Alegria em servir a D’us

“… Porquanto não serviste ao Senhor teu D’us com alegria e bondade de coração, pela abundância de tudo. Assim servirás aos teus inimigos, que o Senhor enviará contra ti, com fome e com sede, e com nudez, e com falta de tudo; e sobre o teu pescoço porá um jugo de ferro, até que te tenha destruído.” (Deuteronômio 28:47-48)

Continue lendo “Alegria em servir a D’us”

Pureza

Comentário sobre a porção semanal da Torá – Chukat

 

Na parashá desta semana nos deparamos com a complicada mitzvá da vaca vermelha, o animal cujas cinzas deveriam ser usadas para purificar aqueles que se encontravam em um estado de impureza, por várias razões, incluindo o luto por um parente próximo.

Continue lendo “Pureza”

Por que a rebelião de Korach fracassou?

No fundo, a crítica de Korach foi justa e representava forças democráticas difíceis de ignorar: “E se congregaram contra Moshe e contra Aharon, e lhes disseram: Basta-vos, pois que toda a congregação é santa, todos são santos, e o Senhor está no meio deles; por que, pois, vos elevais sobre a congregação do Senhor?” (Números 16: 3)

Continue lendo “Por que a rebelião de Korach fracassou?”

Derrotando a inveja

Comentário sobre a porção semanal da torá – Acharei Mot / Kedoshim

 

“Amarás o teu próximo como a Ti mesmo” Levítico 19:17.

Não há preceito mais difícil e mais profundo do que este. Para Rabi Akiva este preceito é a base de toda a Torá, é a expressão maior e mais completa. Ramban, ou Nachmanides, (Espanha-Israel 1194-1269) explica que o amor ao próximo como a nós mesmos é na verdade um mandamento não natural, pois é claro que uma pessoa não pode amar outra pessoa, mais do que a si mesmo. Então, por que a Torá nos ordena algo impossível? Porque somos confrontados com um compromisso que não é natural?

Continue lendo “Derrotando a inveja”