Morte com Sentido

Parashat Vaiechí

Este parashá relata sobre a morte de Yaacob. Antes de morrer, Yaacov ensina aos seus filhos os princípios da grande missão que devem realizar, seguindo assim, o caminho de Abraham e seus predecessores.

É importante assinalar que as pessoas que têm uma vida interessante e frutífera têm uma morte conveniente e significativa. Muitas pessoas chegam ao momento de sua morte sem ter realizado nenhuma contribuição à sociedade, à cultura, nem à sua própria família. Muitas vezes, a herança consiste meramente em possessões materiais sem conteúdo espiritual algum. A imagem de Yaacov, cuja vida estava caracterizada por sua luta constante com conseqüentes triunfos e fracassos, revela, de modo similar, os momentos que antecedem a sua morte e também o momento exato que ocorreu.

Yaacov chama a seus filhos, pedindo que se reúnam em torno de seu leito de morte. Deseja despedir-se de todos eles, juntos, porém pronuncia palavras específicas e especiais a cada um separadamente. Quer que todos estejam unidos, porém destina uma benção especial, diferente, para cada um deles.

Yaacov sabe reconhecer a especialidade de cada um dos seus filhos, mas sua intenção é, ao mesmo tempo, destacar que através deles se produzirá o nascimento de um povo.

A mensagem para cada um de seus filhos contém elogios e críticas; mostra, ao mesmo tempo, suas características positivas e seus defeitos. Isso nos ensina que um pai deve expressar sua opinião sobre as qualidades e os defeitos de seus filhos.

As palavras de Yaacov a seus filhos constituem, simultaneamente, uma síntese da situação vivida até o momento, benção e profecia. O pai tenta dar uma mensagem capaz de fortalecer os seus filhos durante sua permanência no Egito, dando-lhes forças para enfrentar a senda histórica que juntos terão de percorrer.

O fato de que cada um dos filhos, representantes de cada uma das tribos, ser diferente dos demais do povo, nos revela a verdadeira essência do pluralismo judaico: todos unidos, porém ao mesmo tempo separados. Os filhos de Yaacov constituem um povo, porém ao mesmo tempo, cada tribo possui sua especificidade espiritual e sua ideologia.

Depois de longos anos de separação e angústia, Yaacov tem a satisfação de desfrutar da companhia de seu amado filho Yosef no Egito. Foram estes anos de paz e tranqüilidade, depois de todas as lutas empreendidas durante sua vida e do luto pela suposta perda de seu filho. Ao fim de dezessete anos no Egito, Yaacov observa ao seu redor e compreende que seus filhos e seus netos estavam instalados em terra estrangeira; o lugar onde se reproduzem, trabalham, triunfam e estão satisfeitos. Yaacov se sente preocupado, pois ele se dirigiu ao Egito para encontrar-se com seu filho Yosef e residir ali temporariamente, até que desaparecesse a fome em sua terra. Entretanto, seus filhos já se sentem bem no Egito, e se reproduzem e trabalham tranqüilamente sem incomodo algum.

Yaacov dirigi-se a seu filho Yosef e solicita-lhe: “Jure-me que me farás o favor de não me enterrar no Egito”. Yaacov está consciente do significado do que acontece no Egito e resolve tentar uma ação capaz de mexer com a tranqüilidade de seus filhos, obrigando-lhes a refletir e tomar decisões. Ordena que depois de sua morte o devolvam a sua terra e o enterrem em Hebron, na tumba familiar dos patriarcas.

Yaacov sabe perfeitamente que esta ação despertará a consciência de seus filhos e netos e os fará lembrar que o Egito não é sua terra e que estão em uma terra estranha.
Existem diferentes formas de relacionar-se com a terra, com um lugar determinado. Uma delas é enterrar nesse lugar seus entes queridos. Uma vez que um povo ou uma família tenha enterrado seus mortos em um determinado lugar, voltarão a visitá-lo, e estabelecerão uma relação afetiva com esse lugar. Durante toda a história, as pessoas voltaram ao lugar em que jazem seus mortos e aos países em que viveram seus antepassados.

Yaacov sabe que não será fácil para seus filhos realizarem esse desejo. Isso os tornarão diferentes entre os egípcios.  Por que se negar a enterrar seu pai no Egito? Os egípcios compreenderão mediante este ato que os judeus não consideram o Egito como sua terra e sua permanência nela é só uma questão de tempo, já que não desejam estabelecer uma relação profunda e duradoura através do sepultamento de seus mortos.

A essência do enterro de Yaacov na terra de Israel é a mensagem que ele deixa para seus filhos e às gerações vindouras. O Egito não é nossa terra! Yaacov deseja que seu enterro obrigue aos seus filhos e netos explicarem a si mesmos e aos demais, que sua verdadeira terra é aquela na qual se encontra a tumba dos patriarcas.

O homem tende a considerar a situação na qual se encontra, como permanente. Não lhe é nada cômodo definir sua situação como temporária, transitória, admitindo então que se encontra em uma encruzilhada. O homem precisa da sensação de estabilidade que lhe proporciona saber a qual lugar ele pertence. Se os filhos de Yaacov tivessem esquecido, algum dia, qual era a sua terra, poderiam, do mesmo modo, esquecer a missão especial que deveriam realizar segundo estabelecido no pacto entre Abraham e D-us, que é válida para as gerações vindouras. Por isso Yaacov pede: “Jura-me que me farás o favor de não me enterrar no Egito”. (Baseado numa interpretação do Rabino Rafael Hirsh).

É indiscutível, que para Yaacov, teria sido mais honroso receber uma sepultura no Egito. Em sua qualidade de pai de Yosef, homem importante e respeitado no Egito, que salvou o reino de um desastre econômico, teria merecido sem dúvida um enterro com honrarias de um rei. Entretanto, Yaacov renuncia a estas honrarias e elege legar a seus filhos um testamento espiritual.

Os últimos dias de vida de uma pessoa constituem habitualmente uma ocasião para realização de profundas reflexões, tanto para a pessoa mesma como para os demais membros da família. Diferentemente, as demandas de uma rotina, impedem o homem de se deter e refletir sobre assuntos distantes das necessidades do dia a dia. Em momentos especiais da vida, como no momento do falecimento do pai, de um ser querido, é possível parar para pensar sobre o passado e o futuro da vida do homem. Yaacov sabe disso, e por isso, concentra seus últimos momentos em induzir seus filhos a uma profunda reflexão.