Judeu de El Salvador: “Tenho muito orgulho de fazer parte do Povo de Israel”

20150417_175045Cerca de 300 salvadorenhos, descendentes de conversos espanhóis, observam as leis do judaísmo e sonham em viver em Israel. “Eu queria me conectar com o Criador e encontrei nos mandamentos do judaísmo, a melhor maneira de fazê-lo”, conta um líder da comunidade.

Centenas de anos após seus antepassados fugirem da Espanha, cerca de 300 descendentes de conversos espanhóis vivem em El Salvador em uma comunidade próspera, observando o judaísmo ortodoxo, mantendo as leis do Shabat e sonhando em se converter e emigrar para Israel, como judeus.

A comunidade construiu uma sinagoga na capital, San Salvador, e a nomeou de Beit Israel. Embora a congregação esteja espalhada por toda a cidade, um Minyan (Quorum para as orações, de 10 homens) se reúne lá três vezes por dia para as rezas da semana e nas sextas-feiras, véspera do Shabat, eles se reúnem no edifício no qual está localizada a sinagoga e dormem no saguão principal, para não ter que profanar o Shabat, viajando.

Eles se reúnem para as três refeições do Shabat (uma na sexta-feira à noite e as outras duas no sábado). Já que não há carne kosher em El Salvador, os membros da Beit Israel, não comem carne. Eles sabem de cor o hino nacional de Israel (em hebraico) e recentemente realizaram um serviço em memória aos soldados caídos nas guerras de Israel.20150417_175045

A organização Shavei Israel (que estende a mão para os judeus “perdidos” e “escondidos” em todo o mundo) lançou um programa destinado a reforçar os valores judaicos dentro desta comunidade. Como parte do programa, o Rabino Yitzchak Aboud, emissário de Shavei Israel em El Salvador, dá aulas de Judaísmo e Torá.

O fundador e presidente da organização, Michael Freund, recentemente visitou a comunidade de El Salvador, acompanhado pelo diretor educacional e rabino da Shavei Israel, o Rabino Eliyahu Birnbaum. Freund ficou especialmente impressionado com o que testemunhou, contando como “jovens membros da comunidade realizam a leitura da Torá no Shabat de manhã sem cometer nenhum erro e recitam tão bem as bênçãos, embora com um sotaque espanhol. A reza com eles foi extremamente comovente e nota-se que são alimentados por uma profunda identidade. Se submeteram a uma jornada espiritual e chegaram à conclusão que o Judaísmo é a verdade e querem viver através de suas regras”.

O chefe da comunidade de El Salvador, Eliyahu Franco, fez comentários semelhantes, dizendo: “Eu queria me conectar com o Criador e encontrei nos mandamentos do judaísmo, a melhor maneira de fazê-lo. Tenho muito orgulho de fazer parte do Povo de Israel. Espero poder emigrar para Israel, pois é o melhor lugar do mundo para viver uma vida judaica plena e significativa.”

Este artigo foi originalmente publicado no site do “Israel Hayom”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *