Maratona de Chanuka no Chile

Preparação antes da festa de Chanuka

A comunidade Jazon Ish, em Santiago, Chile, realizou uma maratona de estudo da Torá e preparação antes da festa de Chanuka. O programa, de um dia inteiro, incluiu atividades e aprendizagem para todas as idades, incluindo as leis de Chanuka com Gil Kalinka; Estudo da porção semanal da Torá com o rabino Avraham Israel Latapiat e um estudo passo a passo das orações diárias. A Rabanit Esther Miriam Latapiat preparou pratos deliciosos para os convidados, deu aulas para mulheres e desenvolveu uma oficina de artesanato especial de Chanuca para as crianças.

O programa, afiliado da Shavei Israel, teve boa participação e os comentários recebidos foram totalmente positivos.

As comunidades Shavei Israel de todo o mundo celebram Chanukah

Chanucá, o festival das luzes, está aqui, unindo os judeus em todo o mundo por sua atmosfera mágica da alegria, esperança e antecipação como muitos anos antes. Vamos desfrutar juntos, dando uma olhada nos destaques da celebração de várias comunidades de diferentes países e continentes!
Começaremos com a Índia, onde os Bnei Menashe dos estados locais de Manipur e Mizoram estão se reunindo para acender as velas de Chanucá.

Manipur

Enquanto a maior parte do sobbotnik jude formados da ex-União Soviética ainda celebra Chanucá na diáspora, um grupo daqueles que já fizeram aliá a Israel visitou recentemente um shiur entregue pelo rabino Shlomo Zelig Avrasin em Beit Shemesh, onde vive a maior parte do grupo.

Os judeus escondidos da Polônia participaram de atividades organizadas pra eles pelo rabino Avi Baumol em Cracóvia e pelo rabino David Szychowski em Lodz.

Cracóvia

O rabino Elisha Salas, emissário da Shavei Israel em El Salvador, também compartilhou con nos algumas fotos de sua comunidade, bem como algumas fotos das comunidades de Honduras e Guatemala com as quais ele também está em contato.

Armênia

Beit Israel, San Salvador

Guatemala

Honduras

Colombia

As comunidades nas cidades de Bogotá, Cali, Medellin e Barranquilla também compartilharam as celebrações de Chanuka.
Entre as atividades em Bogotá entre os dias 4 e 6 de dezembro, a comunidade recebeu uma visita especial da missão do ministério da diáspora de Israel.

Bogota

Cali

O dia 9 de dezembro será realizado pela primeira vez no sul de Calí “A ILUMINAÇÃO DAS VELAS NA CHANÚQUIA GIGANTE”

Baranquilla

Medellin

Finalmente, o Rabino Avraham Latapiat, do Chile, nos envia algumas fotos de sua comunidade Aproveitando das férias.

Shavei Israel Celebra Chanuká: Bnei Anussim em Portugal, San Nicandro e El Salvador

As comunidades da Shavei Israel ao redor do mundo comemoraram Chanuká na semana passada. Segue aqui uma seleção de fotos de Portugal, San Nicandro e El Salvador.

Portugal

Na pequena aldeia de Belmonte, os membros da comunidade de Bnei Anussim: Madalena Barata, Marina Ehrlich, Pedro Turner, Ana Braz e Sandra Berlim, acenderam suas velas de Chanuká. Aqui estão algumas fotos para iluminar até a noite mais fria de dezembro.

Na terça-feira da semana passada, um acendimento público das velas foi celebrado na praça da cidade, juntamente com o prefeito. Sufganiot (roscas doces características de Chanuká) foram distribuídos para as cerca de 150 pessoas que enfrentaram o frio para sair de casa.

El Salvador

No último dia de Chanuká, a comunidade de Beit Israel em San Salvador organizou um desfile que contou com uma festa incluindo música e “pirotecnia”.

Itália

Nosso correspondente na Itália informou que na quarta-feira, 28 de dezembro, houve uma cerimônia comunitária de acendimento das velas na Prisão Steri de Palermo, a antiga sede infame da Inquisição. Oitenta pessoas foram estimadas junto com o conselho local.

Colômbia

No domingo, realizou-se um grande evento para os filhos da comunidade Beit Hillel em Bogotá. Oitenta pessoas participaram. Na terça-feira a noite em Cucuta, foi realizado um jantar festivo para 60 pessoas.

Mas não se retire tão cedo: Quinta-feira foi o casamento de vários casais que recentemente retornaram ao judaísmo.

San Nicandro

Seguem abaixo fotos da pequena comunidade de Bnei Anussim em San Nicandro, na Itália.

whatsapp-image-2016-12-24-at-23-34-17

Cerimônia histórica de Chanuká em uma Prisão da Inquisição

Gil Ronen (Arutz 7)
10/12/2013

A cerimônia de acendimento das velas de Chanuká foi realizada quarta-feira na infame prisão Steri em Palermo, Sicília, que serviu como sede da Inquisição espanhola entre 1601 e 1782.

A cerimônia – a primeiro desse tipo – foi chefiada pelo rabino Pinhas Punturello, emissário da organização Shavei Israel para o sul da Itália e Sicília. Entre os participantes estavam o Professor Roberto La Galla, chanceler da Universidade de Palermo, outros membros do corpo docente, bem como cerca de 100 Bnei Anussim que vivem na Sicília.

Os Bnei Anussim são os descendentes de judeus que foram convertidos à força ao cristianismo sob o regime de terror da Inquisição. Muitos desses “cristãos-novos” fizeram o máximo para permanecer fiel às suas raízes judaicas, passando adiante a fé e as práticas de seus antepassados através das gerações.Candle-Lighting-300x225

“Centenas de anos depois da prisão do Palácio Steri operar para apagar a luz de Israel, nós viemos aqui hoje para mostrar que a chama judaica continua queimando”, disse Michael Freund, fundador e presidente da Shavei Israel, que trabalha para trazer os Bnei Anussim de volta ao redil judaico. “Durante 200 anos, os judeus foram torturados dentro dos muros deste palácio, e muitos deles foram queimados na fogueira pela Inquisição por, secretamente, manter seu Judaísmo. E é por isso que este evento não é apenas histórico e sim, também, simbólico, pois a luz das velas de Chanuká chegou ao lugar onde a escuridão da Inquisição uma vez reinou”.

Freund contou que ainda se pode ver inscrições de graffiti nas paredes das celas de confinamento solitário da prisão, entre eles, dois escritos em letras hebraicas.

A perseguição dos judeus na Sicília chegou a um clímax em 1492, quando os judeus da Espanha – incluindo aqueles na Sicília – foram expulsos à força. Havia pelo menos 37 mil judeus que viviam em 52 comunidades da ilha na época. Muitos foram expulsos e, outros, que foram forçados a converter-se, continuaram a sofrer com a Inquisição por gerações.

Atividades de Chanuká da Shavei Israel na Europa, América do Sul e na Índia

Brian Blum
9/12/2013

Além do acendimento das velas de Chanuká pelo rabino Pinchas Punturello em Palermo e Sicília , emissários de Shavei Israel na Europa, América do Sul e Índia tiveram uma agenda lotada, planejada para esta última semana de festa. Segue aqui alguns dos destaques:Hanukah-Candles-in-Belmonte

Portugal: o Rabino Elisha Salas conduziu uma série de atividades no vilarejo de Belmonte, que tem um novo prefeito que está tornando prioridade a revitalização do passado judaica de Belmonte e, investindo no presente. O conselho local construíu uma Chanukiá de 5 metros de altura no centro da cidade e assou cerca de 300 sufganiot (rosquinhas de Chanuka). Os sufganiot foram a calhar na agenda particularmente cheia de palestras, filmes e concertos que se realizaram em honra ao feriado. Houve também uma exposição em honra do capitão Arthur Carlos Barros Basto, o “Dreyfus Português”, de quem a Shavei Israel ajudou a receber um perdão póstumo por parte do governo português. Você pode ler mais sobre Barros Basto e também sobre Belmonte aqui no site.DSC_3627-300x199

Espanha: O Rabino Nissan Ben-Avraham comemorou Chanuká, este ano, com os Bnei Anussim em dois locais espanhóis: Albacete para o primeiro dia da festa, e em Alicante, no segundo dia e para o Shabat. Em ambos, gozou da presença de alunos de longa data.

Polônia: o Rabino Yehoshua Ellis trouxe eventos de acendimento de velas em diferentes partes da região da Silésia, ao longo dos oito dias de Chanuká. Tais como uma festa para toda a cidade de Katowice, onde o rabino Ellis reside, incluindo um acendimento externo público das velas! Houve também festas nas cidades de Czestochowa e Bielsko-Biala. Michael Schudrich, rabino-chefe da Polônia, juntou-se às cChanukaMallorca4formatelebrações em Katowice, também.

Já o mais novo emissário da Shavei Israel para a Polônia, o rabino Avi Baumol, que reside em Cracóvia, celebrou a festa de Chanuká na cidade com uma palestra sobre “Chanuka como um feriado político, espiritual e nacional”. Ele também palestrou no Limmud Shabbaton, que aconteceu na Polônia durante Chanuká, sobre “o papel das mulheres nos tempos mod ernos”. Também levou as velas para um grupo idoso de judeus poloneses, participou de uma viagem de esqui para os membros do Cracóvia JCC, e deu uma palestra para estudantes no dDSC071692-300x225epartamento de História da Universidade Jagiellonian de Cracóvia.

Colômbia: O Rabino Marcelo Shimon Yehoshua da Shavei Israel passou todo o Chanuká na cidade de Cucuta, onde organizou em cada noite uma atividade diferente: uma noite de música, outra de culinária, aulas, jogos entre outros.

Índia: Os Bnei Menashe na Índia celebraram um grande momento este ano, com a ajuda da Shavei Israel. Dado o grande tamanho da comunidade que ainda existe na Índia, João Phaltual, nosso emissário para o estado indiano de Manipur (que possui a maior popKhanukah-Kut-5-300x225ulação de Bnei Menashe) foi apoiado por uma equipe de cerca de 100 “amigos” da Shavei Israel que lideraram atividades e aulas em todo o nordeste do país, sobre o tema “Acendendo as Chamas da Redenção”. As atividades incluíram competição infantil de música israelense, o questionário anual sobre Chanuká, produções teatrais recriando a luta entre os Macabeus e os gregos, muitos jogos com o Sevivon ou Dreidel (peão), e, claro, acendimento das velas nas oitro noites que se seguiram, nas 17 sinagogas participantes da aldeia. Durante o dia, os “amigos” da Shavei organizaram vários jogos, esportes e atividades recreativas. Em uma das aldeias dos Bnei Menashe, uma festa comunitária foi realizada no primeiro e também no último dia da festa. Os Bnei Menashe, além de tudo isso, tiveram um convidado especial da Terra Santa: o assistente social dos Bnei Menashe, Itzkhak Colney, que fez aliá em 2005, eque passou Chnukaá na região de Mizoram.

A Shavei Israel deseja a todos do povo judeu um Feliz Chanuká – onde quer que estejam no mundo!

A Shavei Israel acenderá velas de Chanuká em uma famosa prisão da Inquisição!

Brian Blum
5/12/2013
Este Chanuká, luzes festivas preencherão um palco infamemente associado à 200 anos de tortura e assassinato. Pela primeira vez na história italiana, o emissário da Shavei Israel para os Bnei Anussim do leste italiano, o Rabino Pinchas Punturello, acenderá as velas de Chanuká em Palermo, Sicília, no temido Palácio Steri.

Steri-Palace-smSteri-Palace-sm-224x300-224x300Steri foi a principal sede da Inquisição nos anos 1601-1782. No sub-solo do edifício se encontrava a prisão da Inquisição em que os judeus eram presos em pequenas celas aonde esperam seu destino nos terríveis autos-de-fé. Estas masmorras são notáveis pelo graffiti que ainda existe em suas paredes; duas inscrições estão escritas em letras hebraicas.

O Rabino Punturello visitou o Palácio Steri para um seminário de três dias, organizado no mês passado pela Shavei Israel para os Bnei Anussim. O seminário atraiu 80 pessoas do sul da Itália, incluindo Anussim e netos de judeus que se mudaram para Palermo nos anos 1900-1960 da Alemanha, França, Rússia, Tunísia e Argélia. O Rabino Punturello reuniu uma lista de oradores de nível internacional para o evento, incluindo o Professor Luciana Pepi, que ensina filosofia na Universidade Hebraica de Palermo, e Rita Calabrese, que pesquisa a história das mulheres durante a República de Weimar. O tema do semDSCN1686-300x225inário foi “Comunidade e Identidade Pessoal.”

Após a visita do Rabino Punturello ao Palácio Steri, este contatou o prefeito de Palermo, que concordou com o Rabino de que é chegado o momento de substituir as trevas pela luz. O acendimento das velas acontecerá na última noite de Chanuká, 4 de dezembro de 2013.

O Rabino Punturello vem trabalhando pelos Bnei Anussim no sul da Itália desde maio. Ele reside em Jerusalém, e passa 10 dias por mês na Itália, organizando seminários (como este último) e visitando Bnei Anussim de pequenas comunidades ao longo do sul italiano e na Sicília. Já escrevemos sobre ele aqui no site. O Rabino Punturello acenderá as luzes de Chanuká cada dia em um lugar diferente, incluindo Messina, Catania e Siracusa, além de Palermo também.