Bnei Menashe foi a Casa

O membro da comunidade Bnei Menashe vítima de um ataque terrorista regressa a casa

Even Ezer Holaring, o membro da comunidade Bnei Menashe que tinha sido gravemente ferido num ataque terrorista em novembro de 2017, foi a casa em visita.

Pela primeira vez em dois meses desde que um terrorista palestiniano o atropelou no cruzamento em Gush Etzion, este pai de família de 35 anos da comunidade Bnei Menashe, que tem estado internado no hospital Hadassah Medical Center, recebeu alta no fim de semana passado para ir a casa em visita, tendo regressado ao hospital no Domingo para continuar a sua reabilitação. Continue reading “Bnei Menashe foi a Casa”

O processo da redenção – Parashat Vaerá

«E ao ouvir o gemido dos filhos de Israel oprimidos pelos Egípcios lembrei-me deles. Por tanto, diz aos filhos de Israel: “Eu sou o Eterno e libertar-vos-ei dos trabalhos forçados do Egito e salvar-vos-ei da servidão com braço estendido e com grandes castigos. E considerar-vos-ei meu povo e serei vosso De’s, e sabereis que Eu sou o Eterno, vosso De’s, ao vos redimir dos trabalhos forçados no Egito. E vos conduzirei à terra que prometi dar a Abraham, a Isaac e a Yaacov, e dar-vo-la-ei por herança. Eu, o Eterno.”»

(Êxodo,6, 3-9)

A redenção (gueulá), segundo nos é revelado nestes versículos, não consiste num ato único e total, mas sim numa série de quatro etapas que configuram um processo histórico.

A redenção e a liberdade não se produzem geralmente de forma drástica mas sim como resultado de diferentes factos que provocam uma mudança na situação geral.

A redenção expressa-se nestes versículos através de cinco conceitos: tirar-vos-ei, salvar-vos-ei, redimir-vos-ei, considerar-vos-ei, levar-vos-ei. Continue reading “O processo da redenção – Parashat Vaerá”

Da escravidão à liberdade – Parashat Shemot

«E disse o faraó ao seu povo: “Eis que o povo de Israel aumenta cada vez mais e torna-se mais forte que nós. Ajamos, pois, astutamente com ele para impedir que continue a multiplicar-se, não vá acontecer que lute contra nós e consiga sair do país.” Então pôs sobre os hebreus obrigações de tributos e capatazes de trabalhos forçados, obrigando-os a edificar cidades de armazenamento para o faraó… E os egípcios obrigavam os filhos de Israel a servir com todo o rigor, amargurando-lhes a vida com pesados trabalhos de construção, com barro e com tijolos e com duros trabalhos no campo.»  (Êxodo, 1, 8-15)

Enquanto Génesis é o relato da criação do universo e do homem, o livro de Êxodo (Shemot) é o relato fiel da criação de uma nova nação.

Todos os relatos de Génesis posteriores à Criação giram em volta de personagens. No núcleo dos capítulos encontra-se sempre alguma personalidade: Adão, Caim, Noé… os Patriarcas…

Mas em Êxodo, já desde o primeiro capítulo se vislumbra o aparecimento do povo de Israel como uma entidade central. Com efeito, em Êxodo, os nomes e os detalhes dão lugar a uma nova figura: O povo de Israel.

Em Êxodo não há nomes nem individualidades, já que estes cedem o lugar à transcendência do coletivo. A geração dos grandes patriarcas desaparece, e, em seu lugar, surge o conceito de uma nova nação. Continue reading “Da escravidão à liberdade – Parashat Shemot”

O Rabino Elisha Salas foi recebido pelo novo embaixador de Portugal em Israel

O Rabino Elisha Salas, emissário da Shavei Israel em Espanha e Portugal, foi recebido há dias pelo novo embaixador de Portugal em Israel, João-Bernardo Weinstein, a seu convite. No encontro esteve também presente Irith Freudenheim, adida económica da embaixada.

Durante o encontro foram abordados vários assuntos dentro do contexto do intercâmbio entre os dois países, tais como a divulgação da cultura judaica em Portugal e a divulgação do património judaico português em Israel. O Rabino Salas falou com o embaixador sobre o trabalho da Shavei Israel em Portugal, e foram também relembrados vários temas tratados em encontros anteriores entre o rabino e o embaixador precedente, Miguel Almeida e Sousa. Continue reading “O Rabino Elisha Salas foi recebido pelo novo embaixador de Portugal em Israel”

Parashat Miketz

«E ao cabo de dois anos o faraó sonhou que estava junto ao rio, e do rio subiam sete vacas robustas, belas à vista, que pastavam na fértil terra contígua. E detrás delas subiam do rio outras sete vacas, mas muito escassas em carne, de aspeto desagradável pela sua magreza, que pararam junto às outras na margem do rio. E a vacas magras devoraram as gordas, e o faraó acordou.… »  (Genesis, 41:1-4 )

Nesta parashá encontramo-nos perante o homem dos múltiplos papéis: Yosef. Yosef é o sonhador e o decifrador de sonhos. É quem governa o Egito, sem, no entanto, esquecer o seu papel de filho e de irmão. É um homem que se relaciona ao mesmo tempo com as coisas materiais e com o espírito.

Na nossa parashá, o rei do Egito tem um sonho misterioso: Na primeira parte, sete vacas magras devoram sete vacas robustas e belas, e, na segunda parte, sete espigas fracas devoram sete espigas abundantes e belas. O que é extraordinário é que, mesmo depois de terem devorado os seres plenos e belos, os seres magros e desagradáveis permaneceram na mesma, sem que se tivesse produzido nenhuma mudança no seu aspeto.

O faraó estava preocupado: Os seus conselheiros tentaram inutilmente explicar o sonho. Ao não o conseguirem, torna-se necessário superar a humilhação e recorrer a Yosef, o conselheiro judeu, para pedir a sua opinião. Qual foi a sua contribuição para o Egito? Continue reading “Parashat Miketz”