Parashat Vaigash

Retirado do livro Ideas de Bereshit, dos rabinos Isaak Sakkal e Natan Menashe.

A descida ao Egito

De acordo com o comentarista Seforno, o motivo pelo qual Iaacov faz os sacrifícios a Eloke Itzchac é porque De’s lhe tinha dito que não descesse ao Egito. Quer dizer que Iaacov não se precipita a descer ao Egito por causa de Yosef, mas sim tenta saber qual a ação correta a tomar.

O motivo pelo qual Iaacov não quer descer ao Egito é porque teme pelo futuro do povo e De’s diz-lhe que, pelo contrário, o povo estará melhor no Egito. Não se vão assimilar tanto (já vimos que, antes de descer, vários dos filhos de Iaacov já se tinham casado com canaanitas), e no Egito esta ameaça não será tão grave, porque os egípcios nem sequer comiam com os hebreus. O que Iaacov mais temia era o Galut — o exílio —, mas De’s diz-lhe que o perigo mais grave é a assimilação. (Vemos que Yosef preocupa-se muito com este tema).

Iaacov via em Yosef não só um filho, mas também um continuador, e foi por isso que ficou tão triste quando o perdeu, pois todo o seu sonho, o grande ideal, tinha caído por terra. Quando soube que Yosef estava vivo, a sua alegria foi enorme, pois agora todos os ideais e profecias poderiam realizar-se. Foi então que recebeu novamente profecia. É por isso que cada vez que aparece Iaacov em relação com Yossef, aparece com o nome de Israel, pois é o nome que se refere à continuidade do povo. Esse é o motivo pelo qual Iaacov faz agora oferendas a De’s.

Depois disto, Iaacov volta a ter profecia. No entanto, vemos que o nível da profecia não é o nível mais elevado, pois é com Shem Elokim e à noite. Além disso, De’s chamou-o Iaacov e não Israel.

Dos detalhes desta profecia Iaacov deduz que começa a descida do povo (Galut), E, por isso, Iaacov não quer descer. É por isso que De’s lhe diz “Não temas descer ao Egito”. Iaacov não quer, mas De’s ordena-lho, e então ele vai. Apesar de o seu filho ser o governador do Egito, Iaacov prefere ficar em Canaã, tal como aparece relatado na Hagadá de Pesach: “Anus al pi hadibur…” — Obrigado pelas suas palavras… E é por isso que diz que os seus filhos o levaram.

No entanto, a Torá diz que De’s vai descer com ele e vai voltar a elevá-lo. E Iaacov não está muito contente porque após esta profecia ficou sem forças e não foi chamado Israel. Iaacov ouviu que quem vai subir é ele e não todos os seus filhos; quer dizer, os filhos ficam. (Diz “descerei contigo e eu te elevarei”, insinuando que descer, descemos todos, mas subir, subir-te-ei a ti e não a eles; eles ficarão)

Iaacov deduz daqui que começa agora o Galut, o grande exílio. Antes da profecia estava com toda a força e entusiasmo; sentia-se Israel. Depois da profecia acorda deprimido. Já não se trata da congregação de Israel, mas sim do indivíduo Iaacov.

No entanto, De’s assegura-lhe que descerá com ele ao Egito, quer dizer, a Shechiná (presença divina) não o abandonará, o que era o outro receio de Iaacov. O que acontecerá com os seus filhos? Terão profecia no Egito? De’s estará com eles? E De’s responde-lhe que sim. A prova de que De’s não os abandona e de que lhes envia profetas é Moisés, e assim começará a surgir o povo de Israel.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *