Guarda, Portugal – Notas de viagem.

Aqui temos um excerto de um texto de Nora Goldfinger, que tem estado a viajar por vários locais de interesse judaico em Espanha e Portugal e aceitou partilhar a sua experiência connosco.
Sabe-se que os judeus chegaram pela primeira vez a Espanha há muitos séculos. Encontram-se provas deste facto nos antigos manuscritos do Mar Morto (Manuscritos de Qumram), que mencionam a presença Judaica em Espanha.
Em Portugal, os primeiros imigrantes judeus apareceram na região da Beira somente no fim do século XIII, sendo a Guarda a primeira cidade a aceitá-los.
Trancoso, Covilhã e Castelo Branco aceitaram-nos no século XIV devido ao ambiente de antissemitismo existente na época em Espanha e à crescente imigração depois do édito de expulsão de 1492.


Os nomes adotados pelos judeus eram atribuídos de acordo com as cidades onde habitavam. Alguns tinham origem em cidades espanholas, como Cáceres, Valladolid, Calahorra, Estela ou Navarra, e outros tinham origem em cidades portuguesas como Estela, Querido, Amado, Adida, Rodrigo, Franco, Caro, Justo, Barzelai, Vizinho, etc.
O centro histórico da Guarda consiste de ruas estreitas com arcos redondos de pedra. Nas casas antigas podem ver-se as marcas feitas pela Inquisição para indicar os locais onde viviam os cristãos-novos, que eram judeus que tinham sido forçados a converterem-se ao cristianismo. No antigo bairro judeu tivemos oportunidade de ver casas muito antigas em conjunto com outras ligeiramente mais recentes construídas junto às primeiras. Este facto mostra as múltiplas modificações e reconstruções do bairro.
No centro do bairro judeu encontra-se a sinagoga, a escola e o tribunal. Visitámos o edifício onde funcionou o antigo tribunal judaico (Beit Din).
Os únicos sinais existentes hoje em dia da presença judaica no local são as ruas estreitas, as casas muito, muito antigas, daquela época, algumas ainda com os sinais do que eram antigamente, e as marcas da Inquisição, que nos dão a prova absoluta do passado judaico da Guarda.
Por Nora Goldfinger

Criadora da ONG Heme Aqui, que trabalha com pessoas com necessidades especiais através do jogo do golfe, na Argentina.
Nora e o marido estão a viajar por alguns dos locais de interesse judaico em Espanha e Portugal e concordaram em partilhar as suas experiências connosco.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *