O Shabat da visão

Vision Binoculars People Man Discovery Looking

Comentário da Porção Semanal de Devarim – Shabat Chazon

 

Moshe se coloca de frente ao povo que liderou durante os últimos 40 anos e do qual, tem sempre cuidado. Agora, antes de atravessar o Jordão, a única coisa que nos diz que é um grande opróbrio, uma grande bronca. Por 40 anos, Moshe teve o cuidado de responder a todas as necessidades de seu povo, e tantas vezes nos defendeu ira de D’us! E agora, no final de sua vida, não poderia simplesmente nos incentivar um pouco? Mesmo a Haftará desta semana continua com esse tom e nos proclama as censuras do profeta Isaías. O que fizemos para merecer isso?

Estamos agora em um período de luto, antes do dia de Tisha Be’av, no qual celebramos a destruição dos dois Templos Sagrados. Este Shabat é conhecido como Shabat Hazon – o Shabat da Visão. O Rabino Levi Itzhak de Berditchev nos ensina que se alguma pessoa é merecedora, esta irá receber neste dia a visão do Terceiro Templo.

A destruição do Templo é uma perda que ainda nos atinge. Choramos todos os dias e pedimos a reconstrução em todas as nossas orações. Mas não importa o quão trágica haja sido essa destruição, o nosso povo nunca desistiu, e nunca deixou de cumprir sua tarefa de mostrar a luz divina para o mundo.

Situações de crise muitas vezes nos empurram a crescer e se desenvolver. Se vivemos uma grande perda, muitas vezes nos fechamos. Mas se podemos nos liberar um pouco, a perda pode conduzir-nos a alcançar um grande sucesso. A destruição do Templo e a Diáspora, levaram o monoteísmo ético para todos os cantos do globo.

Apenas devido ao fato de que o povo possui uma visão comum da renovação do Templo, e graças ao fato de que entendemos as razões para a destruição, pudemos sobreviver a este terrível emigração. Ambas as vezes que fomos exilados, não queríamos preencher nossas vidas com o grau de santidade exigido por D’us. Durante séculos, os nossos profetas e sábios advertiram mas sem nenhum resultado. Finalmente, D’us nos deu o que merecíamos.

A destruição do Templo e nosso exílio não são um castigo por nossas ações, mas sim consequências naturais. A vontade de D’us em ter nos perto é tão grande, que mesmo quando nos afastamos Dele, surgem alguns eventos históricos para nos lembrar bem do nosso verdadeiro caminho.

Os textos litúrgicos da semana nos transmitem um aviso, pois este é o Shabat da Visão. Um Shabat no qual vemos claramente. Não entenderemos como surgirá o nosso renascimento e nossa redenção, se não entendermos o que é preciso mudar em nós para tornar esta visão uma realidade. Os avisos de nossos profetas decorrem da crença no potencial e poder de nosso povo. Somos julgados porque somos amados, talvez seja difícil de entender, mas através deste momentos que somos avisados do nosso verdadeiro propósito – um lugar cheio de luz e amor do mundo. Por isso, devemos ter fé na confiança que nos é concedida por D’us.

 

Pelo Rabino Yehoshua Ellis

6 pensamentos em “O Shabat da visão”

  1. A destruição do Templo e nosso exílio não são um castigo por nossas ações, mas sim consequências naturais

  2. Me sinto como neste texto.
    Todo o trabalho que fiz em conjunto com minha família foi destruído.
    Somente espero renascer ou morrer.

  3. Gostaria de entender Melhor… Como? e porque? ocorreu está destruição do 2° Templo.
    Qual foi o propósito! de HASHEM em permitir tal destruição.
    Sem o Templo… o Povo de Israel vivem como ovelhas perdidas? como não tivéssemos pastor?

    Aguardo! respostas… Obrigado!

    1. Shalom!
      A destruição do Segundo Templo de Jerusalém aconteceu – de acordo com a opinião da maioria dos sábios – pelo ódio gratuito que reinava dentro do povo de Israel.
      D’s em Sua infinita bondade aparentemente precisou fazê-lo para nos ensinar uma lição e para assim, aprendermos como devemos nos comportar quando tivermos o Terceito Templo, este que não será destruído.

  4. Eu li a resposta a respeito da destruição dos dois templos, concordo ,mais existe muita resistência quando descobrimos que temos um grande desejo na alma de esta junto ao povo do Eterno participando dos ensinamentos da adoração ao Eterno.e não temos espaço ,recebemos as mais vagas respostas de rejeição por sermos descendentes de” marranos”uma cruel referêcia aos que por medo ou covardia escondiam , suas origens.Procurei por ajuda em Recife e em 2003 e como não deram a minima,par mim conheci aqui na EU ,um grupo que se reune como mercianico mais não senti ser este meu lugar.Gostaria de saber como faser ?Estou em Barcelona pois descobri que os pais do meu avó paterno era de origem Catalã,os da minha mãe Melo e Lima também.leio minha Torah faço minhas orações com meu Sidur ,mais muitas coisas me são desconhecidas por favor me ajudem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *