Parashat Vayetzé

Retirado do livro Ideas de Bereshit, dos rabinos Isaak Sakkal e Natan Menashe.

Diz-me em que pensas e dir-te-ei quem és…

Iaacov já tem quase 80 anos ou mais, e, no entanto, vemo-lo muito ativo.

Qual é a chave para Iaacov se manter fiel aos princípios de Abraão e Isaac apesar de estar em casa de Labão?

A chave para atingir tudo isto é ter muito Ruach — espiritualidade, idealismo. E a base do idealismo de Iaacov é Abraão e Isaac.

Aparentemente, a origem de tudo isto é o sonho profético que Iaacov tem, onde vê a escada. Nesse sonho, De’s assegura-lhe que ele será o continuador de toda essa grande empresa que tinha sido começada por Abraão e Isaac. Refere-se ao sentido último da vida e desta existência.

Vemos também que as palavras do seu pai antes de se despedir, onde lhe diz que será o continuador de Abraão, o influenciaram muito. Estas palavras, junto com o sonho profético da escada, transformam Iaacov em outro homem.

Agora fica para trás todo esse comportamento aparentemente enganoso de Iaacov, para dar lugar a uma atitude motivada pelo altruísmo, que se caracteriza pela fidelidade, honestidade, paciência e batranut (ceder e perdoar as questões que tenham a ver com o mundo material). Estas são as qualidades que Iaacov vai manter firmemente enraizadas nele enquanto está em casa de Labão, um contexto que se move apenas pela violência, pelo materialismo e pelo engano.

Os seus valores e o seu comportamento são os elementos que vão diferenciar um homem comum de um Grande Homem, um líder comum de um Grande Líder.

É assim que começa o caminho daquele que será o pai do povo de Israel.

Iaacov é uma pessoa que sabe o que é o exílio. É uma pessoa que passou pela experiência de sofrimentos, perseguições e abusos por parte dos estranhos que o rodeiam. É uma pessoa que vai estabelecer uma grande família e que se esforça por mantê-la contra todas as dificuldades. Está muito longe da violência e do confronto. Sabe deixar passar as coisas que não têm um sentido profundo. Contrariamente aos que o rodeiam, Iaacov mantém-se de forma constante no caminho da honestidade e da fidelidade a De’s. Ao contrário do que normalmente se pensa, é esta forma de agir (e não as artimanhas ou as mentiras) que o leva a triunfar e a ter sucesso.

A ajuda de De’s apoia-o sempre e salva-o dos seus inimigos. A firme emuná (fidelidade a De’s), o apego ao De’s dos seus pais e o seguir os Seus caminhos é também o que vai ajudar os seus descendentes no exílio.
A isto se refere Iaacov depois do sonho da escada quando diz: Vaiehi HaShem Li Elokim – De’s será para mim o mais importante.

Durante todo o tempo em que estas ideias estejam firmes e vivas nele, vão ser o seu suporte durante o exílio. Não só dele, mas também dos seus descendentes, e é isto o que nos deve inspirar a nós hoje em dia para podermos persistir fiéis no exílio.

Mas não devemos adormecer. Mesmo o próprio Iaacov, depois de ter estado tantos anos com Labão, volta a ter um sonho… Mas desta vez não será com anjos…

Iaacov sonha com ovelhas (Gén. 31: 10). As ovelhas acasalam e reproduzem-se em ovelhas malhadas. Iaacov defende-se de Labão: aplica o seu sonho, que dá resultado, e enriquece. Nesse mesmo sonho, ouve uma voz, a mesma voz divina que ouviu em Bet-El que lhe diz: Vi tudo o que Labão fez de ti.

É como se De’s estivesse a insinuar: “Iaacov, depois de 20 anos a tentar sobreviver junto a pessoas desonestas, os teus sonhos mudaram. Junto ao teu pai Isaac, sonhavas com anjos, símbolo da espiritualidade. Agora, com o teu corrupto tio Labão, sonhas com ovelhas, símbolo de dinheiro e bens materiais. De tanto lutar para te defenderes de Labão “assimilaste-te a Labão”. Agora, tal como ele, sonhas com ovelhas…”

Está na hora de voltar para casa: “Vai-te desta terra, de volta para a TUA terra. Lá, com o teu pai Isaac, voltarás a sonhar com anjos”

Quando Iaacov voltou para a sua terra, voltou a ter uma visão profética e viu o acampamento dos anjos de Deus…

Ao perceber que se estava a deixar arrastar por pensamentos e objetivos que não eram os que desejava, Iaacov afasta-se desse contexto que o corrói, e a sua luz interior e os seus valores voltam a surgir. Então volta a ser ele, um homem de espírito, com os pés apoiados na terra, mas com a cabeça nas questões celestiais.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *