As comunidades de Shavei Israel celebram o 70º aniversário de Israel

Esta tarde, enquanto o sol se põe sobre a transição Mar Mediterrâneo entre Yom Hazikaron-Remembrance Day eo Dia da Independência, Israel celebra o seu 70º aniversário.

Este é um dia muito especial para Shavei Israel; afinal de contas, nosso nome significa literalmente “Israel retorna”. Por isso, é com grande alegria que desejamos a todas as comunidades que apoiamos e a todos vocês que nos ajudam a apoiar estas comunidades: Feliz Yom Ha’Atzmaut!

Shavei Israel teve o privilégio ao longo da última década para ajudar milhares de judeus perderam tribos e “escondido” comunidades judaicas para retornar ambos o povo judeu e o moderno Estado de Israel. Nós não poderíamos fazer sem você, então por favor nos ajudar a soprar as velas em nosso grande bolo de aniversário navegação sionista algumas páginas do nosso site onde você vai encontrar centenas de histórias de judeus em todo o mundo, a partir de Portugal para Peru. , Índia para a Itália e Sibéria para Safed.

Aqui está uma rápida atualização do que as comunidades apoiadas pela Shavei Israel farão para os Dias de Comemoração e Independência deste ano:

O Salvador

A comunidade de Beit Israel Bnei Anousim em San Salvador terá serviços especiais para o Memorial Day.

Então, à noite, como as mudanças de humor da tristeza para a alegria, a comunidade vai celebrar Yom Ha’atzmaut (Dia da Independência) com orações especiais na sinagoga. A comunidade contará histórias históricas e cantará o Hatikva, o hino nacional israelense.

Subbotniks

Na comunidade de Vysoki, na Rússia, as pessoas se encontrarão na sinagoga para serviços especiais. Em Beit Shemesh, as famílias se reúnem nas comemorações comunais do município.

Portugal

É costume Yom Ha’atzmaut é celebrada na sinagoga com orações especiais, incluindo um Hallel festivo, dando graças a Deus pelo milagre s renascimento de Israel como uma nação moderna. A comunidade de Belmonte realizará orações especiais, incluindo um serviço comemorativo para os soldados que servem nas Forças de Defesa de Israel.

Alicante

Vai comemorar Yom Hazikaron Act (Dia da Lembrança) na sinagoga, seguido pela celebração do Yom Haatzmaut (70º aniversário da Independência do Estado de Israel) com jantar comunal no Hotel Leuka.

Colômbia

As doze comunidades pertencentes à ACIC (Associação das Comunidades Israelitas da Colômbia) preparam-se para a grande festa que acontecerá em cada uma das sinagogas.

Bnei Menashe

Yom Ha’atzmaut é sempre celebrado com grande entusiasmo nos estados indianos de Manipur e Mizoram e este ano não será diferente. Espera-se 800 pessoas para as festividades do Yom Ha’atzmaut em Manipur em três lugares diferentes, que incluirão comida, canções e danças. Em Mizoram, a comunidade vai erguer a bandeira nacional israelense, cantar o Hatikva e fazer sua “dança de bambu” especial.

Para os Bnei Menashe que fizeram aliya e estão agora em Israel, há atividades diferentes em cada lugar. Os mais novos imigrantes, daqui a menos de um mês, apreciarão especialmente o programa que prepararam para eles em Kfar Hasidim, nosso centro de absorção perto de Haifa.

 

Visita ao Sefer Torá de Trancoso, Portugal.

Em 2013 a Shavei Israel apoiou a Câmara Municipal de Trancoso (Portugal) na aquisição de um Sefer Torá para a cidade.

Os nossos seguidores certamente se lembrarão da grande festa que foi esse evento, já que se tratava do primeiro Sefer Torá a chegar àquela cidade desde os tempos da Inquisição!

O Sefer, que se encontra no Centro de Interpretação Judaica Isaac Cardoso, tem servido um propósito educativo muito importante junto da população local e dos turistas que passam por Trancoso procurando saber mais sobre a cultura e religião judaicas.

Ao mesmo tempo, é também utilizado e honrado segundo os preceitos da religião judaica, ao ser lido pelos vários grupos de turistas judeus que celebram Shabatot na sinagoga do Centro.

O nosso emissário para Portugal e Espanha, o Rabino Elisha Salas, é o responsável pela conservação e manutenção do Sefer, e desloca-se periodicamente a Trancoso para esse efeito.

É um Sefer com uma vida muito ocupada, B´H´, e precisa dos cuidados dRabino 🙂

Aqui ficam algumas fotos da última visita, que teve lugar na semana passada.

O rabino verificou o Sefer e deu indicações aos funcionários do Centro sobre os cuidados a ter, qual o modo correto de guardar o Sefer com a Yad (a mãozinha de prata para apontar durante a leitura), e até sobre que alterações devem ser feitas na bimah (a mesa para a leitura) para que tudo continue a correr bem 🙂

Vistoria feita, ficou tudo pronto para mais um lindo Shabat na companhia de um grupo israelita, composto por investigadores e profissionais de diversas áreas que se deslocaram a Portugal para estudar as marcas da presença judaica neste país.

Como acontece sempre onde a Shavei Israel está presente, foi um Shabat de partilha e troca de experiências, onde todos são incluídos. Funcionárias do Centro foram convidadas para assistir ao serviço matutino de Shabat, e, no fim do serviço, o rabino Elisha Salas deu, a pedido dos israelitas, uma palestra sobre a sua experiência em Portugal junto dos Bnei Anussim.

Que bom poder dizer com orgulho aos nossos novos amigos israelitas que o judaísmo em Portugal está vivo e pujante!

Am Israel Chai!

Um Daienu pessoal escrito por um Bnei Menashe

De’s nosso e De’s de nossos pais:

Enviaste a Shavei Israel para nos ajudar
– Isso teria sido suficiente para nós.

Estabeleceste centros de estudo na Índia
– Isso teria sido suficiente para nós.

Enviaste daianim para nos entrevistar
– Isso teria sido suficiente para nós.

Preparaste visas de aliá para a nossa viagem
– Isso teria sido suficiente para nós.

Trouxeste-nos à Terra Sagrada
– Isso teria sido suficiente para nós.

Enviaste-nos para um centro de absorção
– Isso teria sido suficiente para nós.

Deste-nos comida e alojamento
– Isso teria sido suficiente para nós.

Providenciaste professores de Torá para nos ensinarem
– Isso teria sido suficiente para nós.

Sentimo-nos como se nós mesmos tivéssemos passado pelo Êxodo pessoalmente. Obrigado!

Lyon Fanai, Aliá da Shavei Israel 2017

Lyon Fanai é um dos imigrantes Bnei Menashe que fez aliá com a ajuda da Shavei Israel. Lyon escreveu este Daienu pessoal para expressar a sua gratidão à Shavei Israel por ter tornado possível aquela que foi a viagem da sua vida. O Daienu é um hino que faz parte da Hagadá de Pesach. Canta-se durante o seder e, na sua versão original, expressa a gratidão dos judeus por terem sido livrados do Egito.

Neste Pesach, mais de 200 Bnei Menashe vão estar a passar pela experiência recente do seu próprio êxodo pessoal, celebrando o seu primeiro seder em Israel.

Para contribuir para mais daienus, por favor contribua para este trabalho tão importante da Shavei Israel, de trazer esta “tribo perdida” para casa.

Feliz Pesach para si, onde quer que festeja no Mundo!

E falando em Pesach, já adquiriu a sua Hagadá e o seu Machzor (livro de orações) de Pesach em português?

Adquira aqui! 

 

Os Bnei Anussim celebram Purim em Espanha, Portugal e América Latina

As comunidades de Bnei Anussim de Itália, Espanha, Portugal e América Latina entraram no espírito de Purim – E temos fotografias para prová-lo!

 Aqui estão algumas fotografias do Chile:

Colômbia

Belmonte, Portugal

Alicante, Espanha

 

San Nicandro, Italia

E, finalmente, El Salvador

 

 

 

 

Guarda, Portugal – Notas de viagem.

Aqui temos um excerto de um texto de Nora Goldfinger, que tem estado a viajar por vários locais de interesse judaico em Espanha e Portugal e aceitou partilhar a sua experiência connosco.
Sabe-se que os judeus chegaram pela primeira vez a Espanha há muitos séculos. Encontram-se provas deste facto nos antigos manuscritos do Mar Morto (Manuscritos de Qumram), que mencionam a presença Judaica em Espanha.
Em Portugal, os primeiros imigrantes judeus apareceram na região da Beira somente no fim do século XIII, sendo a Guarda a primeira cidade a aceitá-los.
Trancoso, Covilhã e Castelo Branco aceitaram-nos no século XIV devido ao ambiente de antissemitismo existente na época em Espanha e à crescente imigração depois do édito de expulsão de 1492.

Continue reading “Guarda, Portugal – Notas de viagem.”

Turismo judaico em Portugal.

30445652_BINARY_GI14022018RUIOLIVEIRA000058

Aqui partilhamos convosco alguns excertos de um artigo da Noticias Magazine, a revista do Diário de Notícias, um dos maiores e mais conceituados jornais de Portugal.

Há um novo fenómeno no interior português. Milhares de turistas judeus estão a invadir lugares como Castelo de Vide, Belmonte ou Trancoso para conhecer o património judaico nacional. No último ano, o número de visitantes aumentou extraordinariamente. Há novas linhas aéreas entre Portugal e Israel, novas agências especializadas, novos hotéis, novas lojas kosher. História de um retorno.

 

30445674_BINARY_GI14022018RUIOLIVEIRA000061

Para Elisha Salas, rabino de Belmonte, este interesse renovado dos judeus por Portugal é puramente emocional. Desde Moisés ao Holocausto, passando pela Inquisição, a história dos judeus é uma história de perseguição constante. A partir do momento em que tornamos a ser aceites, temos uma grande obsessão por descobrir as nossas raízes, perceber de onde vimos.

30445675_BINARY_GI14022018RUIOLIVEIRA000056

“Quando uma terra se entranha no sangue de um povo, pertence a esse povo para sempre”, diz Fabiana Oliveira Bezerra, uma brasileira do Recife, descendente de judeus portugueses, na sinagoga de Trancoso.

Belmonte, Portugal – Notas de Viagem.

Aqui temos um excerto de um texto de Nora Goldfinger, que tem estado a viajar por vários locais de interesse judaico em Espanha e Portugal e aceitou partilhar a sua experiência connosco.
Depois de tantas vilas desertas, chegar a Belmonte e ver a sinagoga Beit Eliyahu encheu-nos de alegria. Entrámos e ficámos surpreendidos pelo número de pessoas que lá se encontrava, até que nos disseram que eram um grupo de israelitas de visita a Belmonte.
Enquanto acabavam de ler a Torá, eu queria guardar na memória o que via: As nove Estrelas de David azuis que emolduram as luzes do teto por cima da área das mulheres e um grande candeeiro decorado por três Estrelas de David douradas que se localiza quase mesmo por cima da bimá. As estrelas são de três tamanhos diferentes e duas delas estão enfeitadas com luzes.
De um dos lados do Aron haKodesh está uma menorá feita de madeira e do outro lado podemos ver os leões de Yehuda.
Depois da tradicional bênção dos Kohanim, foram devolvidos ao Aron haKodesh dois rolos de Torá. De repente, vi-me imersa na oração de Musaf, lendo a Amidá com judeus de outras partes do mundo, partilhando o espírito daquele Shabat particular.

Durante o serviço religioso, ouvi o rabino falar em espanhol com uma pronúncia parecida à de Buenos Aires, Argentina.

Aproximámo-nos para o cumprimentar e descobrimos que o seu nome é Elisha Salas e que era chileno.
Começámos a falar e o rabino contou-nos a história de Belmonte. Como resultado da Inquisição, a prática oculta do judaísmo por parte dos cripto-judeus fê-los esquecer muitas das leis judaicas. A comunidade não tinha sinagoga, não tinha ideia de como fazer a circuncisão e menos ainda da língua hebraica, mas guardavam Pesach, Yom Kipur e Shabat.

Continue reading “Belmonte, Portugal – Notas de Viagem.”