sefer Torá foi precedida por um grande Shabaton no qual participaram as comunidades Bnei Anussim do longo da costa colombiana: Cartagena, Santa Marta e Valledupar.

Estas comunidades sionistas crescentes são compostas seja por descendentes de Anussim – que redescobriram nos últimos anos suas raízes – tanto por pessoas de passado não-judaico, que escolheram o caminho da conversão. Estes todos são apoiados pelo emissário da Shavei Israel na Colômbia, o Rabino Shimon Yehoshua. As instalações locais incluem uma yeshiva, mikvê (banho ritual) e uma escola primária Talmud Torá para as crianças. Alimentos Kosher também estão disponíves.

Temos mais algumas fotos de um serviço de oração da manhã conjunta que aconteceu em Cali, com a participação de membros da comunidade Magen Abraham.

Miriam Pena – do sonho desértico a Terra Prometida

Miriam-Pena-in-long-dress-2-e1300202793389Miriam Pena foi criada como católica devota em Cartagena, Colômbia, e esta jovem vibrante de 30 anos tinha um sonho simples: visitar o Oriente Médio e ver o deserto. Israel parecia um bom começo.

Entretanto, quando seus planos começaram a tomar forma, Miriam se deu conta que o que realmente queria, era unir-se ao povo judeu. “No início eu não acreditava”, disse Miriam, “é algo que simplesmente senti em meu coração, como se o tivesse estado esperando durante muitos anos”.

Chegar a esta conclusão não foi simples. Quando tinha cinco anos, sua mãe abandono-a e a sua irmã, deixando-as na entrada do colégio onde estudavam. A diretora as recolheu e as criou como se fossem suas próprias filhas.

Apesar de Miriam afirmar que sempre acreditou em D-us, ela não gostava de ir a Igreja e brigava com sua mãe adotiva frequentemente por causa do tema. Quando cresceu, mudou-se para a capital colombiana, Bogotá, onde trabalhava de garçonete e cantora (em sua cidade fez uma apresentação no Festival “Miss Popular Cartagena” e inclusive gravou um CD).

Porém seguia sonhando em conhecer o deserto e assim chegou a Israel pouco depois de ter mudado para a capital. Sua primeira parada foi no Kibutz Zeelim, no coração da região sonhada do Deserto do Neguev. “O deserto era inclusive mais maravilhoso do que eu imaginava”, disse. “Me encantaram as montanhas de Eilat, parecia o Gran Canyon!”.

De fato, a transformação de Miriam não foi repentina. Mesmo antes de vir a Israel havia começado a estudar hebraico em Bogotá. Profundamente, em seu coração, já estava a camino. Depois de conhecer outros Kibutzim, Miriam se mudou a Jerusalém e começou a ajudar a uma senhora idosa, principalmente na cozinha. “Ali comecei a aprender o que é ser judia”, explicou.

Hoje em dia, Miriam vive nos subúrbios de Jerusalem “em um apartamento de dois ambientes e meio com jardim” e trabalha em uma agência de turismo.

Israel e seu proceso (de conversão) mudaram profundamente a Miriam… para o bem. “Antes de vir, vivia uma vida bastante excêntrica”, explica. “Estava na indústria da música e gostva de ir a festas. Porém nada me completava o coração. Não sabia para onde estava indo. Agora, estou bem organizada, com meus estudos, mina vida e meu trabalho. Quando começas uma vida judaica, recebes orientação, direção. O judaísmo te organiza”.

Miriam insinua que possivelmente retorne a cantar. Apesar do desafio que enfrenta, Miriam disse que está feliz e que tem uma vida apaixonante. “Sempre digo que quando existe uma pedra no camino tem que saltá-la”. O próximo salto, com a ajuda de D-us, será o ingresso completo e formal ao povo judeu.

Shavei Israel celebra Tu B’Shvat com as comunidades ao redor do mundo em 2015

Nesta mesma data no ano passado, o mundo judaico celebrou o Tu B’Shvat, o anual “Ano Novo das Árvores”, e as comunidades da Shavei Israel fizeram parte desta festa através de festas, plantando árvores e comendo muitas frutas e nozes. De Portugal à Polônia, de Bogotá à Beit Shemesh, as comunidades judaicas “perdidas” e “escondidas” tiveram sua porção de amêndoas, castanhas, azeitonas, damascos, figos e até mesmo um cranberry ocasional. Abaixo disponibilizamos as fotos e histórias de algumas destas celebrações.

portugal

Plantando uma árvore em honra a Tu B’Shvat, em Portugal

Portugal – o emissário da Shavei Israel para os Bnei Anussim em Portugal, o Rabino Elisha Salas, celebrou a festa com um novo grupo de estudantes da pequena cidade de Seixal, perto de Lisboa. Durante as festividades, foi exibido um filme chamado Milagre de Israel, que traça a história judaica de Avraham até o presente e, plantaram uma árvore em homenagem a festa.

O Rabino Ellis lidera um "Seder" de Tu B'Shvat na Polônia
O Rabino Ellis lidera um “Seder” de Tu B’Shvat na Polônia

Polônia – o emissário da Shavei Israel, o Rabino Yehoshua Ellis nos enviou algumas impressionantes fotos em preto e branco da festa de Tu B’Shvat que foi realizada em Katowice. O Rabino Ellis liderou um “Seder” de Tu B’Shvat – um costume cabalístico iniciado no século 16, onde diferentes frutas e nozes são consumidas juntamente com as bênçãos apropriadas enquanto que as histórias são contadas, destacando o significado espiritual de cada alimento. Trinta pessoas participaram. O Rabino Ellis liderou um segundo “Seder” na noite seguinte na cidade polonesa de Gilwice.

Judeus Subbotnik comemoram com o emissário Rabino Zelig Avrasin, em Beit Shemesh
Judeus Subbotnik comemoram com o emissário Rabino Zelig Avrasin, em Beit Shemesh

Como tem acontecido nos últimos anos, a comunidade judaica Subbotnik de Beit Shemesh organizou um “Seder” de Tu B’Shvat na sinagoga Netzach Menashe. O Rabino Zelig Avrasin, emissário da Shavei Israel para a comunidade Subbotnik – tanto em Israel quanto na Rússia – presidiu as festividades, que incluíram lanches, música e dois livros escritos em russo, especialmente para os judeus Subbotnik: o primeiro foi publicado no ano passado pela Shavei Israel para Tu B’Shvat, e um novo livro foi lançado sobre as tradições de Rosh Chodesh -o início do mês judaico.

Bogotá curte suas bananas em Tu B'Shvat
Bogotá curte suas bananas em Tu B’Shvat

Na foto à direita, você pode ver a comunidade dos Bnei Anussim da sinagoga Har Sinai, em Bogotá, Colômbia, comemorando com algumas boas bananas, típicas da América do Sul.

El Salvador celebra bonito o Tu B'Shvat
El Salvador celebra bonito o Tu B’Shvat

E na esquerda, uma foto da vizinha da Colômbia para o noroeste, El Salvador. A foto é do grande “Seder” realizado pelas comunidades de Bnei Anussim das cidades de Armenia e da capital do país, San Salvador.

Combinando o Ano Novo Chinês com Tu B'Shvat em Jerusalém
Combinando o Ano Novo Chinês com Tu B’Shvat em Jerusalém

Finalmente, voamos para a China… através de Israel. Nossas fotos da comunidade chinesa judaica que comemorou o Tu B’Shvat no ano passado foram, efetivamente, tiradas aqui na Terra Santa, onde alguns dos judeus chineses dos quais a Shavei Israel tem ajudado a fazer Aliá ao longo dos últimos anos, se juntou a um grupo da Universidade Hebraica, que incluiu estudantes da China que estão estudando em Jerusalém, além dos israelenses que estão matriculados no programa Hebrew U’s Chinese e Estudos da Ásia Oriental.

Judeus chineses comemoram Tu B'Shvat em Jerusalém
Judeus chineses comemoram Tu B’Shvat em Jerusalém

Juntos, eles celebraram tanto o Tu B’Shvat quanto o Ano Novo Chinês, que aconteceu no dia 19 de fevereiro, e como Tu B’Shvat, significa o início da temporada da primavera. Nas fotos, os judeus da China estão vestindo uniformes do exército e o estudante de terno e gravata, foi o mestre de cerimônias, traduzindo do Inglês ao Chinês. A noite foi patrocinado pela organização de Relações Públicas de Israel, Stand With Us, e incluiu uma dramática demonstração de Kung Fu. Mas o destaque foi claro quando os judeus chineses recontaram a história inspiradora de suas longas viagens, desde a pequena comunidade judaica de Kaifeng até se tornarem soldados orgulhosos e totalmente judeus das Forças de Defesa de Israel.

Um seder de chocolate? – Atividades de Pessach para os Bnei Anussim e os “judeus ocultos” da Polônia

Como as comunidades da Shavei Israel ao redor do mundo celebraram o Pessach? Confira!

 

Polônia

Rabbi-Avi-reviews-new-JCC-t-shirts-in-Krakow-186x300
O Rabino Avi Baumol checa as novas camisas do JCC

O Rabino Yehoshua Ellis liderou um seder para a comunidade em Katowice. O mesmo foi feito pelo Rabino Avi Baumol no JCC de Cracóvia, aonde 120 pessoas compareceram. Antes de Pessach, o Rabino Baumol realizou uma série de eventos de preparação para a festa, incluindo um que chamou de “pergunte ao Rabino sobre Pessach”. A massa pode não ter fermentado, mas as perguntas, sem dúvida, fermentaram o evento!

Em Wroclaw, 150 pessoas participaram do seder da comunidade. E, definitivamente, chegaram preparados: na semana anterior a festa, o Rabino Tyson Herberger realizou uma série de modelos de ‘sedarim’ com o seguinte tema: chocolate! Foram Waffles mergulhados em chocolate, no lugar da Matzá, chocolate amargo em vez do Maror (ervas amargas) e chocolate ‘Nutela’ ao invés do Charoset (que representa os tijolos que os israelitas utilizaram para construir as pirâmides do Egito). Matzot também foram distribuídas durante os eventos, que foram realizados em Zary e Walbrzych, duas escolas judaicas em Wroclaw.

Logo antes da festa de Pessach, na noite do sábado, os judeus poloneses foram convidados para um Melave Malkah (refeição de depois do Shabat que significa “acompanhando a rainha”) com dois emissários israelenses para aprender as melodias do Seder e depois, na noite do domingo de véspera, se reuniram em um Pub local para a última cerveja antes de Pessach!

Colômbia

O Rabino Shimon Yehoshua organizou um seder para 80 pessoas na cidade de Cali. Dezoito pessoas do país vizinho, Equador, se juntaram ao Seder, que teve lugar em um hotel “kasherizado” pelo rabino Yehoshua.

Portugal

Em Portugal foram organizados dois lindos Sedarim, um em Belmonte, organizado pelo emissário da Shavei Israel na cidade, o Rabino Elisha Salas, e outro em Trancoso, com a convidada especial, Genie Milgrom. Antes do Shabat, Milgrom contou sua notável história sobre a verificação de suas raízes judaicas e, no domingo, liderou um seminário de genealogia baseado em sua metodologia de pesquisa.

Espanha

Os alunos do Rabino Nissan Ben Avraham da cidade de Granada realizaram um Seder comunitário na casa de José Manuel Romero Camarero. Onze pessoas participaram do evento – três famílias com quatro filhos. Em Alicante, 10 pessoas realizaram um Seder na casa do chaver Yaacov Hernandez.

Itália

Os alunos do Rabino Pinchas Punturello realizaram um Seder para a comunidade na cidade de Palermo, na Sicília. O Seder contou com a presença de quatro Bnei Anussim que estiveram recentemente em Israel, e dos quais traremos um relatório sobre sua viagem em breve!

Uma nova Torá para Cartagena, Colômbia!

Brian Blum
11/03/2014

DSC08588-300x225

A comunidade de Bnei Anussim em Cartagena, Colômbia, ganhou um novo Sefer Torá. A Shavei Israel atraves de seu Presidente, Michael Freund e seu Diretor Educacional, o Rabino Eliyahu Birnbaum, visitaram Cartagena para uma cerimônia festiva, que aconteceu em Fevereiro.

A chegada de uma nova Torá para a cidade resort de Cartagena ocorreu enquanto o emissário da Shavei Israel para a Colômbia, Rabino Shimon Marcelo Yehoshua, estava na cidade. O Rabino Yehoshua, que começou o seu serviço na Colômbia em outubro do ano passado, estabeleceu para si a meta ambiciosa de viajar entre todas as 18 comunidades de Bnei Anussim no país, de Cali a Medellín, bem como em realizar estadias mais longas na capital, Bogotá.

Patrocinamos no ano passado um fim de semana “Shabaton” histórico na Colômbia, reunindo Bnei Anussim e líderes judaicos tradicionais, pela primeira vez. Escrevemos, tambem, um breve perfil do Rabino Yehoshua que se encontra no site da Shavei.

 

O Presidente da Shavei Israel, Michael Freund, traz a Torá para Cartagena.

 

Os Bnei Anussim são descendentes de judeus que foram convertidos à força ao catolicismo ha mais de 500 anos atrás, e que, muitas vezes, são referidos por alguns historiadores pelo termo depreciativo ‘Marrano’. Muitos, após a Inquisição, fugiram da Espanha para a América do Sul. Lá, eles levaram, durante séculos, vidas judaicas em segedo.

Existem hoje cerca de 800 Bnei Anussim em toda a Colômbia. A comunidade de Cartagena é uma das menores, com apenas 25 membros. Os Bnei Anussim da Colômbia vêm de uma variedade de origens. Alguns retornaram formalmente ao Judaísmo e outros estão no meio do processo. Alguns têm seguido a lei judaica por 20 anos ou mais, enquanto outros estão dando seus primeiros passos.

Atividades de Chanuká da Shavei Israel na Europa, América do Sul e na Índia

Brian Blum
9/12/2013

Além do acendimento das velas de Chanuká pelo rabino Pinchas Punturello em Palermo e Sicília , emissários de Shavei Israel na Europa, América do Sul e Índia tiveram uma agenda lotada, planejada para esta última semana de festa. Segue aqui alguns dos destaques:Hanukah-Candles-in-Belmonte

Portugal: o Rabino Elisha Salas conduziu uma série de atividades no vilarejo de Belmonte, que tem um novo prefeito que está tornando prioridade a revitalização do passado judaica de Belmonte e, investindo no presente. O conselho local construíu uma Chanukiá de 5 metros de altura no centro da cidade e assou cerca de 300 sufganiot (rosquinhas de Chanuka). Os sufganiot foram a calhar na agenda particularmente cheia de palestras, filmes e concertos que se realizaram em honra ao feriado. Houve também uma exposição em honra do capitão Arthur Carlos Barros Basto, o “Dreyfus Português”, de quem a Shavei Israel ajudou a receber um perdão póstumo por parte do governo português. Você pode ler mais sobre Barros Basto e também sobre Belmonte aqui no site.DSC_3627-300x199

Espanha: O Rabino Nissan Ben-Avraham comemorou Chanuká, este ano, com os Bnei Anussim em dois locais espanhóis: Albacete para o primeiro dia da festa, e em Alicante, no segundo dia e para o Shabat. Em ambos, gozou da presença de alunos de longa data.

Polônia: o Rabino Yehoshua Ellis trouxe eventos de acendimento de velas em diferentes partes da região da Silésia, ao longo dos oito dias de Chanuká. Tais como uma festa para toda a cidade de Katowice, onde o rabino Ellis reside, incluindo um acendimento externo público das velas! Houve também festas nas cidades de Czestochowa e Bielsko-Biala. Michael Schudrich, rabino-chefe da Polônia, juntou-se às cChanukaMallorca4formatelebrações em Katowice, também.

Já o mais novo emissário da Shavei Israel para a Polônia, o rabino Avi Baumol, que reside em Cracóvia, celebrou a festa de Chanuká na cidade com uma palestra sobre “Chanuka como um feriado político, espiritual e nacional”. Ele também palestrou no Limmud Shabbaton, que aconteceu na Polônia durante Chanuká, sobre “o papel das mulheres nos tempos mod ernos”. Também levou as velas para um grupo idoso de judeus poloneses, participou de uma viagem de esqui para os membros do Cracóvia JCC, e deu uma palestra para estudantes no dDSC071692-300x225epartamento de História da Universidade Jagiellonian de Cracóvia.

Colômbia: O Rabino Marcelo Shimon Yehoshua da Shavei Israel passou todo o Chanuká na cidade de Cucuta, onde organizou em cada noite uma atividade diferente: uma noite de música, outra de culinária, aulas, jogos entre outros.

Índia: Os Bnei Menashe na Índia celebraram um grande momento este ano, com a ajuda da Shavei Israel. Dado o grande tamanho da comunidade que ainda existe na Índia, João Phaltual, nosso emissário para o estado indiano de Manipur (que possui a maior popKhanukah-Kut-5-300x225ulação de Bnei Menashe) foi apoiado por uma equipe de cerca de 100 “amigos” da Shavei Israel que lideraram atividades e aulas em todo o nordeste do país, sobre o tema “Acendendo as Chamas da Redenção”. As atividades incluíram competição infantil de música israelense, o questionário anual sobre Chanuká, produções teatrais recriando a luta entre os Macabeus e os gregos, muitos jogos com o Sevivon ou Dreidel (peão), e, claro, acendimento das velas nas oitro noites que se seguiram, nas 17 sinagogas participantes da aldeia. Durante o dia, os “amigos” da Shavei organizaram vários jogos, esportes e atividades recreativas. Em uma das aldeias dos Bnei Menashe, uma festa comunitária foi realizada no primeiro e também no último dia da festa. Os Bnei Menashe, além de tudo isso, tiveram um convidado especial da Terra Santa: o assistente social dos Bnei Menashe, Itzkhak Colney, que fez aliá em 2005, eque passou Chnukaá na região de Mizoram.

A Shavei Israel deseja a todos do povo judeu um Feliz Chanuká – onde quer que estejam no mundo!