O museu judaico de Belmonte reabre suas portas após uma renovação de 350 mil dólares

A cidade de Belmonte renovou e reabriu seu museu judaico – o maior museu do mundo sobre os Bnei Anussim – os descendentes de judeus forçados a se converter ao catolicismo há 500 anos atrás. O projeto contou com um orçamento no valor de US$ 350.000 e está programado para começar a funcionar no dia da homenagem ao Dia Anual da Cultura Judaica Europeia, que acontece em setembro.

Continue lendo “O museu judaico de Belmonte reabre suas portas após uma renovação de 350 mil dólares”

O judeu que lutou contra a censura da Inquisição

Manuscrito raro de um judeu italiano: requerimento raivoso do judeu de Ferrara para as autoridades da Inquisição requerindo que o fim da censura de seus livros impressos.

Continue lendo “O judeu que lutou contra a censura da Inquisição”

1º Congresso de Identidade e Memória Sefaradi em Portugal

No mês passado, ocorreu um congresso sem precedentes em Portugal: três dias de conferências acadêmicas, lideradas por renomados historiadores, sobre o passado judaico em Portugal.

Continue lendo “1º Congresso de Identidade e Memória Sefaradi em Portugal”

Esta biblioteca judaica de 400 anos sobreviveu de Hitler à Inquisição

Traduzido livremente do artigo de Cnaan Liphshiz, publicado no site do Times of Israel

 

Aberta ao público poucas vezes por ano, a Lifvraria Ets Haim, de Amsterdam, possui um tesouro de textos que exibem uma celebração cultural do intelectualismo

AMSTERDAM (JTA) – A livraria Ets Haim é a biblioteca judaica mais antiga do mundo. Como tal, não é estranha a supostas perspectivas de destruição iminente.

Fundada em 1616 por judeus que fugiram da perseguição católicana Espanha e em Portugal, a biblioteca de três quartos fica ao lado da majestosa sinagoga portuguesa de Amsterdam, no centro da capital holandesa.

Continue lendo “Esta biblioteca judaica de 400 anos sobreviveu de Hitler à Inquisição”

Um novo Beit HaMidrash em El Salvador

A comunidade de Bnei Anussim de El Salvador abre um novo Beit Midrash (casa de estudos judaicos), oferecendo opções de estudo e orações em duas sessões diárias. O centro de estudo está localizado na Sinagoga Beit Israel na capital, San Salvador.

Os participantes da sessão matutina estudam os conceitos básicos de oração por duas horas. Na sessão da tarde, a maior de todas, estudam Halachá (lei judaica) e Parashat HaShavua (porção semanal da Torá). Nesta sessão, também têm a oportunidade de rezar Minchá (reza vespertina) e Maariv (reza noturna).

As sessões diárias são apenas para homens. Na quarta-feira à noite acontece uma classe geral da qual as mulheres também podem participar.

O Beit Midrash é chamado Porat Yosef, como a famosa Yeshiva sefardita de Jerusalém.

Aqui nós apresentamos um pequeno vídeo do Beit Hamidrash em ação:

Feira judaica do turismo português em Israel

O Rabino Elisha Salas, emissário da Shavei Israel para os Bnei Anussim de Portugal e Espanha, esteve, recentemente, de volta a Israel para participar de uma feira especial de turismo. O evento foi patrocinado pelo Ministério do Turismo israelense para promover a Rede de Juderias, uma nova trilha turística que passa através de um número de locais judaicos históricos no país.

O Rabino Salas é o consultor daquilo que traduzimos vagamente como a “Rede de Bairros Judaicos Portugueses”. Trata-se de uma iniciativa do governo português.

O Rabino Salas juntou-se na feira de turismo por um membro da comunidade Bnei Anusim de Belmonte e o prefeito da cidade. O Rabino Salas vive em Belmonte.

Aqui estão algumas fotos:

O jornal português Pais Positivo escreveu sobre o trabalho do Rabino Salas com os Bnei Anussim em Portugal, sobre o centro de estudos “Beit HaAnusim” de Belmonte e sobre a Rede de Judiarias. Segue a imagem da matéra do jornal.

scan_2017_02_08_00_27_25_953_001

Plantando árvores em honra a Tu B’Shvat

Os alunos do Rabino Elisha Salas, emissário da Shavei Israel para Portugal e Espanha, decidiram adotar o belo costume de plantar árvores no feriado de Tu B’Shvat.

Em Tu B’Shvat celebramos o ano novo das árvores, e a Torá compara o homem como a árvore do campo. Plantar uma árvore é uma mensagem de solidariedade para com as gerações futuras, que somente estas terão a árvore plantada na sua glória, quando ela crescer.

No domingo passado – desafiando as respectivas chuva, neve e frio – as comunidades de Alicante, Belmonte e Lisboa saíram ao encontro da natureza.

Em Belmonte, as festividades começaram cedo, na véspera do Shabat. Os estudantes reuniram-se com o Rabino Salas e durante o dia sagrado de descanso, realizaram um tradicional “seder” (ritual) repleto de saborosas frutas e vinhos.

O Rabino Salas voltou na própria sexta-feira à tarde de Israel, após ter participado de uma Feira de Turismo, realizda pelo Ministério do Turismo, promovendo a Red de Juderías Portuguesa, rota turística que passa por todos os locais judaicos históricos. Mas não havia porque se preocupar! Os diligentes estudantes do rabino prepararam todo o Shabat, cozinharam, receberam os convidados, prepararam a mesa festiva do Beit HaAnussim (centro de estudos da Shavei Israel em Belmonte) e até prepararam um guia em Português para oficiar o seder, segundo a antiga tradição cabalística.

Aqui apresentamos algumas imagens do grupo de Belmonte plantando uma árvore:

A seguir, Lisboa:

E enfim, Alicante:

Feira de Turismo: