Quem é o Sábio?

Comentários da Porção Semanal de Yitro

 

MOSHE RABENUimages

Na Parasha de Yitro somos testemunhas de um fenômeno extraordinário.

Por um lado, temos Moshe, que está prestes a receber a Torá das “mãos” do Criador, a Torá, que é a ciência das ciências, a sabedoria das sabedorias, a Torá que possui tudo escrito ou implícito. A mesma Torá, que os anjos do céu não quiseram deixá-la em mãos humanas por sua grande santidade, por seu alto grau de perfeição.

E este é Moshe, que se torna o mestre de todo Israel, a ponto de receber o título de “Rabeinu” = “nosso mestre”, que, se encontra uma montanha obstruindo sua passagem a Lei, a Torá, é capaz de perfurar a montanha. Moshe, eis que, ao chegar Yitro seu sogro, que não pertence ao povo de Israel, está disposto a obter o seu conselho. Continue reading “Quem é o Sábio?”

O cuidado pessoal de D’us por cada um de nós

Comentário sobre a porção semanal da Torá – Yitro

Chegamos a esta parashá com um dos legados mais importantes que o judaísmo deu à humanidade. São apresentados na Parashat Yitro os Dez Mandamentos para o povo de Israel.

Curiosamente, o compêndio conhecido como “dez mandamentos” começa com uma frase completamente estranha para um “mandamento”: “Eu sou o seu D`s”, e nos explica “que te tirei da terra do Egito, da casa de escravidão”. D`s é, dessa forma, apresentado para cada um de nós, semeando a fé e a fidelidade em nossos pensamentos e condutas, antes dos preceitos que nos passaria mais tarde. O estilo em que o Criador se apresenta ao seu povo marca uma diferença essencial entre o judaísmo e a maioria das outras religiões. O D`s que se apresenta neste primeiro mandamento não é uma divindade prescindente, que criou o mundo e recolheu-se a sua realidade transcendental, nem é um D`s cujas atitudes nos lembram as de um homem, vingativo e ansioso pela proeminência. A Torá nos apresenta aqui um D`s pessoal, direto, que acompanha e participa da vida de cada homem. Para Este D’s a Criação é um processo contínuo, que se renova a cada momento e em cada ato se manifesta em uma combinação harmoniosa entre a palavra divina e as ações humanas.

A apresentação do Criador não faz nenhuma menção à criação do céu e da terra, porque os dados não acrescentam em nada para a relação individual de um homem com o seu D`s. O D’s que tirou o povo do Egito, e os redimiu da escravidão, é um D’us participativo, que supervisiona a vida de cada um, que não ignora Sua responsabilidade e se envolve na história.

No final do texto deste comando está a base para o compromisso e a autoridade. Não há doutrina religiosa sem um sistema vertical de regulamentação com origem em sua fé. O D`s que reivindica sua participação na vida do homem individual deixa na mão do homem a decisão de aceitar ou rejeitar a sua realidade. O homem pode aceitar os ensinamentos e as doutrinas que são oferecidas, ou rejeitar, mas deve ser coerente com as suas próprias decisões, uma vez que gozava de liberdade absoluta no momento da escolha. D`s requer um compromisso absoluto de nós, baseado exclusivamente no exercício responsável de nossa liberdade de escolha!

O Simbolismo das Vestimentas

Comentário sobre a Porção Semanal da Torá – Tetzavê

 

A Torá dedica mais de quarenta versículos a descrição das vestimentas ordenadas a Moshe para prover como “vestimentas sagradas” aos sacerdotes. Em nossa parashá lemos uma descrição detalhada de tais vestimentas e dos materiais a serem usados para sua confecção. O aparato dos sacerdotes no Templo é descrito com o maior cuidado. As vestimentas eram suntuosas, segundo diz o versículo: “para sua dignidade e esplendor” Por que eram tão importantes as roupas do Sumo Sacerdote? Continue reading “O Simbolismo das Vestimentas”

Do Individualismo ao Coletivismo Nacional-Religioso

Comentários sobre a Porção Semanal Bô

 

Esta é a mitzvá denominada “o sacrifício de Pessach” (Korbán Pessach). A mesma foi executada pelos filhos de Israel durante seu cativeiro no Egito. Trata-se da primeira mitzvá que os filhos de Israel realizaram na qualidade de povo, e a preservaram até a destruição do Templo Sagrado.

Continue reading “Do Individualismo ao Coletivismo Nacional-Religioso”

Da Escravidão à Liberdade

Comentário sobre a Porção Semanal de Shemot

Enquanto o Gênesis é o relato da criação do universo e do homem, o livro de Êxodo (Shemot) é por sua vez, o relato fiel da criação de uma nova nação.

Todos os relatos do Gênesis posteriores a criação giram em torno a personagens. No núcleo dos capítulos se encontram algumas personalidades: Adão, Cain, Noé, os patriarcas…

Continue reading “Da Escravidão à Liberdade”

O Que é um Milagre?

Comentários sobre a Porção Semanal de Beshalach

Desde os tempos remotos, as histórias sobre os milagres despertam grande interesse. Em nossa parashá ocorrem dois dos milagres mais interessantes e conhecidos: a separação das águas do Mar Vermelho e a provisão do “maná” (comida que D-us fez chover diariamente ao povo de Israel durante os quarenta anos que permaneceram no deserto).

O primeiro milagre, o da abertura do Mar Vermelho, foi um milagre momentâneo e único; D-us converteu o mar em terra seca para que o povo Judeu pudesse atravessá-lo e salvar-se da ameaça egípcia.

Continue reading “O Que é um Milagre?”

O Homem e a Fé no Mundo Moderno

Comentário sobre a Porção Semanal da Torá – Itrô

 

Nesta parashá nos encontramos pela primeira vez com os Dez Mandamentos. Dez Mandamentos que foram entregues ao povo de Israel como parte de seus preceitos morais e religiosos. O primeiro dos Dez Mandamentos afirma que o conhecimento de D-us é simultâneo a negação dos ídolos.

D-us “se apresenta” neste primeiro mandamento diante do povo de Israel ensinando o preceito da fé no Criador. Sua apresentação é clara e concisa: “Eu sou teu D-us… que te tirei da terra do Egito…”. D-us se apresenta como o D-us da história, um D-us que é consciente do que acontece com seu povo e não está alheio a sua situação.

Continue reading “O Homem e a Fé no Mundo Moderno”