A CANTORA DE BNEI MENASHE ACTUARÁ NA EUROVISION, COMO PARTE DA BANDA DE SHALVA.

Não era exatamente o que todos esperavam, mas a banda de Shalva, e com ela, Dina Samte, a cantora e a garota favorita de Bnei Menashe, terão seu momento de glória nas semifinais do Eurovision.

A banda, formada por jovens adultos com deficiência, conquistou o coração do público israelense com sua candidatura a Kochav Haba, da televisão israelense (Rising Star), onde o participante israelense da Eurovisão é escolhido.

O concurso de músicas do Eurovision, o conhecido simplemente como Eurovision , muitas vezes chamado simplesmente de Eurovision, é um concurso internacional de música que ocorre principalmente entre os países membros da European Broadcasting Union, mas também inclui vários outros países, como a Austrália e Israel.

A banda do Shalva, é a favorita entre os espectadores e juízes e estão entre os finalistas, quando eles perceberam que não havia maneira de evitar a profanação no sábado durante o ensaio obrigatório da grande final a ser realizada na noite de sexta-feira. Depois de muita deliberação, eles fizeram a única coisa que sentiram que podiam fazer e se retiraram da competição.

A banda pode não ser mais um participante do Eurovision, mas, graças à emissora pública KAN, a banda Shalva irá se apresentar em uma apresentação ao vivo especial durante a segunda transmissão internacional semifinal.

Dina, a vocalista da banda “SHALVA”, juntamente com a jovem chamada Annael, vai se apresentar no Eurovision. Dina fez aliá com um grupo de 230 Bnei Menashe do estado de Manipur, no nordeste da Índia, com a ajuda da Shavei Israel.

O fundador e presidente da Shavei Israel, Michael Freund. “Lembro- me cuando acompanhei a Dina em seu voo da Índia para Israel quando ela fez aliá em 2007, e estou muito feliz por ela e sua família”.

Freund acrescentou: “Isso mostra que os Bnei Menashe foram realmente aceitos como parte integral da sociedade israelense e do povo judeu”.


Dina Samte

Os Bnei Menashe são descendentes da tribo Menashe, uma das Dez Tribos Perdidas exiladas da Terra de Israel há mais de 2.700 anos pelo império assírio. Até agora, cerca de 3.000 Bnei Menashe fizeram aliá graças a Shavei Israel, incluindo mais de 1.100 nos últimos quatro anos. Cerca de 7.000 Bnei Menashe permanecem na Índia esperando pela oportunidade de voltar para sua casa em Sião.

Ocultos: Os judeus espanhóis secretos

O musical histórico sobre Bnei Anussim

Recentemente tem havido um grande interesse na história dos Bnei Anussim — descendentes dos judeus convertidos pela força ao catolicismo no tempo da Inquisição Espanhola. De facto, este interesse tem aumentado tanto que se reflete em muitas esferas, particularmente nas artes. Um belíssimo exemplo disso é o novo musical histórico baseado no livro The Family Aguilar (A Família Aguilar), do rabino Marcus Lehmann.

Continue reading “Ocultos: Os judeus espanhóis secretos”

Genie Milgrom de Miami, Florida, recebeu a Medalha das Quatro Sinagogas Sefarditas de Jerusalém

A escritora Genie Milgrom, genealogista, promotora do legado judaico na Península Ibérica e boa amiga da Shavei Israel, foi galardoada com a muito prestigiosa Medalha das Quatro Sinagogas Sefarditas de Jerusalém.

Esta distinção foi-lhe entregue recentemente em Zamora, Espanha, durante uma conferência onde Genie falou ao público sobre a diáspora dos seus antepassados, originários de Fermoselle, na região de Zamora.

Continue reading “Genie Milgrom de Miami, Florida, recebeu a Medalha das Quatro Sinagogas Sefarditas de Jerusalém”

Não tenho outro país

Sabe aquelas coisas que despertam em nós as emoções mais intensas que o Sionismo nos inspira? Cantar o HaTikvá, assistir ao filme Exodus, ver inesperadamente um avião da El Al num sítio qualquer do mundo, ouvir a sirene de Yom haZicarón, ver os soldados do IDF… Ver os soldados do IDF, então, é mesmo especial – Particularmente se for numa cerimónia formal do IDF. Eu sou especialmente sensível a estes gatilhos emocionais. E continuo a sê-lo, mesmo após mais de uma década a viver em Israel. Aliás, agora talvez até o seja mais.

Continue reading “Não tenho outro país”