A Cura das Almas

Comentário sobre a porção semanal da Torá de Vayicrá

 

A razão para os sacrifícios no Templo14959M

Nossos Sábios indicam que, desde o primeiro homem, Adão, protótipo do gênero humano, se ofereciam sacrifícios ao Criador. No casa de Adão, quando ele se conscientizou de sua criação, como aprendemos no tratado de Chulin (60a) e no Yalcut Shim’oni, a partir de um versículo do Salmos (69:32). Assim como seus dois filhos, sendo que, um foi aceito, enquanto que o outro foi rejeitado, provocando uma inveja mortal. Depois deles, Noach (Noé) também faz um sacrifício ao Criador ao deixar a Arca, onde permaneceu preso durante o Dilúvio (8:20).

Encontramos outros sacrifícios na Torá até chegarmos aos Patriarcas, que construíram, no total, sete altares, indicando em alguns deles que serviam para “invocar o Seu nome”(cf.12:8). Esta expressão nos mostra que Avraham envolvia as pessoas a sua volta e não se contentava com uma ação particular. Continue reading “A Cura das Almas”

Os judeus chineses e o poder da unidade judaica

china-150x150Quando o fogo devastador de dezembro atingiu a montanha Carmel, em Israel, a comunidade judaica de Kaifeng, China, ficou perturbada. Mesmo que a maioria da comunidade nunca havia visitado Israel, muito menos a parte norte do país, os judeus de Kaifeng sentiram fortemente que precisavam ajudar da maneira que podiam.

Com o auxílio de Eran Barzilay, um jovem israelense que estudava chinês na Universidade de Henan em Kaifeng, a comunidade decidiu fazer uma doação para o Centro de Juventude Yemin Orde, que estava no epicentro do fogo.
Continue reading “Os judeus chineses e o poder da unidade judaica”

O Pastor Fiel

Comentário sobre a porção semanal da Torá – Ki Tissa

 

Caso os perdoe…images

Todos nós sabemos qual foi a reação de Moshe frente ao grande perigo que ameaçou o Povo após terem cometido o pecado do Bezerro de Ouro. A Torá, no livro de Deuteronômio (9:8), nos descreve que o Criador estava muito chateado com o Povo de Israel, a ponto de querer exterminá-los completamente.

Curiosamente, o Criador diz a Moshe (Dt 9:14): “Deixe-me e os exterminarei, e apagarei este povo sob os céus, e Eu farei de ti um povo mais grande e poderoso que estes”.

De acordo com nossos sábios do Talmud, a resposta de Moshe foi: “se um povo com três Patriarcas não pode ser salvo em um momento de “fúria divina”, como o farão com somente um Patriarca?”

A versão do livro do Êxodo (32:32) diz: “E agora, caso os perdoe… e caso não [os perdoe], pode riscar-me deste Livro que você escreveu”, sendo que a expressão “caso os perdoe” se trata de uma expressão honorífica, em que realmente significa “você deve perdoar”. Continue reading “O Pastor Fiel”

Os Subbotnik de Vysoky terão sua primeira sinagoga após 100 anos

Rabbi Avrasin gets to work on the new synagogue in Vysoky
Rabbi Avrasin gets to work on the new synagogue in Vysoky

A comunidade judaica em Vysoky, Rússia, receberá sua primeira sinagoga depois de 100 anos. Juntamente com o Congresso Judaico Russo e a Comunidade Judaica de Voronezh, a Shavei Israel adquiriu uma casa antiga no centro da cidade, que será reformada para estudo e oração. A casa não tem sido usada por vários anos, relata a coordenadora da Shavei Israel para os judeus Subbotnik, Esther Surikova.

Espera-se que a nova sinagoga de Vysoky seja frequentada por centenas de judeus subbotnik regularmente, diz Surikova. Até o momento, a comunidade reunia-se em casas particulares. A população Vysoky tem cerca de 1.000 pessoas e cerca da metade são judeus. Quinze crianças frequentam a escola judaica aos domingos.

Vysoky é uma vila no sul da Rússia, onde cerca de 200 anos atrás, no início do século XIX, sob o domínio do czar Alexandre I, milhares de camponeses russos foram convertidos ao Judaísmo. Muitos deles estudaram alguns anos nas grandes Yeshivot da Lituânia, enquanto milhares emigraram para Israel durante a segunda Aliá no início do século 20. O nome Subbotnik vem do amor a ‘Subota’, a palavra russa para o ‘Shabat’.

Vysoky tinha uma sinagoga até 1930. Hoje, a sinagoga mais próxima situa-se em Voronezh e é usada por judeus de todos os tipos. Já a sinagoga de Vysoky será frequentada, exclusivamente, pelos judeus Subbotnik.

O emissário da Shavei Israel para os judeus Subbotnik, o Rabino Zelig Avrasin criou uma proposta ambiciosa para o futuro da sinagoga local. Além da escola judaica, o rabino Avrasin quer criar um cineclube e abrir um “museu da comunidade judaica Subbotnik” dentro da Sinagoga.

Além da própria construção, o Rabino Avrasin espera construir um Micvê que também pode servir como ‘abanya’ – o equivalente russo para a sauna comum . A fim de fornecer alimentos kosher para a comunidade, o rabino Avrasin planeja dedicar uma parte do pátio da Sinagoga para Shechita.

Planos de la sinagoga
Planos de la sinagoga

O edifício, que é composto por 5 quartos possui 150 metros quadrados e está situado em uma área de 1500 metros quadrados de terreno. O maior espaço será usado para oração e estudo, os outros quartos serão o escritório do rabino, seu quarto, uma cozinha e banheiros.

Uma das pessoas-chave, relacionadas a construção da nova sinagoga em Vysoky é Alexander Gridnev, um cidadão israelense que vive na aldeia e atua como ‘Gabay’, coordenando os serviços da sinagoga. Gridnev tem trabalhado duro para ajudar com os pagamentos do gás, electricidade e sistema de água, durante os serviços nas casas das pessoas. E, um Sefer Torá já foi encomendado a Moscou.

“A única barreira para o progresso é levantar os fundos necessários”, diz Surikova.

Para a construção do edifício (que custou US$ 30.000), eles levantaram todos os fundos, mas isso é apenas o começo. Reparos para transformar o local em uma sinagoga são estimados em US$ 60.000. As reformas já começaram e, por enquanto os custos estão sendo cobertos pela comunidade judaica de Voronezh, além de algumas pequenas doações por parte da comunidade judaica Subbotnik de Beit Shemesh, Israel .

Precisamos de ajuda para completar este importante centro cultural e espiritual.

Caso considere fazer uma doação para a comunidade Subbotnik, visite-nos em “Como você pode nos ajudar” no site.

Ajude três jovens polonesas a retornar ao judaísmo

Nosso novo emissário em Cracóvia, o rabino Avi Baumol, já está recolhendo os frutos de seu novo porém duro trabalho.

Três jovens de muita energia, duas das quais têm raízes judaicas, expressaram seu desejo fervoroso de conhecer Israel e estudar a Torá na Terra Santa e, a Shavei Israel concordou com o pedido e organizou uma viagem de duas semanas aonde se acomodarão em Efrat, nos subúrbios de Jerusalém, cidade onde o rabino Baumol mora.

Kinga
Kinga

Kinga Zmysłowska, nasceu em Gdansk, em 1987, e é, atualmente, uma estudante de arte em Cracóvia. Kinga, como muitos jovens poloneses, nasceu em uma família católica até o momento em que descobriu que sua avó e sua mãe, mantinham certas tradições judaicas. Desejando saber mais sobre a religião de seus antepassados, veio para o CJC, Centro Judeu em Cracóvia, onde se encontrou com o rabino Baumol e se inscreveu em aulas e atividades. Continue reading “Ajude três jovens polonesas a retornar ao judaísmo”

Quem é o Sábio?

Comentários da Porção Semanal de Yitro

 

MOSHE RABENUimages

Na Parasha de Yitro somos testemunhas de um fenômeno extraordinário.

Por um lado, temos Moshe, que está prestes a receber a Torá das “mãos” do Criador, a Torá, que é a ciência das ciências, a sabedoria das sabedorias, a Torá que possui tudo escrito ou implícito. A mesma Torá, que os anjos do céu não quiseram deixá-la em mãos humanas por sua grande santidade, por seu alto grau de perfeição.

E este é Moshe, que se torna o mestre de todo Israel, a ponto de receber o título de “Rabeinu” = “nosso mestre”, que, se encontra uma montanha obstruindo sua passagem a Lei, a Torá, é capaz de perfurar a montanha. Moshe, eis que, ao chegar Yitro seu sogro, que não pertence ao povo de Israel, está disposto a obter o seu conselho. Continue reading “Quem é o Sábio?”

Operação Menashe: Conheça Harel Kingbol, que está fazendo aliá de Mizoram

Harel Kingbol no Muro Ocidental, em 2010
Harel Kingbol no Muro Ocidental, em 2010

A Shavei Israel está, neste momento, se preparando intensamente para a “Operação Menashe ” – a próxima onda de Alyot de Bnei Menashe da Índia – que irá trazer 899 pessoas para Israel ao longo dos próximos 15 meses. O primeiro grupo de imigrantes é de Mizoram e chegará neste final desta semana! É a primeira operação deste tipo no estado indiano, com a segunda maior população Bnei Menashe, em quase 7 anos. Apresentamos para vocês a terceira em nossa série de perfis de famílias de Bnei Menashe que estarão chegando em breve no Estado judeu. Conheça, dessa vez, Harel Kingbol.

Por quase 20 anos, Harel Kingbol sonhou em fazer Alya para Israel a fim de que seus filhos “nunca enfrentassem os mesmos problemas e o sofrimento com o qual eu cresci”, diz ele. Para Kingbol, o sofrimento começou quando tinha 9 anos de idade, no seu Brit Milá (ritual de circuncisão). No estado indiano de Mizoram, onde vive, Kingbol explica que, nenhum médico realizaria a circuncisão nessa idade e, Kingbol e sua família ainda não faziam parte de uma comunidade de Bnei Menashe e, portanto, não tinham seu próprio Mohel (autoridade judaica que pratica o ritual de circuncisão).

No entanto, não foi a dor causada por este duro procedimento em uma idade avançada que causou o sofrimento de Kingbol. Seus jovens amigos o zombavam por sua decisão e, especialmente por sempre usar um Quipá (solidéu) e um Talit Katan (uma peça de roupa com franjas usado sob a camisa). “Eles tentavam derrubar minha quipá e puxar as cordas do Talit Katan, já que eu nunca os escondia”, ele lembra.

Mais tarde, Kingbol se juntou a um time de futebol semi-profissional em Kolkata (Calcutá). “Lá também enfrentei muitos problemas”, lamenta. “Após o diretor do clube descobrir que eu era judeu, eu raramente tive uma chance de jogar”.

Apesar das dificuldades, Kingbol permaneceu forte. “Tenho orgulho de ser judeu e de ser Bnei Menashe”, diz ele. Tanto que, Kingbol, aos 26 anos, foi nomeado um dos “Amigos” da Shavei Israel entre a comunidade Bnei Menashe, servindo como um líder comunitário e educador. Seu compromisso inabalável agora está prestes a ser recompensado: ele e sua família estão incluídos no programa de Alya do próximo grupo de Mizoram!

E nada muito cedo. Kingbol e sua esposa Hodaya têm dois filhos: Rachel, 3, e Nevo, de um ano de idade. Rachel já começou a fazer perguntas, diz Kingbol. “Ela é muito inteligente. Ela quer saber por quê somos diferentes do que as pessoas ao nosso redor. Por que não comemos carne de porco ou caranguejo? Sua mãe lhe diz que ‘se você comer essas coisas você não será saudável, por isso, se você quer crescer e se tornar uma linda menina, você deve comer kosher’. Eu, por outro lado, olho para o Salmo 126 [O Cântico dos que Ascendem, onde se lê “Quando D’us trouxe do cativeiro os que voltaram a Sion, estávamos como os que sonham… Os que semeiam com lágrimas colherão com cânticos de alegria”]. Eu sei como é difícil levar uma vida judaica fora da Terra Santa”.

Kingbol já experimentou um pouco do que está por vir: em 2010, ele fez parte de um grupo de líderes de Bnei Menashe que vieram para Israel em uma viagem patrocinada pela Shavei Israel. (Vide Foto)

Os pais de Kingbol sofreram na Índia também, por serem judeus. Seu pai trabalhou para o governo que, como Kingbol diz, não lhe permitia descansar no Shabat e nas festas. Quando o pai de Kingbol se tornou mais observador, ele se candidatou para uma pensão voluntária, mas a agência recusou. Levou vários anos antes de seu pedido ser finalmente aprovado.

Kingbol vive hoje com toda sua família, incluindo seus pais, em Aizawl, a capital de Mizoram. “Eu rezo para que meu pai e minha mãe, que me criaram para ser um judeu orgulhoso, e todos os meus irmãos e irmãs [ele tem dois], sejam capazes de retornar à Terra Prometida muito em breve”, diz ele.

Com a ajuda de Shavei Israel, este dia está se aproximando rapidamente, assim como também é mencionado no Salmo 126: “Grandes coisas fez o Senhor por nós, pelas quais estamos alegres!”.