Livro sobre a jornada de uma família Bnei Anussim da Espanha para Jerusalém – e o papel da Shavei Israel

Baruch Israel lembra que sua mãe costumava cantar o Hatikva, o hino nacional israelense, todas as noites antes de ir dormir, em Elda, na Espanha, onde Baruch cresceu. Era o sonho de sua mãe, Sarah, fazer aliá algum dia, sonho este que realizou em 2015 com seu filho e a avó de Baruch. Escrevemos anteriormente sobre o emocionante Bar Mitzvá de Baruch no Kotel aqui.

Continue lendo “Livro sobre a jornada de uma família Bnei Anussim da Espanha para Jerusalém – e o papel da Shavei Israel”

O Ladino

Ladino, muitas vezes referido como judeu-espanhol, era o idioma principal dos judeus sefarditas. Embora baseado no espanhol, também tem aspectos de árabe, hebraico, italiano, francês, grego, búlgaro, turco e outros idiomas com os quais os judeus sefarditas se encontraram durante sua diáspora. Originalmente, o Ladino era escrito em hebraico, mas em séculos posteriores também passou a ser escrito no alfabeto latino. A existência futura do Ladino é incerta, pois muitos de seus falantes são idosos e apenas fragmentos do idioma são transmitidos para as gerações mais jovens.

Continue lendo “O Ladino”

O judeu que lutou contra a censura da Inquisição

Manuscrito raro de um judeu italiano: requerimento raivoso do judeu de Ferrara para as autoridades da Inquisição requerindo que o fim da censura de seus livros impressos.

Continue lendo “O judeu que lutou contra a censura da Inquisição”

1º Congresso de Identidade e Memória Sefaradi em Portugal

No mês passado, ocorreu um congresso sem precedentes em Portugal: três dias de conferências acadêmicas, lideradas por renomados historiadores, sobre o passado judaico em Portugal.

Continue lendo “1º Congresso de Identidade e Memória Sefaradi em Portugal”

Esta biblioteca judaica de 400 anos sobreviveu de Hitler à Inquisição

Traduzido livremente do artigo de Cnaan Liphshiz, publicado no site do Times of Israel

 

Aberta ao público poucas vezes por ano, a Lifvraria Ets Haim, de Amsterdam, possui um tesouro de textos que exibem uma celebração cultural do intelectualismo

AMSTERDAM (JTA) – A livraria Ets Haim é a biblioteca judaica mais antiga do mundo. Como tal, não é estranha a supostas perspectivas de destruição iminente.

Fundada em 1616 por judeus que fugiram da perseguição católicana Espanha e em Portugal, a biblioteca de três quartos fica ao lado da majestosa sinagoga portuguesa de Amsterdam, no centro da capital holandesa.

Continue lendo “Esta biblioteca judaica de 400 anos sobreviveu de Hitler à Inquisição”

Estudantes do Machon Miriam ganham Mezuzot em uma competição

Na Espanha e Portugal existem espaços vazios no canto superior direito dos batentes da porta, ao entrar nas casas. Estas são as posições onde um dia, as Mezuzot foram colocadas, sinalizando que a casa pertencia a uma família judia.

Nos últimos 500 anos, as Mezuzot desapareceram, principalmente porque os judeus, de todos os países de língua espanhola foram expulsos ou forçados a se converter ao catolicismo. Estes judeus são conhecidos como Bnei Anussim, vivendo sua vida judaica em segredo, longe dos olhos curiosos da Inquisição e seus executores.

Continue lendo “Estudantes do Machon Miriam ganham Mezuzot em uma competição”

Nova professora de hebraico em Portugal: Shoshana Hovav

Os Bnei Anussim e as comunidades judaicas de Portugal receberam um novo professor voluntário de hebraico: Shoshana Hovav. Ensinar em Portugal é um tipo de retorno para Hovav, que pode traçar sua ascendência familiar de volta à comunidade judaica portuguesa, antes de sua expulsão no século XV.

Continue lendo “Nova professora de hebraico em Portugal: Shoshana Hovav”