Esta biblioteca judaica de 400 anos sobreviveu de Hitler à Inquisição

Traduzido livremente do artigo de Cnaan Liphshiz, publicado no site do Times of Israel

 

Aberta ao público poucas vezes por ano, a Lifvraria Ets Haim, de Amsterdam, possui um tesouro de textos que exibem uma celebração cultural do intelectualismo

AMSTERDAM (JTA) – A livraria Ets Haim é a biblioteca judaica mais antiga do mundo. Como tal, não é estranha a supostas perspectivas de destruição iminente.

Fundada em 1616 por judeus que fugiram da perseguição católicana Espanha e em Portugal, a biblioteca de três quartos fica ao lado da majestosa sinagoga portuguesa de Amsterdam, no centro da capital holandesa.

Continue lendo “Esta biblioteca judaica de 400 anos sobreviveu de Hitler à Inquisição”

Um novo Beit HaMidrash em El Salvador

A comunidade de Bnei Anussim de El Salvador abre um novo Beit Midrash (casa de estudos judaicos), oferecendo opções de estudo e orações em duas sessões diárias. O centro de estudo está localizado na Sinagoga Beit Israel na capital, San Salvador.

Os participantes da sessão matutina estudam os conceitos básicos de oração por duas horas. Na sessão da tarde, a maior de todas, estudam Halachá (lei judaica) e Parashat HaShavua (porção semanal da Torá). Nesta sessão, também têm a oportunidade de rezar Minchá (reza vespertina) e Maariv (reza noturna).

As sessões diárias são apenas para homens. Na quarta-feira à noite acontece uma classe geral da qual as mulheres também podem participar.

O Beit Midrash é chamado Porat Yosef, como a famosa Yeshiva sefardita de Jerusalém.

Aqui nós apresentamos um pequeno vídeo do Beit Hamidrash em ação:

Feira judaica do turismo português em Israel

O Rabino Elisha Salas, emissário da Shavei Israel para os Bnei Anussim de Portugal e Espanha, esteve, recentemente, de volta a Israel para participar de uma feira especial de turismo. O evento foi patrocinado pelo Ministério do Turismo israelense para promover a Rede de Juderias, uma nova trilha turística que passa através de um número de locais judaicos históricos no país.

O Rabino Salas é o consultor daquilo que traduzimos vagamente como a “Rede de Bairros Judaicos Portugueses”. Trata-se de uma iniciativa do governo português.

O Rabino Salas juntou-se na feira de turismo por um membro da comunidade Bnei Anusim de Belmonte e o prefeito da cidade. O Rabino Salas vive em Belmonte.

Aqui estão algumas fotos:

O jornal português Pais Positivo escreveu sobre o trabalho do Rabino Salas com os Bnei Anussim em Portugal, sobre o centro de estudos “Beit HaAnusim” de Belmonte e sobre a Rede de Judiarias. Segue a imagem da matéra do jornal.

scan_2017_02_08_00_27_25_953_001

Plantando árvores em honra a Tu B’Shvat

Os alunos do Rabino Elisha Salas, emissário da Shavei Israel para Portugal e Espanha, decidiram adotar o belo costume de plantar árvores no feriado de Tu B’Shvat.

Em Tu B’Shvat celebramos o ano novo das árvores, e a Torá compara o homem como a árvore do campo. Plantar uma árvore é uma mensagem de solidariedade para com as gerações futuras, que somente estas terão a árvore plantada na sua glória, quando ela crescer.

No domingo passado – desafiando as respectivas chuva, neve e frio – as comunidades de Alicante, Belmonte e Lisboa saíram ao encontro da natureza.

Em Belmonte, as festividades começaram cedo, na véspera do Shabat. Os estudantes reuniram-se com o Rabino Salas e durante o dia sagrado de descanso, realizaram um tradicional “seder” (ritual) repleto de saborosas frutas e vinhos.

O Rabino Salas voltou na própria sexta-feira à tarde de Israel, após ter participado de uma Feira de Turismo, realizda pelo Ministério do Turismo, promovendo a Red de Juderías Portuguesa, rota turística que passa por todos os locais judaicos históricos. Mas não havia porque se preocupar! Os diligentes estudantes do rabino prepararam todo o Shabat, cozinharam, receberam os convidados, prepararam a mesa festiva do Beit HaAnussim (centro de estudos da Shavei Israel em Belmonte) e até prepararam um guia em Português para oficiar o seder, segundo a antiga tradição cabalística.

Aqui apresentamos algumas imagens do grupo de Belmonte plantando uma árvore:

A seguir, Lisboa:

E enfim, Alicante:

Feira de Turismo:

Queijo Kosher em Belmonte com o Rav Elisha Salas

Procurando queijo kosher em Portugal? Vá a Belmonte, onde o emissário da Shavei Israel, o Rabino Elisha Salas, está supervisionando uma nova linha de queijos kosher de ovelha. (Este na foto é o nosso estimado rabino acima de uma grande piscina de leite de ovelha!)

Esta não é a primeira vez que o rabino Salas explora o mundo da fabricação de queijo. Supervisionou a produção de queijo em Trancoso, outra cidade portuguesa com uma comunidade Bnei Anussim.

O último queijo perfurmado da Shavei Israel é patrocinado pelo rabino Usher Eckstein, que ensina em Nova York, onde também fornece supervisão kosher.

Todos os novos queijos de ovelha são certificados de chalav israel (leite acompanhado por um judeu desde o príncipio de sua produção).

O rabino Elisha diz que o trabalho não somente fornece queijo kosher em Belmonte, mas também fornece trabalho para as famílias judaicas locais, descendentes de Bnei Anussim, que vivem em Belmonte.

O Rabino Salas tem estado na estrada mais do que de costume: assumiu a posição do ex-emissário da Shavei Israel na Espanha, o Rabino Nissan Ben-Avraham, dando classes e visitando as comunidades da nação vizinha. Ele visitou recentemente a comunidade Bnei Anussim em Alicante, encontrando-se com o presidente, ensinando para dez pessoas e dando boas-vindas ao Shabat.

“Não há nenhum minian regular (quórum de dez homens) em Alicante”, relata o Rabi Salas, “e esta foi a primeira vez na história da comunidade que um shacharit [serviço da manhã] foi realizado”.

A comunidade já lhe pediupara aumentar os dias de estudo.

“Eles não querem me deixar descansar!”, Ele brinca.

Aqui estão mais algumas fotos.

Bnei Anussim da Colômbia recebem um novo Sefer Torá

Com grande alegria, a comunidade Bnei Anussim de Barranquilla, Colômbia teve a honra de celebrar a recepção de um novo Sefer Torá, através da tradicional cerimônia de “Hachnasat Sefer Torá”. O evento festivo foi preenchido por muita dança e música com os rolos da Torá, expressando o laço indissolúvel entre a vida judaica e as leis de Moisés. Temos fotos da celebração – é possível ver o Sefer sendo levado em uma procissão e depois, a dança na sinagoga.

Hachnasat Sefer Torá foi precedida por um grande Shabaton no qual participaram as comunidades Bnei Anussim do longo da costa colombiana: Cartagena, Santa Marta e Valledupar.

Estas comunidades sionistas crescentes são compostas seja por descendentes de Anussim – que redescobriram nos últimos anos suas raízes – tanto por pessoas de passado não-judaico, que escolheram o caminho da conversão. Estes todos são apoiados pelo emissário da Shavei Israel na Colômbia, o Rabino Shimon Yehoshua. As instalações locais incluem uma yeshiva, mikvê (banho ritual) e uma escola primária Talmud Torá para as crianças. Alimentos Kosher também estão disponíves.

Temos mais algumas fotos de um serviço de oração da manhã conjunta que aconteceu em Cali, com a participação de membros da comunidade Magen Abraham.

Rabino de Belmonte – 500 anos de tradição judaica

Representante de todos os judeus de Belmonte, o Rabino Elisha Salas concede uma entrevista ao País Positivo desmitificando o facto de a comunidade judaica ser considerada fechada e pouco receptiva a visitas de pessoas exteriores à comunidade.

Rabino de Belmonte, Elisha Salas
Rabino de Belmonte, Elisha Salas

Com um poder de oratória notável recebe os convidados dentro da Sinagoga. Começa por explicar a disposição das pessoas: “homens em baixo com kipá sobre a cabeça e as mulheres no piso superior de cabelos cobertos”

É um membro ativo em Belmonte que prima por promover e divulgar a cultura judaica. As ações pela Rede de Judiarias de Portugal ajudam o seu trabalho?

A comunidade judaica de Belmonte é um pequeno organismo que sozinho não consegue disseminar 500 anos de história da presença judaica em Portugal, precisamos de um organismo mais amplo e forte para o fazer e a Rede de Judiarias de Portugal vem desempenhar, na perfeição esse papal. É necessário desenterrar a história judaica, leva-las às pessoas e expor a riqueza que se encontra escondida no território português.

Há na sua opinião, muito trabalho por efetuar?

Acredito que sim. Todos os organismos trabalharam para melhorar, preservar e conservar o patrimônio local, agora devem-se unir e criar uma rota única de forma a eu o turista não perca tempo com as viagens e fique perdido quando necessita de alguma informação adicional. O trabalho em rede, em comunidade é fundamental e a Rede de Judiarias de Portugal está a trabalhar nesse sentido.

Recebe a visitas de muitos turistas judeus?

Todos os turistas que visitam Belmonte ficam encantados com a região e querem conhecer mais do país, a sua curiosidade fica aguçada e a Rede de Judiarias desempenha um papel fundamental ao criar rotas devidamente assinaladas e estruturadas para que estas pessoas satisfaçam a sua curiosidade e regressem.

Criadas as Rotas é necessário criar condições para receber os turistas que têm regras diferentes da cultura portuguesa. Nota que já existe essa sensibilidade?

Já existem alguns restaurantes que servem comida kosher. Desloquei-me ao local para ensinar e me certificar de que a comida é confeccionada mediante as nossas regras e certifiquei esses restaurantes. Atualmente já existem queijos, compotas, carnes e bebidas que podem ser adquiridas e que têm a certificação kosher.

 

Artigo publicado no jornal País Positivo