Sobre o Processo

Quem deseja se preparar para o processo de conversão, deverá escolher uma, dentre as opções apresentadas a seguir:

Existem países nos quais as congregações judaicas já possuem um processo de conversão, de modo que o interessado deve contactar o rabino local e solicitar ser aceito nesse programa. Normalmente, os países com uma grande comunidade judaica já possuem seu próprio tribunal rabínico autorizado.

No entanto, existem países em que os tribunais rabínicos de conversão são inexistentes. Nestes casos deve haver, ao menos, uma congregação judaica que ofereça um programa de estudos válido e, ao concluir este programa com êxito, o interessado é enviado a um tribunal rabínico em outro país.

Quem se encontra em um país onde não existem as possibilidades acima mencionadas, ou, caso queiram se converter diretamente pelo Rabinato Chefe de Israel, podem escolher entre duas possibilidades:

  1. Quem deseja viver em Israel logo após a conversão, deve pertencer a uma comunidade judaica ortodoxa, que possua um rabino. O tempo mínimo que esta relação deve durar é de um ano, após o qual eles devem solicitar uma carta de recomendação do rabino, que deve conter: quanto tempo pertenceu a esta congregação, com quais atividades esteve envolvido e quais Mitzvot cumpre. Esta carta é apresentada ao Departamento de Exceções do Ministério do Interior e ao Rabinato Chefe de Israel, aonde aguardará a aprovação de ambas as instituições, para desta maneira aprovarem seu visto.

A princípio, a pessoa deve viajar a Israel para uma primeira entrevista e espera a resposta final do Conselho.

Se a resposta for positiva, o requerente pode fazer um curso de um ano. Neste tempo, não se esta autorizado a trabalhar (o visto não inclui essa possibilidade), e, portanto a pessoa deve possuir fundos suficientes para seu próprio sustento. Após este ano de estudo, quando o candidato está pronto, ele deve comparecer perante a Corte Rabínica e, se tudo correr bem, a conversão é celebrada e este recebe sua cidadania israelense.

  1. Quem deseja retornar ao seu país de origem após a conversão, deve se aproximar de uma comunidade judaica ortodoxa em sua região, que possua um rabino. Com este, a pessoa deve se preparar para a conversão. Quando o rabino sinta que já está pronto, o rabino é quem deve entrar em contato com o Rabinato Chefe de Israel e marcar uma data para se apresentar ao Tribunal Rabínico.

Neste momento, o requerente deverá viajar para Israel para assim, poder participar de sua entrevista e assistir o veredicto do Tribunal. Se tudo correr bem, a conversão é feita e, em seguida, este pode retornar para casa.

Um ano após ter completado a conversão em Israel e, cumprindo com a condição de que o candidato continua participando ativamente da comunidade judaica, pode-se emigrar para Israel (Aliá).

Antes de se envolver em um processo formal de alguma congregação/comunidade em particular, ou com algum tribunal rabínico específico, é importante definir as metas pessoais.

Se você quiser ser aceito em uma congregação em especial, é aconselhável verificar se esta, aceita a conversão a ser realizada. Além disso, caso você queira fazer Aliá para Israel, é essencial verificar que tal conversão permite o direito a cidadania israelense.

Para poder realizar um processo de retorno ao invés do processo de conversão, é necessário apresentar documentos que comprovem, indubitavelmente, a descendência judaica pelo lado materno, não somente genealogicamente, como também a nível judaico.

No caso dos Bnei Anussim são necessários os documentos da Inquisição Espanhola que atestem que seus antepassados eram judaizantes.

É importante ressaltar que devido a distância, cada vez maior, com a época da Inquisição, realizar uma pesquisa como esta, e obter resultados positivos, nem sempre é fácil ou mesmo possível.

De qualquer modo, os processos atuais de retorno não são aceitos para fazer Aliá.

Machon Miriam

A Shavei Israel possui um instituto de conversão e retorno para estudantes de lingua portuguesa, espanhola e italiana. Caso tenha interesse em estudar no instituto ou para obter mais informações sobre o Machon Miriam, clique aqui.

Esperamos que estas informações lhe sejam úteis!

Para qualquer consulta adicional, por favor contate a: spanish@shavei.org .