Israel debaixo de fogo: um encontro pessoal – Michael Freund visita os Bnei Menashe de Sderot

Michael com os Bnei Menashe em Sderot: David Longdim, Eliezer dongel, Esdras Touthang, Enos Lhouvum, Baraque Kipgen, Shlomo Dongel, Toboy Gérson, e Yossi Longdim
Michael com os Bnei Menashe em Sderot: David Longdim, Eliezer dongel, Esdras Touthang, Enos Lhouvum, Baraque Kipgen, Shlomo Dongel, Toboy Gérson, e Yossi Longdim

Na semana passada, enquanto mísseis caíam em Israel, o diretor da Shavei Israel, Michael Freund, viajou para a cidade de Sderot no sul de Israel – esta pequena comunidade que tem sido vítima de um lote de mísseis disparados a partir da Faixa de Gaza.

Seu objetivo era visitar um grupo corajoso de Bnei Menashe, imigrantes da Índia, que se instalaram lá nos últimos anos, para dar-lhes apoio moral durante este momento difícil do Estado judeu. Dos 1.700 Bnei Menashe atualmente vivendo em Israel, 82 estão em Sderot, 16 famílias e 5 individuo.
Michael nos enviou o seguinte relatório:

—————-

Enquanto dirigia para o local – um edifício no centro da cidade – eu não pude deixar de notar que as ruas estavam muito tranqüilas, até desérticas Depois de estacionar o meu carro, eu entendi por que: alguns minutos mais cedo, um míssil disparado de Gaza caiu do outro lado da rua. Uma ambulância e agentes de segurança estavam no local, fazendo um levantamento da área e calculando os danos.

Apesar do clima de tensão em que vivem, os Bnei Menashe são fortes e resistentes, e eu tenho orgulho de dizer que eles tem enfrentado esta onda de mísseis com uma impressionante combinação de fé e resolução.

Assim que nos sentamos para discutir a situação, houve duas explosões, uma após a outra, seguidas pelo som ameaçador de janelas tremendo, causado pela força da explosão.

Apesar da intensidade do momento, os Bnei Menashe nem mesmo vacilaram. “Tudo bem”, disse um deles. “Por favor, continue.”

across-the-street-from-the-apartment-building-where-i-met-the-bm-a-palestinian-rocket-landed-about-5-minutes-before-i-got-there-you-can-see-the-ambulance-and-police-in-the-area-300x225
Do outro lado da rua onde Michael estacionou o veículo caiu um míssil

Surpreendido por sua equanimidade e a do grupo, perguntei-lhes como eles enfrentavam a realidade de viver sob o ataque de Gaza.

“Nos acostumamos”, disse David Lhungdim, que imigrou para Israel a partir do Estado de Manipur, na Índia, em 2007. “É mais difícil para as crianças, mas não estamos com medo, porque esta é a nossa terra.”

Na verdade, David, que se dedica a estudos religiosos em uma escola emergente de Bnei Menashe, anulou todos os sinais de desespero. “Sonhávamos com a chegada a Israel e a viver plenamente como judeus aqui observando os mandamentos”, disse ele, acrescentando que “depois de mais de 2700 anos de exílio, sabemos que com a ajuda de Deus vamos ganhar.”

“E a renovação da aliá dos Bnei Menashe é algo que nos enche de alegria, mesmo no meio dos mísseis”, disse Yossi Lhungadim, outro presente. Ele estava se referindo à recente decisão do governo sobre a imigração da Índia. A Shavei Israel vai trazer o primeiro grupo de 275 imigrantes de Bnei Menashe nos próximos meses.

“Estamos muito satisfeitos que nossos parentes em breve estarão conosco, esperamos muito tempo para nos reunirmos novamente”, disse ele.

Só então, ouvimos outra grande explosão do lado de fora. Desta vez, parecia ainda mais forte do que das vezes anteriores. Em uma sala ao lado, vi duas crianças Bnei Menashe, um menino e uma menina. Olharam lentamente para cima, tirando os olhos do desenho animado que estavam assistindo, sem saber muito bem o que fazer com o boom que tinham ouvido, um pouco de medo em seus olhos se podia notar. Mas, rapidamente, voltaram a prestar atenção aos programas da tela na frente deles.

Depois de dizer adeus, eu dirigi de volta para Tel Aviv, com meus pensamentos fixos no milagre da perseverança judaica.

Os Bnei Menashe de Sderot e o resto do povo de Israel, neste tempo terrível de julgamento, continuam fortes, recusando-se a perder para o medo. Embora muitos estejam no país por somente cinco anos, os Bnei Menashe de Sderot que visitei naquele dia aprenderam a se adaptar, sem perder de vista – mesmo em meio a escuridão! – o que faz Israel único. Com um espírito assim, somos verdadeiramente indestrutível.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *